02 maio 2011

1º Raid BTT Caça Brava



Para este dia estava dividido entre a maratona Barquinha e esta.., acabei por optar por Santa Cita já que dois companheiros meus do SDT, o Calimerio e o Luís vinham aqui participar, achei que não tinha grande lógica eu ir sozinho uns kms mais abaixo á Barquinha...

A chegada foi cerca das 8h:20m ao local onde seria o almoço e levantamento dos dorsais, estavam antes de nós cerca de 10 pessoas a levantar o saco com dorsal que fora processado muito lentamente. 
No saco vinha o dorsal em papel autocolante, uma caneta e um pólo da Caça Brava, o nome da reserva de caça que organizou este evento. 
Por volta das 9:00 horas fomos para o local onde seria a partida/chegada a cerca de um km de distância do local do almoço, onde cerca de 50 participantes iam aquecendo as pernas as voltinhas, embora fossem poucos, eram bons pois como chamariz a havia prémios até ao 10º lugar. 

Cerca das 9:25 lá foi dada a partida para a distância de 25km e 50km, esta ultima que se adivinhava difícil, pois a altimetria apontada era de 1400m. A manha estava muito enublada e com aspecto de chuva onde com os primeiros quilómetros de sobe e desce curtos a maior dificuldade com que eu não contava, foi a enorme quantidade de lama, pois não fazia ideia como estava tão pesado o terreno. 

Fui dando o meu máximo e rapidamente fiquei nos cinco primeiros, ate que o travão traseiro me começou a travar muito em baixo e como resultado da grande quantidade de agua no piso, pensei logo que as pastilhas já tinham ido há vida…
Para não estragar o disco pensei em utilizar somente o travão da frente e só em caso extremo o traseiro ., contudo não demorei muito a me espalhar numa curva com muita areia, onde ate os bidões e o conta-quilómetros me saltaram no quilometro 19. Levantei-me um pouco "apardalado" com uns arranhões e ao mesmo tempo passa por mim um participante que eu sabia já o ter deixado para traz ao inicio, vindo de um trilho paralelo ao do percurso (atalhar), e que nem ao menos teve a consciência de perguntar se precisava de alguma coisa, o que me deixou ainda mais chateado face atitude dele.

 Retomei o percurso juntamente com o Fernando Silva que vinha atrás de mim e estavam com problemas no espigão, onde baixei o ritmo e seguimos os dois ate que deparei com uma enorme mossa no quadro e ate a tinta estalou devido ao impacto com manipulo da mudança dianteiro e a manete de travão.. ,mais chateado ainda fiquei.. “Ai a minha branquinha, porque é que eu não fique em casa!!!” era o meu pensamento.

Prosseguimos pelo continuado sobe e desce por trilhos muito agradáveis, tirando o enorme lamaçal por vezes completamente impossível passar, com muitos singles técnicos e as más marcações de percurso que fez com que nos perdêssemos algumas vezes. Passados mais uns quilómetros onde pedalei sempre com o Silva fomos apanhados por mais dois atletas, onde um deles após fazer alguns quilómetros connosco aproveitou mais um erro na marcação e abalou para nossa frente. 

Cerca de 10km para o final carreguei nos pedais estando a sentir-me bem fisicamente e com sentimento de revolta pelo sucedido, acabei por deixar para traz os meus companheiros e ainda alcancei outro participante, onde fiz cerca de 3km com ele a puxar até a meta, concluindo quase 60km na 6º posição com a diferença de 1 minuto para o 4º classificado com o tempo de 02h43m.., o que para mim foi bastante bom, pois com tantos percalços..

Local da pancada
Fiquei por ali mais algum tempo onde o pessoal foi chegando com muito tempo espaçado.

Lavei a bike nas calmas, tomei duche de água fria onde os existia apenas um chuveiro ate que finalmente apareceu o Luís que se tinha enganado também no percurso e acabaria por fazer quase 70km, bem como a seguir o João também com um engano...

Finalmente lá fomos almoçar na sala bastante agradável e muito acolhedora do Caça Brava em camilhas, bem comidos e bebidos sempre com pessoal muito prestável, onde no final recebi uma bem merecida salva de prata.., e onde o Sr. que passou por mim atalhar acabou no 3º lugar quase com o mesmo tempo dos primeiros.., porque seria!!!, mas as atitudes fica para quem as pratica, pode ser que um dia seja ele a precisar de ajuda…


Entrega da Salva em prata


Em resumo fica a boa vontade de quem organizou, um excelente percurso, tirando o S. Pedro que não foi amigo, com muitos e espectaculares singles, onde a marcação foi fraca e com muitos e muitos quilómetros sem se avistar "viva alma" onde acabou por ser o meu baptismo de queda..



2 comentários:

Lúcia disse...

Bicicletas há muitas, o amor da minha vida é unico.. Antes ela do que tu MOR...

CLMS disse...

boas

também concordo lol

mas esse rescaldo sai ou não... a mana está impaciente

cump. e melhores dias virão