06 dezembro 2012

Agradecimento BTT Ganhões 2012


Boa noite amigos.


O BTT Ganhões 2012 já lá vai, embora ainda com poucos comentários, críticas ou louvores por apurar. Os que obtemos até ao momento não podiam ser melhores á semelhança das anteriores edições. 

Este é um evento da inteira responsabilidade e exclusividade da Associação BTTMOZ-SDT (Sobe Desce Team) com o apoio da Camara Municipal de Estremoz, que tem como objectivo principal dar a
conhecer a nossa cidade, os nossos lindos trilhos (Serra d’Ossa) e aproveitando o festival da Cozinha dos Ganhões para dar também a conhecer a nossa gastronomia.

Se alguma coisa correu menos bem também não vou pedir desculpas, pois as desculpas não se pedem, evitam-se... foi a pensar em vocês que orientámos todo o nosso trabalho, tentando de todas as formas proporcionar-vos um evento de qualidade.

Em nome do Sobe e Desce Team só me resta desejar as rápidas melhoram aos acidentados, agradecer a todos os participantes que se deslocaram a Estremoz e a promessa de continuar a evoluir mantendo a mesma, ou melhor se possível qualidade.

Termino com um agradecimento á Câmara Municipal Estremoz, B. V Estremoz, GNR, Policia, proprietários dos terrenos, a todos os que contribuíram trazendo tampinhas para a pequena Inês e em especial a todo o meu Staff envolvido que se entregou de corpo e alma, que sem eles nada era possível. 

P.S-Ao S. Pedro que apesar de frio nos brindou comum um lindo dia de sol.

29 outubro 2012

3º Raid BTT do Santos (Alvito)

Na vila do Alvito realizou-se o 3º Raid BTT dos Santos, local este onde nunca por ali tinha pedalado, mas já ouvira falar muito bem da organização e dos percursos.

Com cinco domingos de boa vida..(sábados alegres, manhas de domingos tristes...), a falta de ritmo era de esperada e para ajudar á "festa" uma constipação á última hora também não ajudava em nada.

A manha começou por volta das 7 horas com uma hora a mais dormida, já que na madrugada houve a mudança de hora.
Fui buscar a minha namorada que já á muito não me fazia companhia nestas andanças e o companheiro L. Bilro do SDT, que me acompanharam em mais um domingo que nasceu frio mas com sol.

A chega fora perto das 8:20 onde rapidamente e sem demora levantamos o frontal onde o saco continha a habitual papelada e um par de meias cor de rosa!!, referente ao evento.

Para esta prova estava inicialmente confirmados cerca de duzentos participantes entre o passeio, a distância de 45km e 70km.
Antes da hora já estava junto á manga de partida, não muito bem colocado devido a uma grelha quadrada no chão que me impedira de estar junto aos lugares da frente, mas sabendo que iríamos dar uma volta pela vila com passagens novamente pelo mesmo local, não gostando eu de andar a pôr-me á frente de quem já lá estava, ali permaneci ate ser dada a partida onde durante a volta pela vila recuperei muitos lugares e me encostei ao grupo da frente.

À saída muito rápida do alcatrão entramos a grande velocidade no percurso inicialmente a descer onde segui na cauda de um grupo de cerca de 20 participantes, ganhado alguns lugares na entra de um "single" a subir com pouca inclinação, mas longa no comprimento, onde ate ao quilometro 10 segui na cauda do grupo mas sempre a ver o primeiro (já que estavam a pouco mais de 50 metros á frente) surgi-o a divisão e com ela o fim daquela subida  onde de repente o pessoal parece ter "evaporado" na minha frente com o inverter da subida a descida.

Uma bonita terminação de frontal..
Perdendo o grupo da frente der repente fiquei com mais dois participantes, eles de roda 29 e eu de triciclo (roda 26), onde ao contrário do habitual perdia distância nas descidas e nas zonas rolantes, recuperando nas subidas e nas zonas mais técnicas.

Foi uma prova caracterizada por muitos singles, uns naturais (feitos pela passagem de animais), outros feitos pelo pessoal da organização.
Ate final todo o percurso fora muito idêntico, sobe, desce e estradão, apenas me limitei a gerir o esforço e concluir a prova, embora ainda com uma preocupação final de não perder mais dois lugares pois a cerca de 7km do fim numa zona de single fui praticamente apanhado por dois participantes que apareceram das "estevas" sem mais nem menos, mas acabaram por perder um dos bons momentos do percurso, mais um espectacular single, para mim o melhor deles todos.
Ao fim de 48km e o tempo de 01:53 terminei no 8º lugar entre 109 participantes, (ver classificação) posição esta que ficou logo marcada desde o início. Este lugar acabou por souber a pouco, pois este percurso tinha todas a características a meu favor, só que eu não tinha a bike mais indicada., uma 29 lol.
Ate posso ficar a 10mim do primeiro.., mas o primeiro fica a muitas sagres de mim..lol
Após a chagada do meu companheiro de equipa, fomos ao merecido banho e depois como habitualmente fomos repor os líquidos (umas belas e frescas minis) num café ao lado do jardim junto á zona da  meta.

O almoço fora servido categoricamente na escola com auxílio dos alunos de Hotelaria.

Em resumo fica uma boa organização embora, apenas um reparo para que tivessem utilizado pó branco nas mudanças direcção, pois á sempre gente maldosa e bastava um derrubar as estacas e era capaz de ser mais confuso.., bem como pelo que me apercebi no final pessoal a não fazer o single track do moinho, (uns involuntariamente outros nem por isso..),acabaram por perder o melhor, mas ganharam algumas posições..lol

13 outubro 2012

Bike de Brandon Wiggins...

Vale a pena perder 5 minutos a ver este espectacular video..


Martyn Ashton, ciclista profissional, resolveu mostrar que faz tudo e mais alguma coisa com qualquer bicicleta, até uma bicicleta de estrada.
O seu novo “brinquedo”, uma Pinarello Dogma 2 de fibra de carbono, comprada por cerca de 13.000€ a Brandon Wiggins, campeão do Tour de France, serviu para este vídeo onde mostra que consegue fazer praticamente de tudo com uma bicicleta de estrada.

25 setembro 2012

MARATONA Montargil BTT - TRAIL RUNNING


Inicialmente estava em duvidas de participação entre esta prova ou a do fim-de-semana seguinte na vila do Torrão,
mas como a organização era a cargo do BTT Sôr e com ela vinha-me á memoria duas excelentes provas em participações antigas na vila de Ponte de Sor. 
A juntar o útil ao agradável estava mais pessoal SDT também inscrito, que me fez optar por esta, mas só na última semana é que me apercebi que afinal a prova era em Montargil e não em Ponte de Sôr.

A manha começou antes das 7 horas, onde com minha saída á porta de casa me deparei com uma enorme trovoada. Fui buscar a bike e aguardei a chegada do Luís B., onde na colocação do suporte e da bike foi debaixo de chuva. Juntamos a comitiva e apos o café debaixo de muita agua seguimos em direcção a Montargil, onde no caminho as duvidas seria a participação no btt, ou só no almoço.

O chegado já tinha a chuva parado, mas as possas de água e lama estavam instaladas. Levantamos os frontais de forma um pouco lenta no local muito enlameado e com pouca animação, onde vinha um saco tipo de PC com um picante e uma pequena lembrança feita artesanalmente em madeira. Fomos equipando onde o dia continuava cinzento, mas sem chuva. Fiquei perto da linha da frente da partida, onde parecia ter havido muita desistência inicial, pois estavam esperados cerca de 350 participantes divididos na vertente BTT para os 40km e 70km e mais uns na vertente runing de 40km, onde muitas vezes salientei a vontade de participação nesta modalidade, mas não havendo uma distância mais curta acabei pelo BTT.

A partida começamos no meu pior cenário, a subir, subir.., tentei mantei o meu lugar confortavelmente mas com inicio muito forçado, pouca vontade anímica e algum canção de ter voltado a corrida durante a semana. A divisão fora logo ao inicio, cerca do quilometro 4, onde seguia em 6º lugar.., mas estava em dia não parecia as pernas não querem dar mais para me aproximar do grupo da frente, acabando por ser ultrapassado por mais 3 atletas. Segui a roda deles sempre com eles debaixo de olho, onde ao quilometro 14 (parece ser sina) acabamos por enganar no percurso.., acabando eu por beneficiar, pois era o mais atrasado do grupo, ficando assim colado ao grupo com cerca de 5 atletas.

Mais uma vez o pé no chão..,  e a seguir a pé.
Fomos pedalando com um percurso diversificado com sobe e desces, algumas zonas de areia por vezes por zonas que eram piores que os "caminhos de cabras". Com pouco espirito de sacrifício fui seguido na cauda do grupo ate começar-mos a subir por um trilho estreito e enlameado, onde antes já nos tinha-mos voltado a enganar... Nesse trilho (carreiro de animais) os pneus começaram a encher de lama e a corrente a fazer "chupão", no cimo era a picagem onde tive tempo e paciência de esperar que o pica fosse trocar o agrafador por uma esferográfica á carrinha onde já tinha cerca do km 22 pedalados. Desci em direcção á barragem onde começou a chover e onde aquela zona estava mais saturada de agua, onde reparei que com os chupões a protecção de escora jã estava rasgada junta á pedaleira.., ficado com cada vez menos vontade de continuar. Fizemos algumas centenas de metros na zona junto a barragem entre muita areis, pedras redondas onde de vez em quando lá ia o pé ao chão, cheguei a zona do parque de campismos percorre-mos uma zona muito estreita junto á rede do parque onde as placas de direcção e perigo não exigiam. 

Ao chegar ao pe da estrada de alcatrão, sem motivação, vontade e já estava tão farto daquele cenário, onde o estado da bike também não ajudava(estalar por todo o lado), passei por dentro de uma grande poça (de molhado não passava), para tirar a areia/lama da corrente e não pensei duas vezes com cerca de 27 percorrido meti-me pelo alcatrão em direcção a Montargil onde ao fim de 5km estava na zona da meta. Dei baixa do dorsal e esperei apanhar mais uma molha esperei pelas mulheres dos meus companheiros que tinham a chave da carrinha.
Depois de um belo banho, assisti a chegada dos participantes


Com o aparecimento delas foi tomar um belo banho bem quentinho, onde poucos tinham acabado e outros desistido. Foi apara cima novamente para o local da chegada aguardar a chegada dos meus companheiros.

Com a chegada com pessoal veio a melhor parte, o almoço e convívio, servido na cantina da escola com uma bela sopa de peixe e grelhados, onde fomos convivendo.

17 setembro 2012

III Maratona no Trilho do Lobo


Quinze dias passados desde a minha última presença em provas e para não perder o ritmo á que continuar a pedalar... Desta vez foi novamente ao Rossio ao Sul do Tejo (Abrantes) para a 3ª maratona BTT Trilho do Lobo, organizada pelo pessoal amigo e conhecido do grupo de BTT do Fojo, onde novamente estiveram com o objectivo solidário a angariação de tampas plásticas para a prótese da Inês, uma criança de 6 anos que nasceu sem a mãozinha.

O SDT teve a representação de mais oito elementos no "trilho do lobo" onde também entregamos mais algumas tampinhas. 
A manha começou perto da 6:30hras onde no meu Skoda apanhei o Calimero e o João Pedro e em conjunto com a viatura do Guerra seguimos viagem em direcção Abrantes.

Os manos Birlos adentaram-se e levantaram os frontais onde dentro do saco vinha um sumo, pastilhas, chocolates e umas bebidas energéticas.
Rapidamente nos equipamos e dez minutos antes da partida entrei no controle 0 onde foi aguardando junto ao grupo da frente onde eram esperados cerca de 250 participantes na totalidade.

Esta prova teve duas distâncias, meia-maratona de 30km e a maratona de 60km. Esta ultima distancia onde eu estava inscrito, apesar de ter boas hipóteses de fazer um bom resultado na distância mais pequena preferir ir sofre e desafiar os meus limites na maior e para mais para quem fez cem quilómetros de carro para depois fazer apenas 30km de bike sabia a pouco.

O meu objectivo estava traçado, era ficar nos três primeiros do meu escalão (veterano A), já que havia trofeus por escalões, mas quando se tem atletas na mesma distância e escalão como o Nuno Inácio a possibilidade ficou ainda mais reduzida.

A partida foi dada as 9:00 em ponto, percorremos cerca de 2km em asfalto que sérvio para ganhar posições e ficar colado ao grupo da frente com cerca de 15 atletas. Á entrada no campo o percurso começou logo a subir.., numa subida longa, onde ainda "a frio" me limitei em manter o lugar em que seguia, ultrapassado mais dois ou três atletas.. 

À mudança de direcção o pessoal já estava muito "partido", ficando eu na terceira posição se tivesse seguido para a distância dos 30km e entre os 10 primeiros para os 60km para onde rumei... A partir do km 14 começou o (meu calvário), sugiro o primeiro single onde eu me sinto muito bem, ganhando de imediato alguma distancia ao Sr. F. Mestre e a outro participante que segui a traz. De repente e já sozinho no meio de um eucaliptal deparo-me á minha frente com mais uma subida com muita pedra solta (comum em todo o percurso) quando a meio da subida olhei para traz e lá vinha o Sr. Mestre em grande forma também a começar a subir, mas ao mesmo tempo deparo-me que não existe qual quer fita, mas como não havia mais nenhum lugar para onde seguir continuei a pedalar até reparar que uns metros mais á frente estava pessoal a passar.., logo deduzi que estava enganado, voltei para traz, onde o Sr. Mestre também já tinha voltado para traz. Com aquilo tudo quando cheguei ao ponto onde me enganei já estava um elemento da organização a corrigir a má marcação, e resultado perdi mais de três minutos e algum desagaste físico e principalmente psicológico... 
Segui onde voltei novamente apanhar e ultrapassar o Mestre pai ganhado novamente distancia e umas centenas de metros mais á frente apanho o Mestre filho (Marco) com outro participante que também se tinham enganado.  Seguimos os três durante algum tempo onde apanhamos um grupo de pessoal dos 30km em sentido contrario a nos também enganados. Mais umas subidas e fiquei novamente sozinho e para traz, pois não tenho qualquer hipótese de acompanhar o grande Marco, pelo menos nas subidas. 
(Foi da maneira que andei ao lado do grande Marco)
Mais uns quilómetros pedalados com a entrada e passagem num perigoso e inclinado single track, que não era para todos!!  voltei a encontrar o Marco onde seguimos juntos ate ao abastecimento cerca do km 23. 
Voltei a ficar para traz e novamente sozinho onde percorri mais uns quilómetros e mais uma vez voltei apanhar o Marco desta vez com mais dois atletas, um deles do meu escalão. 

Fique com esse dito atleta mais a traz pedalando em conjunto onde íamos avistando o Marco. Á passagem de uma estrada de alicatão ao quilometro 40 voltei-me a enganar-me, segui algumas centenas de metros pela estrada de asfalto eludido, pois o ano passado já por ali tinha passado, ate que encontrei uma senhora onde perguntei tinha visto por ali passar alguém, resposta - Não-.. 
Voltei para traz já com mais alguns minutos perdidos, talvez mais 2º ate ao ponto onde já estava um miúdo a indicar a entrada escondida junto á estrada e escondia nas canas para uma horta. 
Com tudo isto o homem da marreta estava "instalado” e o meu objectivo cada vez mais longe. Surgi-o o abastecimento mesmo a calhar, pois já estava sem água algum tempo. Segui solitariamente mas a começar-me “arrastar” ate a outro ponto de agua onde lá me disseram ainda faltar cerca de 12km para o final. Olhando para traz e não avistando ninguem confortavelmente foi seguido onde surgiram mais uns single e o homem da marreta aliviou ate á chegada apos 58km com o tempo de 03:02 terminei na 8º posição a 1 mim do meu objectivo, ficando pelo 4 º lugar do meu escalão.. (ver classificação geral) 
O percurso teve um acumulado de subidas cerca de 1000m em sobe e desce constante...
Chegada do pessoal do SDT, quem ficou a chuchar fui eu..lol
O J. Pedro que foi á distancia mais pequena aguardava a chegada do nosso pessoal, ficando eu também aguardar a chegada do pessoal SDT que em conjunto e após 5 hras concluíram a prova, durante cerca de duas horas fui conversado e bebendo umas frescas no bar ao lado na companhia do Amigo Carlos e Valério elementos da organização. 

Desde já fica um grande abraço para todo o pessoal da organização que nos receberam sempre com muita simpatia e que tudo fez para que nada falha-se,  apesar da marcação que para o ano com certeza que irão usar mais placas e pó no chão.

03 setembro 2012

4º Maratona Barbaris BTT


Passados quinze dias do meu desaire físico da prova da Vidigueira, encostei os ténis por um tempo e abrandei as voltas de bike, também muito por culpa da diminuição das horas de dia (sol posto)

Pela segunda vez este ano voltei a estar presente em Barbacena, desta vez a 4ª maratona BTT.
A manha começou perto das sete da manha onde o ponto de encontro foi no local habitual, onde segui viagem desta vez solitariamente devido á proximidade do local da prova e assim também poderia vir ás horas que eu quisesse, sem terem que espera por ninguém. A participar o SDT teve a representação de mais 8 elementos estremocenses (Os manos Bilros, A. Neves, J. Marques, J. Rato, J. Silva, P. Guerra e J. Borralho).

À chegada já passava das oito, fomos fazer o habitual levantamento do frontal, mas o amigo Marcelino adentou-se e fez nos o favor de os levantar a todos, onde o saco trazia no seu interior uma t-shirt, um boné, papeis e uma bolsa transparente indicada para colocarmos o telemóvel, mp3 ou mesmo os documentos.
Rapidamente fomos equipando como normal a boa disposição, enquanto já havia muitos participantes para cima e para baixo de bike a fazer o aquecimento, muitos deles já meus conhecidos.

Quando inicialmente fiz a inscrição o meu objectivo era os 5 primeiros lugares da meia-maratona, mas com o passar do tempo e com as confirmações do pessoal, comecei achar difícil manter o top 5, para mais estavam confirmados perto de 400 atletas estando cerca de 300 para a mesma distancia que eu ia pedalar.
Vindo eu com o mural muito em baixo o espectativas ainda muito menos eram as melhores.

Cerca de quinze minutos antes da hora passei o controlo 0 onde mais de meia centena já guardava a partida á minha frente e que seria mais um obstáculo a ultrapassar.
Pouco passava da hora foi dada a partida com a habitual e mas curta passagem por dentro da localidade, não dando para a ganhar muitas posições.

Entra-mos rapidamente e em grande velocidade no percurso com um piso de muita areia, valas e pedra solta, onde arrisquei tudo, ora dento do trilho, ora ao lado, raziar a arvores e ramos, fazendo ultrapassagem a traz de ultrapassagem a uma velocidade de loucos e quando olhei para o conta-quilómetros já tinha mais de 7km percorridos e ultrapassado mais de quarenta participantes, sendo um sinal que me estava a sentir-me bem fisicamente embora ainda com alguma dor nos quadríceps mas nada que se comparasse á quinze dias atrás.

Com a mudança de percurso ao quilómetro 8 avistei o grupo cabeça de pelotão que seguia junto deste a partida e com a separação fiquei a ocupar o nono lugar mas com todos os outros participantes pouco mais á minha frente, ganhei uma nova alma consegui ate ao quilómetro vinte a conquistar o 6º lugar e a menos de 30 segundos dos primeiros, estando o meu objectivo mesmo á beira que era os cinco primeiros. Entre o quilometro 20 e 35km estava concentrada a maior dificuldade com uma serie de subidas e descidas inclinadas onde ainda tive tempo para me enganar e assim voltar a perder os quatro primeiros de vista, bem  como ficando com mais 3 participantes na roda...
Chateado comigo mesmo continuei em grupo o sobe/desce onde lentamente foi ganhando terreno para os dois homens da frente e acabando por voltar a distanciar dos que seguiam a minha roda. Apos a serie de subidas ao quilómetro +/- 37 consegui colar e passar para a frente dos dois participantes numa zona de subida pouco acentuada, onde assumi a frente deles e com um enorme "esticão" mesmo no momento certo, em espaço de um quilómetro ganhei uma grande distância, voltando a ficar novamente moralizado pois já ocupava o 4 lugar embora ainda falta-se mais de dez km para o final muita coisa podia acontecer…

Já sem água e com a câmbrias a "morderem" os últimos quilómetros pareciam intermináveis, sem avistar viva alma eu já não pedalava, "arrastava-me" onde a minha preocupação era não ser ultrapassado, onde as fitas de marcação de cor prateada eram um factor psicológico, pois reflectiam luz do sol ao longe e dava a ideia de serem capacetes. Ao quilómetro 49 com um acumulado de subidas que ultrapassou os 800m lá estava Barbacena e o "oásis" da meta, onde conclui a prova no 4º lugar com o tempo de 02h:10m e uma média de pulsação de loucos, pois nunca por mim feito 175 bpm(ver classificação). Mas consegui o meu objectivo e psicologicamente voltei a ganhar um novo ânimo :-).

As lerias com o pessoal foi assistindo á chegada de outros participantes, bem como bebendo umas minis que gentilmente o pessoal da organização disponibilizou á chegada.

Apos o banho fomos para a parte melhor, o almoço com uma sopa e hamburgers com esparguete e muita imperial fresca. Onde mais uma vez foi chamado á quele palco com mais um 4 lugar em Barbacena para receber o meu merecido trofeu e mais um saco com alguns produtos regionais, e ainda não foi desta que trouxe a sericá..lol
(mais bonito trofeu um para o currículo )

Por lá fique ate perto das 19 horas a beber uns Fast Recovery e conversando com pessoal da organização... Parabéns a todos eles que sempre me deram grande apoio e força anímica durante toda a prova.

20 agosto 2012

Raid BTT Trilhos de Baco


Após eu ter estado cerca de dois meses e meio fora das lides do BTT com caracter mais competitivo, muito por culpa da chegada do verão, com ele o calor, as ferias e o número de eventos de BTT que também diminui-o...

Para quase final o mês de Agosto surgiu a data do evento Raid Trilhos de Baco (Vidigueira), prova esta já á muito por mim ouvida falar entre o pessoal e vista nos foruns das duas rodas..., resumindo a prova em uma grande festa do BTT, com campismo, piscinas e passeio nocturno nas vésperas do raid. Festa esta idêntica á vizinha aldeia de Cabeça Gorda.

Apos a minha inscrição ponderei varias vez a minha confirmação, pois o preço da inscrição era de 15€ sem almoço, um pouco exagerado para quem vai no dia e só fazer a prova rainha. Mas com o aproximar de mais eventos pensei que seria a melhor forma de testar a minha capacidade física e assim começar a ganhar ritmo para as outras futuras...

A manha começou cerca das 6:30h da manha onde dei boleia ao companheiro de pedal J. Borralho, sua esposa e filha, bem como posteriormente a minha namorada Lúcia.
A chegada fora cerca das 8 da matina onde já tínhamos combinado entre os dois de levantar o dorsal e irmos deixar as bikes no controle zero..., pois eram esperados cerca de 700 participantes.
Assim fizemos após o levantamento do dorsal onde o saco vinha muito pobre tendo em quanto o preço pago... Onde alem do preço base da inscrição acabei por pagar mais 1€ para personalizar a t-shirt que nem quase se via o meu nome....

Apos colocarmos os frontais fomos ensarilhar as bikes junto á partida onde já estavam mais de meia centena de atletas á nossa frente.
Em brincadeira e boa disposição fomos equipando, pois se não nos roubassem as bikes, estávamos descansados...
Perto da hora da partida dirigindo-mos para as nossas máquinas, onde ansiosamente fomos esperando a largada...
As distancias eram a meia de 40km onde eu estava inscrito e maratona de 70km.., mas com diferença de acumulado de subidas muito pouco entre elas.

Os primeiros 4km coloquei-me no enorme grupo da frente onde com cuidado foi tentando ganhar posições.
(Ainda com esperança de melhorar fisicamente)
Logo na primera subida comecei a sentir enorme dificuldade física na zona  dos  quadriceps, mais concretamente  um enorme peso e dor junto aos joelhos.., mas onde tentava psicologicamente ultrapassar o pessoal como é o habitual. Embora o pessoal presente também fosse de grande potencial, acabou por acontecer o inverso..., "lutar para não ser ultrapassado" mas sempre com a esperança de "aquecer” as pernas" e melhorar a minha performance. 
Só que as subidas estavam localizadas nos primeiros 26km e ainda faltavam 19km para as concluir.
Então a força de vontade desapareceu e o cansaço contino-ou a moer, embora sem saber bem ao certo o que se estava apassar comigo.., pois nestes ultimos dois meses tenho corrido muitos kilometros bem como  andado de bike.., inclusive a volta da passada quarta-feira de 140km a Monsaraz. .. Seria que estava a pagar a "factura" dessa mesma volta e das grandes corridas!, ou seria a falta de ritmo!. Sem saber o que se estava a passar comigo de provas!! Perdido por cem...!, perdido por mil, arrisquei na mudança em fazer a distancia maior, pois o acumulado pouco mais era e o meu companheiro que também seguia a minha frente também iria para os 70km. Então preferi sofrer mais um pouco e para tentar ganhar ritmo arrisquei a distância maior, pois estava um pouco baralhado com que me estava acontecera...

Á separação enverguei para a maratona ao km 34km já pedalado e seguindo talvez no grupo entre dos 40 primeiros das duas distâncias...
Então limitei-me a seguir com o meu ritmo onde inicialmente fora sempre acompanhado com pessoal começou haver maior dissipação.

Parando em cada abastecimento fui-me munindo de agua e bananas assim ate final..., onde nos últimos 15km e novamente no surgimento de umas subidas, fora novamente ultrapassado por um grupo que seguia a minha roda..
Apos cerca de 74km com 1100m de subidas lá cheguei em 46º com o tempo de 3h:07m (ver classificação), onde o meu companheiro que está em grande forma física já tinha chegado 6mim antes de mim.  A minha média pulsação fora 157rpm, que reflecte bem o meu baixo desempenho, para quem faz medias acima dos 164rpm.

Alem da meu psicológico estar em baixo o clima com a minha chegada também não era o melhor apoio possivel..., pois a minha namorada estava com uma pilha de nervos de preocupação, devido ao não me ter visto passar no último abastecimento dos 40km e não saber que eu me tinha mudado para os 70km.

Apos o banho e os nervos acalmaram fomos procurar um local para almoçar-mos, que acabou por ser em vila de Frades a cerca de 3km da Vidigueira.

Em resumo e opinião desta prova estava tubo bom, agua fresca com muitos pontos, boas marcações, embora axe falta de algumas placas de perigo, mas para mim não justifica o valor muito alto da inscrição. Em relação ao meu desempenho só me resta esperar dias melhores, pois quando achamos que estamos em boa forma, o contrário acontece - Overtraining.

03 julho 2012

Uma pausa nas provas..

O verão está ai.., com ele o tempo quente e ainda mais cervejolas e petiscadas..lol, em principio até Setembro irei estar de fora das provas BTT. 

Podem indo seguir as minhas voltas de bike/corridas no meu Strava ou no Sports Tracker

Já agora quem nunca ouvi fala no programa STRAVA (uma espécie de facebook das pedaladas) recomendo vivamente a experimentar, pois alem de guardar todos os registos das nossas voltas, tem a possibilidade de criar pontos pessoais competitivos ou abertos a todos os atletas que por lá passaram. Mas cuidado pois á relatos de acidentes com ciclistas ao tentar bater os KOM'S(tempos nos segmentos) de outros atletas. Criem segmentos de preferência a subir..lol 

 Nota: O Strava é um site no qual você faz o upload de seus treinos, registrados via celular ou outros aparelhos que possuam GPS. E o site além de te mostrar informações sobre seu treino (velocidade, distância, ganho de elevação etc…) ele cria um ranking de ciclistas em ”Segmentos”. 

Por exemplo, você sai da rua da sua casa sprintando e vai até a esquina alucinando. Daí quando for fazer o upload de seu treino, você marca aquele trecho como um segmento. Automaticamente o site vai rankear pessoas que já passaram por ali e vai verificar quem foi o mais rápido! Criando uma competição mundial. 

Desde já quero agradecer a todos os amigos que por este meu cantinho (blog) vem passando diariamente e boas ferias para quem este ano as vai gozar....:-) 

Comprimentos e boas pedaladas

Hérnia Inguinal, era o que me faltava agora!!


No inicio deste ano resolvi deixar de fumar (como já deixei o meu testemunho), então logo após deixar o tabaco comecei "apertar" mais com a parte cardio com o objectivo de começar "abrir" mais a caixa, para que mais rapidamente começasse a limpar os pulmões... Então como sempre utilizei a corrida como suplemento e apoio ao BTT e foi por ai que resolvi começar a "esticar" as pernas na passadeira com sprintes de 2 minutos a 15km/h, reduzindo para os 10km/h durante 1min, assim em serias de vários minutos sucessivamente. 
Ao fim de pouco tempo comecei a ficar com uma dor estranha na zona da virilha direita sempre após a corrida, era quando surgia e que me deixava por vezes a coxear e uma sessão estranha...
Então desconhecendo o problema resolvi deixar de correr duas semanas continuando com outros exercícios, entre eles o spinning e o BTT e a dor nunca mais voltou... 
Então como a vontade era tanta de voltar a correr achando que já estava curado da dita dor, ao fim das duas semanas voltei á carga para a passadeira e de imediato a dor voltou aparecer, uma dor suportável mas que me fazia coxear, onde só com o descanso (noite) é que desaparecia e que de manha estava praticamente novo. Falei com o treinador do ginásio onde ele me falou que poderia ser uma pubalgia ou então uma hérnia., para eu ir a um medico ver que se passava. Fiquei logo com a "pulga a traz da orelha" e em pesquisa na net e em conversa com pessoal tudo indicava para a dita hérnia..(Ponto 4 da figura)

Em Março tinha consulta com os medico de família, onde lhe expus o caso e ele em toque na virilha me diagnosticou a dita hérnia e disse para eu continuar a fazer a vida normalmente só para evitar certos esforços.., sendo a corrida um deles.

Assim tenho feito continuo a pedalar onde não é dos exercícios que me recinto mais até ver!!.. É pior por vezes em certos trabalhos como carregar peso, fazer mais força do lado direito ou mesmo alguma maus jeito fico novamente com aquela dor que me faz coxear um pouco, mas que com o descanso desaparece. 

Já lá vão cerca de 7 meses que esta dor me apareceu e com ela o mesmo tempo que deixei de fumar, três quilos a mais , então aproveitando o verão e o vicio da corrida á cerca de um mês voltei a experimentar correr desta vez no campo e em alcatrão duas vezes por semana com um ritmo inicial mais reduzido e aumentado gradualmente dentro das possibilidades e aguentamento da dor, estando actualmente já a fazer uma excelente media... 
É óbvio que durante o tempo que vou a correr vou sempre sentido a dita hérnia a "moer" e após a corrida na maior parte das fezes fico a coxear, mas com uma boa noite de sono no outro dia estou praticamente novo.. 

Mas assim vou indo e me aguentado ate que não pior, com a esperança que não se agrave..

Esta é a minha historia de deixar de fumar e passar a ter uma hérnia.., continuem fumar..lol

As melhoras a todo o pessoal que já foi operado..

11 junho 2012

Maratona CicloClube BTT Elvas 2012


Após ter falhado o ano passado esta prova, local onde eu já "brilhei" em 2009 com uma vitória nos 55km quando "deus andava pelo mundo", este ano voltei com a companhia da minha namorada e a em representação do SDT mais quatro elementos.
A manha começou molhada por volta da 7:30 com uma chuva miudinha mas que acabou por parar.
A chegada a Elvas encontrei logo muito pessoal amigo destas andanças que foi cumprimentando e fizemos o habitual levantamento com um bonito dorsal que no saco trazia uma t-shirts e um boné.

Rapidamente equipamos, já que havia controlo 0 e já estava la algum pessoal. Vinte minutos antes das 9 já estava na manga muito perto da frente, o que seria uma preciosa ajuda para um bom resultado já que para traz de mim teria cerca de 450 atletas.

A partida foi dada onde os primeiros 5km foram percorridos a uma velocidade "de loucos" pelo alicatão, chegando eu aos 67km/h. Á entra na terra já tinha conquistado mais alguns lugares, ficando entre os 20 primeiros e onde a divisão apareceu logo ao km 7, onde para a meia maratona o grupo á minha frente com cerca de 10 participantes estava a cerca de 1 minuto de mim. Com o percurso muito plano e rápido pelo meio de olivais e cearas solidariamente fui apertando ate que ao quilometro +/- 16 engrenei no grupo da frente que me pareceu um a um ritmo á espera que alguém puxasse, ou então como o meu ritmo era muito mais elevado para os conseguir apanhar achei o pessoal muito "brando".

Em plutão seguimos mais algum tempo quando ao quilómetro 19 resolvi estupidamente eu passar para a frente do plutão e puxar já que estava achar muito fraco o andamento. Durante alguns metros segui na dianteira, quando olhei para a minha frente e vejo um enorme subida que ia cada vez inclinado mais.. Só pensei! (estou lixado), dito e feito, não demorou muito que quase todo o grupo me ultrapassa-se e eu rôto..

Subida onde me lixei..
Ao superar a subida veio uma inclinada e perigosa, desta vez descida onde a moral já tinha ido por agua abaixo mas ainda faltava quase metade para fazer.. Solitariamente foi seguido o percurso novamente mais rolante com algumas subidas curtas onde nas várias passagens por pessoal da organização (abastecimento, picagens, estradas.) me foram sempre dando enorme apoio, força e ouvi muitas vezes "força Merino". Sempre foi uma grande força extra.

Á minha frente foi sempre avistando dois participantes e mais á frente por vezes o grupo dos primeiros quatro.. Ao quilometro 38 começou a grande dificuldade que estava reservada para o final com a subida dura ao forte da graça onde eu só ja pensava em chegar á meta e não ser ultrapassado por mais ninguém, pois a moral para apanhar os pessoal que ainda segui á frente não funcionou desta vez.., pois a subida do km 19 deitei toda a prova a perder moralmente e fisicamente nem a estrelinha estava a funcionar. Completamente desorientado com o local da chegada que parecia não aparecer antes ainda descemos do forte por um single muito inclinado e técnico (espectacular), só que depois ainda tivemos que voltar a subir mais uma "parede" voltado a desanimar e em vez de pelo menos manter o tempo que trazia para o pessoal a traz..., vim a perder.., o que não costuma ser habito.

Mas finalmente a meta surgi-o ao fim de 45km com um acumulado que se esperava menor com cerca de 850m acabei no 7º lugar com o tempo de 02h:05m entre 331 participantes (ver classificação), o que acabou por ser muito bom...

Fui aguardando pela chegada do meu pessoal onde sentados no chão fui “brincando” e vendo a chegada dos outros concorrentes inclusiva dos 80km.

Eu a Lúcia e o Vítor  após a prova
Fomos ao banho e depois ao almoço, onde eu acabei por ser o único representante SDT servido em self-service em camilhas no Varge Hotel. 

Durante o almoço tive oportunidade de conviver (e beber umas jolas) com dois grupos de betetistas que pela minha mesa passaram e acabei sentado na mesa com o terceiro grupo, os amigos e combatentes de Barbacena.

Fica em memória mais um excelente evento de BTT organizado por gentes que sabem o que fazem. 

04 junho 2012

1º Maratona de Santa Vitoria (Beja)


Apesar do nome desta pequena e simpática aldeia ser igual a uma aqui mesmo ao pé de Estremoz, esta fica bem mais longe, situada nos arredores de Beja, onde me desloquei com o J. Garcia a participarmos na primeira edição.

A manha começou por volta das 6:30 da matina onde os dois nos deslocamos ate ao baixo Alentejo. Á chegada perto das oito, encontras o Filipe Matias (ex. concorrente do peso pesado) e meu conhecido, que nos acompanhou no levantamento dos dorsais onde e no antes da partida. O saco apenas continha um par de meias, mas o que se aceita pois o preço da inscrição foi ate ver este ano a mais baixa.

Nas calmas fomos nos equipando onde o tempo ameaçava chuva, mas que afinal não passou de uns escuros... Esta prova contou com um passeio guiado e a distância de 45km e 70km. Eu estava inscrito para a distancia habitual dos 45km e que inicialmente esperava pelo gráfico muito rolante.., mas antes da partida ouve pessoal que me alertou que afinal teria mais acumulado do que inicialmente anunciado no site. Na manga de partida estavam cerca de 150 participantes, onde a minha colocação não fora das melhor mas também não estava muito preocupado pois sabia que antes haveria uma volta á aldeia e o número de atletas também não era muitos, e que rapidamente me colocaria em melhor posição.

Os primeiros quilómetros foram muito rolantes onde ganhei logo a dianteira do grupo logo atrás dos 5 primeiros fugitivos que lentamente foram ganhando distancia para mim pois alem de terem como chefe de fila o conhecido ciclista Casimiro, os restantes 4 fugitivos eram todos da mesma equipa do Algarve.

Ate ao quilómetro 15 tive sempre um sombra onde solitariamente seguimos muitos quilómetros sempre avistar os primeiros. Ao quilometro 17 consegui "descolar" do meu companheiro e me adietar onde fiquei solitariamente mais uns bons quilómetros onde pela frente surgiram umas subidas inclinadas em sobe e desce seguido e o meu companheiro inicial voltou a ficar novamente muito perto de mim. Voltei a conseguir descolar dele e ainda avistei os primeiros novamente.

A cerca de 5km da meta surgio a separação onde segui para os 45km como era de esperar e na esperança de pelo menos o terceiro lugar fosse meu pois pelo andamento do grupo da frente pensei que seria pessoal a seguir para distancia maior...

(cerca do km 35 ainda avistei os lambões da frente neste ponto..)

Quando cheguei á meta apos 45km saíram-me as contas furadas!!! com o tempo de 01:42 e um acumulado a rondar os 550m  de subidas lá estavam três "artistas" da mesma equipa e que por destino seriam todos da mesma equipa do acidentado que apoiei no Ferrobico acabando por terminar eu na 4ª posição(ver classificação)...

Foi aguardando a chegada do pessoal e do meu companheiro em quanto repus os sólidos e líquidos no bom abastecimento á chegada que a população tinha preparado para os participantes.
Apos um merecido banho, dirigimo-nos para o local do almoço que seria na rua principal debaixo de um pano de sombra em self-service de grelhados em diversidade e fartura onde fomos convivendo onde conheci pessoalmente outro participante do peso pesado.

Fica os meus parabéns pela excelente prova de BTT com apoio da população empenhada para que nada falhasse e que muito simpaticamente recebeu todos os participantes.

29 maio 2012

VIII Raid BTT "Por Terras de Mato 4º Troféu João Bento-Ferrobico


Na anterior edição já tinha estado presente neste grande evento de BTT, e quando digo grande este ano não poderia falta a mais do que uma prova, é uma festa em Cabeça Gorda. A manha começou por volta das 6h:20m, horas em que eu o Luís B., o Carlos B. combinamos nos encontrar com o A. Beja Neves e onde os quatro seguimos viagem em direcção a Cabeça Gorda.

A chegada fora perto das 8h:20m onde rapidamente nos apresa-mos a ir levantar os dorsais, que fora feito de forma rápida, já que estavam confirmados cerca de 600 participantes. No saco vinha uma estatueta de gesso, um porta-chaves em fita, uma barra energética, um bidão e muitos papéis. Rapidamente nos equipamos, onde optei pela estreia de umas meias de compressão que anteriormente tinha comprado e que tinha por curiosidade experimentar, já que ou está na moda ou ajuda no desempenho físico.

Á ida para a meta encontrei um buraco ao lado do companheiro Francisco Lagarto e perto dos lugares da frente, o que deu bastante jeito e ali permaneci com mais o Picão ate a partida. Após percorre-mos a principal rua de Cabeça Gorda comecei logo a tentar ganhar lugares onde em grande velocidade entramos no campo. Com cuidado e em grande ritmo o plutão ficara formado onde com o passar dos quilómetros foi ganhando lugares, ficando no grupo com cerca de 20 betetistas na frente que se foi alargando com o sobe e desce curto e constante. 
Segui a roda do Marcelino quando ao quilómetro 14 numa curva e contra curva a grande velocidade na minha roda traseira ouvi um barulho e me apercebi que tinha sido uma queda. Parei de imediato, bem como o Marcelino e mais dois companheiros de equipa do acidentado, onde ele de imediato pedi-o uma ambulância devido a um corte fundo na perna. Como não tinha tlm o Marcelino tentou ligar para a organização, mas sem enfeito pois não havia rede, os companheiros do acidentado seguiram sem quererem saber do colega. Apareceu outro betetista se prontificou e voltou a traz a chamar alguém da organização já que estavam um pouco acima. 

Com dever comprido e já pouca vontade eu e o Marcelino lá seguimos o percurso pois já era muito o pessoal que tinha passado por nos, fizemos uma parelha e começamos em grande ritmo á carga voltando a ultrapassar pessoal a traz de pessoal com a continuação de um percurso muito rápido e com alguma dificuldade entre o quilometro 17 e 22.

Pormenor da meia..lol

A subir puxava o Marcelino a rolar puxava eu e íamos influenciando com o ultrapassar de muitos atletas. Como não á uma sem duas ao quilómetro 32 ao ultrapassar mais três atletas em grande ritmo o desviador traseiro deu o pedo mestre, acabando ali a minha prova com uma média a rondar os 26km/h e que prometia inicialmente um bom resultado.

Desviador XT já era..

Aproveitando as descida foi percorrendo cerca de mais um quilómetro ate encontrar dois homens que estava assistir á passagem do pessoal e que se prontificaram a me deixar á aldeia. Ali fiquei também a ver o pessoal, quando apareceu outra carrinha com mais duas pessoal que me acabou por dar boleia, concluindo a prova na mesma mas com 13 km á boleia..lol. Ali aguardei a chegada dos meus companheiros que acabaram por não demorar muito a chegar.
Fomos ao banho e depois á grande festa do BTT onde o almoço fora servido ao lado do campo de futebol debaixo de um grande chaparro animado com música ao vivo.


22 maio 2012

4º Maratona BTT Veiros

Após três semanas de pausas das provas, ou meias provas como lhe queiram chamar, aparece mais um fim-de-semana carregado de provas, onde a minha indecisão foi muita, pois existia a 3 provas. Em Forros de Vale Figueira onde tenho marcado sempre a minha presença e terra de bons amigos, e mesmo aqui ao lado era a IV maratona de Veiros, igualmente terra de bons amigos, grupo que deia algumas dicas para sua formação, terra natal do meu pai e causa de solidariedade para a filha do nosso colega. Com tantas causas acabei por ficar mesmo por Veiros. 

A manha começou por volta da 8 h, fui buscar a minha namorada e dei boleia o Carlos. 
Antes cairá uma grande "porrada" de agua, o que deixava pouco agrado de partir, mas o sol lá espetou e apareceu.
Á chegada levantei o dorsal onde o saco trazia produtos regionais tais como uma pequena caneca de barro e um frasco de mel.

A pressa lá me fui equipando sem grande tempo para conversas, pois a 9 horas estavam perto. Após o controle 0 lá entrei para a manga, ficando do meio para traz entre cerca de 200 atletas. 

Após um briefing onde houve ficou acordado uma alteração de ultima hora para a distância de 70km devido a um proprietário de um terreno ter bloqueado a passagem e ficou acordado que os atletas dos 70km iriam dar duas voltas aos percursos dos 40km e que seria a única solução. Após este acordo que não me agradou muito, embora eu tivesse para os 40km lá parti-mos com uma volta pela vila onde rapidamente ganhei muitos lugares, ficando junto dos primeiros, mas ao passar pelo local da partida tivemos que parar para ouvir que afinal o problema já tinha sido resolvido e que o percurso dos 70km mantinham-se.

Bonita foto esta do nosso alentejo
Então lá foi dada novamente a partida e logo a subir pelo alcatrão onde continuei a ganhar lugares. À entrada do campo já segui-a no grupo dos 15 primeiros, onde após alguma confusão numa queda de um atleta sem consequências numa zona de muita lama, consegui escolher o trilho melhor e sem demoras ganhei mais alguns lugares.

Solidariamente e sempre a prego pedalei cerca de 20 quilómetros com o grupo dos primeiros sempre debaixo de vista e outro grupo logo atrás sem dar margem para baixar o ritmo. 
Cerca do quilómetro 25 surgi-o a parte mais dura do percurso com um sobe e desce constante entre eucaliptos, onde o esforço de andar sozinho era cada vez maior e distância do grupo que vinha na minha roda era cada vez mais curta. 


Nesse local fui ultrapassado pelo amigo Nelson que está em grande forma física e que acabara por ser uma mais-valia para eu ir mantendo a distância, pois aproveitei a roda dele ate á divisão cerca do quilómetro 33km. Ainda faltavam cerca de 7km e as forças eram cada vez menos, mas lá foi pedalando com o pressentimento que ia"morrer na praia" quando entrei num estradão dentro de uma seara com um pouco de inclinação e para ajudar á festa o vento era de frente.

Acabei esse estradão sempre a ver o pessoal de traz cada vez mais perto da minha roda, quando entrei numa zona novamente mais fechada, voltei assim a respirar de alívio pois logo a seguir ao quilometro 41km estava a estrada de alcatrão onde ao longe avistei uma "miragem" a praça de onde partimos e local onde seria a meta/chegada. Conclui a prova na 2ª posição com uma média de 25km/h e um acumulado perto dos 600m entre 110 participantes (ver classificação).

Mais um bonito troféu para o meu palmarés

Esperei um pouco e foi tomar um duche. 
Após a chegada dos primeiros atletas dos 70km recebi mais um bonito trofeu em barra pintado, juntamente com mais o da maior equipa presente, no total 17 elementos.

Almoçamos conviva mente alguns elementos SDT uma bela canja e bifinhos com cogumelos e á vinda para Estremoz ainda fomos para espreitar a barragem, mas estava um barraca com uma festa no meio da estrada.

Em suma só me resta dar os parabéns a todo o pessoal da organização pela simpatia com que fomos recebidos, bem como uma palavra para o ano voltarem a realizar a 5º maratona, pois não tenho estava tudo impecável.

06 maio 2012

V BTT da Liberdade


A serie quinzenal de participação em provas continua, desta vez e pela primeira vez nas duas horas de resistência na vila de Assumar na V BTT Liberdade. Desta vez o meu companheiro de equipa foi o Pedro Guerra que tem por hábito dar-me sempre sorte nos bons resultados.

A manha começou por volta das 7:20h, onde á porta de casa o apanhei e carregamos a bike. Apos a cafezada lá seguimos em direcção á vila do Assumar, com uma manha carregada de muitas nuvens que ameaçava chuva. Á chegada com vagar e calma fomos levantar os dorsais onde o pobre saco trazia apenas um bidon.

Fomos equipando onde a dúvida seria o uso ou não de impermeável, enquanto íamos recebendo os parabéns e trocando palavras de alguns participantes da passada prova do Estremozbike que nos organizamos.  

Á partida estava cerca de 80 participantes divididos pelas duas e quatro horas, eu e o meu companheiro ficaríamos pelas duas. A partida foi dada dentro da pontualidade onde no primeiro quilometro partindo a todo o gás fiquei nos cinco primeiros, desconhecendo qual a prova que os primeiros iriam participar. 

A primeira parte do percurso constituído por cerca de 3 quilometro percorridos em single track feitos pelo pessoal da organização e composto por pequenos e inclinados drops, curvas apertadas e passagens estreitas, sendo uma mais valia para mim, pois dá-me muita pica pedalar em singles com características muito técnicas os restantes quilómetros foram por um estradão, duas subidas mais longas.. Na segunda volta ainda ia avistando os três primeiros tento o quarto participante mesmo á minha frente, principalmente na zonas dos singles onde nos juntávamos, mas acabado por se distanciar nos estradões, assim sucessivamente ate final.
A manha acabou por sorrir com o sol, sendo uma mais-valia á enxuga na zona dos singles que ficou logo deste a primeira volta muito pisada e com muita valas feitas pelas rodas. Ate final das duas horas com um ritmo sempre muito elevado o meu lugar foi fictício bem como a distância para o companheiro da frente, nos singles ficávamos juntos e depois voltávamos a separar. Nas 02h:11m que pedalei terminei na 3º posição a menos de um minuto do segundo participante, atleta esse que quinze dias antes tinha sido o primeiro a cortar a meta em Nisa, oito minutos antes de mim, acabado por me encher de grande esperança e moral para a próxima prova, com este resultado e principalmente a minha prestação e evolução, independentemente de mais um pódio que fiz. 

Pode ser o começar finalmente a limpeza ao pulmão, pois só lá vão apenas quatro meses depois do último cigarro. Como resultado do esforço fica a minha média final de 171 pulsações, nunca ate hoje feitas por mim. (ver classificação)

O meu companheiro e "amuleto de sorte" também fez um excelente resultado com o 6º lugar, mas menos uma volta que eu, entre cerca de 40 atletas a concluírem as duas horas.

Após um lavagem de bike foi a um banho de água fria e depois fazer tempo pelo almoço onde fomos convivendo e bebendo umas minis com os amigos e companheiros de Barbacena.


O almoço só fora servido por volta das 14h, onde trocemos mais uma bonito e original trofeu..

17 abril 2012

2º BTT AlenTTera (Nisa)


Já no passado ano tinha estado presente em Nisa na 1º edição, este ano resolvi voltar novamente, pois gosto muitos dos trilhos daquela zona. 

A manha começou cerca das 7:20h junto ao café Telheiro, onde antes apanhei a minha namorada que nos fora fazer companhia. Tínhamos combinado nos encontrar e colocar os suportes na viatura do A. Beja Neves, onde segui mais um elemento do SDT.

Com hora marcada para a partida as 10h, por volta da 9h chegamos a esta vila, onde calmamente levantamos os dorsais onde no saco trazia uma peça de barro e uma carteira.

Antes da hora marcada já estávamos colocados na manga de partida, conjuntamente com cerca de mais 200 participantes á espera da partida para a distância de 50km e 80km.

Com a partida á hora certa percorremos algumas ruas da vila, onde tentei colocar-me o mais perto das rodas do da frente, mas rapidamente acabei por ficar no segundo grupo perseguidor, muito por culpa dos cerca de 8 quilómetros muito rápidos percorridos em estradão. 

Assim foi indo em ritmo muito elevado onde reparei que na minha roda já não  tinham á vista ninguém,  quando de um momento para o outro aparece-me um grupo com cerca de 10 participantes a um ritmo avassalador. Fiquei estupidamente parvo comigo mesmo, pois não levava ninguém atrás como é que em menos de um quilómetro me deixo ser ultrapassar por um grupo tão grande!. 
Ao fim de alguns minutos em conjunto com alguns do que ficaram mais atrás é que reparei na cor dos dorsais e á conversa com um participante fiquei a saber que aquele grupo era o da frente e que se tinham enganado.., ficando mais descansado.
Visto isto passamos por uma bonita aldeia raiana cheia de muito publico e já minha conhecida, pois já terá passado na prova dos trilhos da Açafara em 2009. Após a passagem veio o a parte mais espectacular  e muito técnica do percurso, percorrido inicialmente entre muros e pedras e depois mesmo á beira do Rio Tejo em single Track em ravina, mesmo á beira do rio (antigos caminhos do contrabando). 
Ganhei mais uns lugares e cerca do quilómetro 30km sugio a mudança de percursos numa serra com muitos eucaliptos, onde virei para os 50km e na longa subida ganhei mais uns lugares, ficando colado a mais três participantes, seguimos os quatro em conjunto por mais uns quilómetros e eles á minha boleia, até chegarmos a uma zona com duas duras subidas e muito inclinada, deixando para traz dois atletas. 

Após superarmos aquelas duras subidas ficamos os dois seguimos muito perto um do outro, ora passava eu ora ele, aos últimos 3km ficamos novamente juntos onde tentei puxar, só que o desgaste já era enorme e as "piranhas" começaram a colar-se ás pernas. Com muito sacrifício lá continuei o ultimo quilómetro antes da meta onde cortei no 5º lugar em 49km com o tempo de 02h:07m e um acumulado acima dos 900m de subidas entre 108 participantes (ver classificação).

(Que gesto seria este!!!)

Á chegada após sair da bike fiquei "colado" ao chão, pois as pernas bloquearam com a cambrias e tive de esperar algum tempo até "desprenderem".

Aguardei pela chegada dos meus companheiros, tomamos duche e fomos almoçar massa com carne, bem bom aquela hora.


Para segunda edição deste evento a organização ainda tem muitos aspectos a melhorar..