02 novembro 2016

II MARATONA A PARES

Talvez uma das ultimas prova minhas de 2016 onde desta vez fora em dupla, a semelhança da primeira edição em Terena.
Desta vez o meu companheiro foi o Eduardo, apesar de ja algum tempo sem andar de bike não abdicou da boa vontade em querer ser o meu parceiro...
SDT em grande com seis duplas e meia...
Neste envento o SDT apresentou-se com seis duplas e meia

O ponto de encontro fora na Gloria as 7:30h onde a manha fazia alguma "caras", ora sol ora indícios de chuva.

Á chegada levantamos os frontais e nas calmas nos equipamos. Para este evento estavam cerca de 60 duplas confirmadas.

Independente da concorrência que era muita, o meu objecto principal, apesar de não gostar deste tipo de eventos era fazer parte da família SDT e usufruir do convívio, pois tinha a consciência que o meu companheiro estava sem ritmo e pouco tinha andado de bike.

Primeiros quilometros já se geria o esforço!!
Saída do fim, pois sabia que não ia ganhar nada em sair na frente da corrida, só iria prejudicar o meu companheiro.. Primeiros quilómetros rápidos em sobe e desces curtos onde fui na frente do meu companheiro, controlando o ritmo, mais baixo para que conseguiremos terminar os 60km estipulados pela organização com cerca de 1000m de acumulado subidas.

Durante esses primeiros quilómetros fomos avistamos algumas duplas a nossa frente, mas com o passar dos quilómetros ficamos praticamente isolados nas primeiras vinte duplas, nem passávamos, mas ao menos também não fomos passados.


Tão folgado que estava nem #senti" a inclinação destas subidas..
Cerca do quilometro 25 o Eduardo começou com problemas me mecânicos o quem que fez ainda trocamos de bike durante alguns minutos, a partir dos quarenta é que já não podemos trocar de pernas... Pois para ajudar o meu companheiro foi mesmo a baixo, com ele mais uns lugares perdidos, no inicio onde começava a maior dificuldade física, com uma sucessão de "paredes" numa zona mais serrana. Ate tive tempo de parar no último abastecimento e beber dois copos de cerveja enquanto o meu companheiro seguia a sua viagem, a faltarem dois quilómetros para o final voltei a alcança-lo.
 Ao fim de 03h:17m curtamos finalmente a mete no 23º lugar.. 
Pouco depois chegaram os restantes companheiros SDT, lavamos as bike e almoçamos na tenda junto a logística toda...

Em suma do evento gostei muito do percurso deste ano escolhido pela organização, muita variedade paisagística, passagem junta ao grande lago do Alqueva (Guadiana), singles traks, passagens técnicas e zona serrana... Alem disso sempre um grande número de staff espalhado pelo percurso. Só acho que as fitas deviam ser maiores e as placas de direcção também. Os meus sinceros parabéns a toda a organização pela exelente manhã que passamos a fazer uma das coisa que mais gostamos.. pedalar... 

16 outubro 2016

4º Prova AZM by 33 Cl Bike

Quarta e última prova do troféu Associações Zona dos Mármores apesar de eu só ter tido disponibilidade de ter participado na prova anterior que foi organizada pelo SDT, sendo esta igualmente realizada no domingo de manha acabei por participar na prova de Borba organizada pelo 33Cl Bike.

Família Sobe e Desce Team, juntos somos os melhores... 
A saída em direcção á cidade Borba foi as 8:30h, sendo relativamente perto de Estremoz e com a partida do evento marcada para as 09:30h não precisava de ir muito cedo. Mais uma vez tive a companhia e apoio da minha esposa e filha bem como mais nove elementos Sobe e Desce Team a participar..

Neste tipo de eventos não costuma haver muitos adeptos das provas de resistência, uns por acharem monotmo, outros por serem poucos uma questão classificativa e levarem o bigode daqueles que mais criticam...

Independente disso as 09:30h fora dada a partida para os cerca de 40 atletas, onde mais uma vez o objectivo era o pódio desta prova, pois ao troféu era impossível chegar ao terceiro lugar pela insuficiência de pontos, pois por mesmo que ganhasse não chegavam para o terceiro lugar do trofeu, já que este mesmo atleta estaria a participar e iria amealhar mais uns pontos...

Percurso este já por mim conhecido, com cerca de 6km, cerca de 90% era do ano passado, mas invertido e mais urbano, com escadinhas para descer e subir, zig zag apertados e rampas de cortar a respiração onde metade do percurso era a subir, metade a descer..

Foto em família que sempre me tem apoiado e motivado
Saída a fundo por parte dos quatro elementos que rodaram juntos nas três primeiras voltas, onde apesar de avistar a frente da corrida tinha mais dois adversários colados a minha roda.., mas como este evento não nega o nome "Resistência" o meu objectivo era manter o ritmo da primeira a ultima volta e não foram precisas muitas para passar a terceira posição onde na quarta volta já seguia isolado nesse lugar com cerca de uma hora pedalada.., sabendo que muito dificilmente conseguiria ganhar mais um lugar a minha preocupação foi manter esse mesmo lugar e ganhar mais distancia dos adversários atrás...
Pelo meio ainda tive duas paragens forcada com a corrente a saltar, mas estando numa posição isolado nunca coloquei o meu pódio e risco, e assim dois minutos depois das duas horas cortei a meta na terceira posição com oito volta..

Mais um pódio com especial atenção a minha filhota
Objectivo comprido aguardei pela chegada de todos os participantes para efectuarmos a entrega de prémios, a desta prova bem como os restantes do troféu final da soma dos quatro eventos...

Após a cerimónia de entrega de prémios feita pelos elementos das direcções das Associações organizadoras finalmente podemos tomar um duxe e dirigirmos a cantina, local do almoço conviva. No final ainda ouve tempo para irmos conhecer as futuras instalações da Ass. 0,33 Cl Bike e beber mais umas litrosas...

Os quatro responsáveis pela organização  do troféu AZM que tanta dor de cotovelo trouxe ao de cima!!

Em suma da organização desta ultima prova só tenho a dar os parabéns a todo o staff pelo excelente e exigente percurso marcado e orientado, bem como almoço e simpatia.. 




14 outubro 2016

XII Maratona BTT Trilhos do Raia

Já alguns meses que aceitei este desafio por parte e um elemento do SDT, evento por mim desconhecido, mas segundo os média do BTT e antigos  participantes, Idanha a nova é elegida pelo catedral do BTT.

Com tanta especulação não quis ficar de tao grande evento, efectuado a inscrição e confirmação a meados do verão. Já que havia mais interessados do SDT, acabamos por ir de véspera, assim sempre deu para conhecer melhor aquelas aldeias envolventes, bem como o convívio.

Assim sábado de manha sai a caminho do Fundão com a família, noutra viatura segui-o a família Rato, a fim de nos juntarmos com mais dois elementos que foram na sexta-feira, o João Dias, Pedro Guerra e as damas que estavam hospedados no Fundão. Eu tinha hotel marcado em Idanha e o A. Beja Neves nos arredores.

Apos uma noite mal dormida na pousada do Juventude, muito por culpa do barulho que fazia com que a minha pequena acordasse varias vez durante a noite, as oito e pouco depois do rápido pequeno-almoço já estava pronto para seguir para o local da partida, situada a cerca de 1km de onde ficara a pernoitar. Antes ainda fiz a entrega dos frontais ao João Borralho que veio no dia e assim entregou os frontais aos restantes elementos.

Vinte e cinco minutos antes da hora já estava na zona de partida praticamente na frente onde o nevoeiro teimava em não desaparecer. Considerada com a catedral estavam confirmados cerca de setecentos participantes, um número considerável, onde tínhamos duas distâncias, 55km e 90km. Escusado será dizer que fui para os 55km.

As nove foram lançadas a partida onde percorremos em asfalto atrás da GNR cerca de 5km, onde consegui manter na frente... A saída do asfalto o terreno era muito rolante com algumas pedras e muito" kamikaze", o que preferi descolar alguns metro do pó e dos trapaceiros...
Apos alguns quilómetros rápidos começaram a surgir algumas subidas e paredes a descer, onde me mantive a posiçao. Ao quilómetro 13 seguia na cauda grupo com cerca de dez elementos na frente e poucos já restavam atrás...
Mais uns quilómetros e surgi-o a separação, onde a minha frente apenas seguiam dois elementos, embora desconhecendo a minha posição apos separação tinha em mente recuperar aqueles dois lugares... Assim mantivemos a distância mais alguns quilómetros, ate que consegui "colar-me" a eles sentido que estaria nos primeiros lugares, devida aos poucos rodados no piso, mas cerca do quilómetro 30 surgi-o outro atleta, mas também surgi-o uma subida longa que consegui manter-me colado nos dois da frente, deixando um dos atletas para traz... Assim seguimos os três onde surgio uma zona de single que sempre dei para baixar o ritmo e aliviar as pernas da cambrias que estavam a começar, e ainda tinha quase 15 quilometros pela frente e esperado a subir.
Lentamente fui perdendo distancia para a dulpa da frente e mais ainda perdi quando deixei cair uma ampola de magnésio numa zona rolante ao lado da barragem (então ou parava apanha-la e bebe-la, ou seguia no encalce da dupla...), mas preferi julgar pelo seguro. Parei e voltar a traz a bebe-la, onde a minha maior preocupação deixou aí de ser alcançar a dupla a frente, mas sim não ser passado...
Passamos a barragem conhecida do festival Boom e entramos nuns single difíceis por serem a subir, a subir foi os últimos três quilómetros dentro da parte histórica de Idanha ate a meta, onde pode respirar de alívio ao cortar a meta após 55km no 3º lugar da geral entre quase um milhar de participantes naquela distancia a cerca de dois min. da dupla da frente..

Recuperei durante alguns minutos e fui tomar banho, onde constatei que a dupla vencedora eram da mesma equipa e do mesmo pais, Espanha..

Por ali aguardei a  chegada do meu pessoal para depois irmos mesmo junto ao local da chegada, onde tivemos que aguentar ate as 15 pela entrega dos prémios.

Apos entrega de premios fomos queimar as calorias do porco no espeto em numa caminhada pelas ruas de Monsanto ate ao castelo..

Em suma para catedral o BTT na minha opinião pessoal como organizador de um grande evento Estremozbike, ficou muito longe das expectativas, apesar das boas marcações existia um enorme vazio de staff, dois abastecimentos, o percurso também não achei nada de magnifico o que valei a pena foi o valor da inscrição com jersey e almoço..


Valeu o fim de semana bem passado entre família e amigos...

"Juntos somos os melhores" 


12 outubro 2016

3º Prova AZM by Sobe e Desce Team

Este foi um evento com a marca SDT, prova esta de resistência e a terceira do Troféu Zona dos Mármores.
Inicialmente não tinha como objectivo a minha participação nesta prova, mas na ausência de participantes acabei por fazer parte do cerca de trinta inscritos, mesmo estando com uma "ressaca" de constipação e quase 15 dias sem andar de bicicleta, iria dar o meu melhor para levar as cores do meu clube o mais alto possível.

Ainda em Cannondale 29 F1
Este vento fora realizado na freguesia da Gloria a cerca de 10km de Estremoz onde o percurso era composto por cerca de 8km de diversidade paisagística e duas subidas para fazer a diferença.

A partida fora as 10h, onde uma manha de sol e temperatura amena foi a cereja no topo do bolo...
Como era de esperar, duas horas em resistência seriam sempre em ritmo elevado e ao fim da primeira volta já estava isolado na segunda posição mesmo atras no primeiro, onde nas zonas mais rolantes perdia alguns metros e nas subidas voltava a recuperar a distância.
Na segunda volta manteve as posições ganhado mais algumas centenas de metros para os atletas a traz.
A cerca de um quilómetro da conclusão da terceira volta, a roda traseira deixou-me a pé com um rasgão no pneu...

Sem meios para fazer alguma coisa a primeira coisa que me passou foi encostar a bike e desisti...,mas só ainda tinha cerca de 40min pedalados o que era muito pouco para ganhar preparação para mais uma serie de eventos que se avizinhavam...
Já na cannondale scalpel
Então desatei a correr com a bike em direcção a meta a um quilómetro a ver se arranja algum bike emprestada ou câmara de ar, voltando a reviver a resistência de Vila Viçosa em 2013.
Pouco antes de chegar a meta é que passou por mim o terceiro e quarto classificado da resistência, ao constatar já a enorme diferença ainda mais vontade me deu de voltar a prova...
Esperei e desesperei mais uns minutos até que passou o Rúben ao qual lhe ”roubei” a bike...
Continuei onde mantive o ritmo de prova elevado com o objectivo de chegar ao pódio e recuperar alguns dos lugares perdidos...

Pódio com a minha Maria Leonardo
A quinta volta alcancei o quarto classificado onde fizemos junto quase mais uma volta, sem conseguir descolar, onde  as dores nas costas e as cambrias estavam acabar comigo, devido ao selim ser mais alto, mas quando tudo pensava que o meu esforço fora em vão no ultimo terço da volta consegui alcançar o terceiro lugar e com ele ignorar todas as dores, acabando por ganhar uma grande distancia no final e acabando mais que merecido 3º lugar, mostrando assim a minha enorme garra e vontade de vencer...

No final quem foi o vencedor foi a minha associação de BTT que realizou mais um grande evento de BTT, onde a quantidade por vezes não interessa, mas sim a qualidade...  




05 outubro 2016

7ª Maratona "no trilho do Lobo"

Com o pensamento mais virado para a semana de ferias que estava á porta do que o BTT, ainda participei em mais um grande evento, desta vez voltei ao trilho do lobo, Rossio ao Sul do Tejo..

Com a minha confirmação logo desde o inicio da abertura das inscrições, devido a ordem de saída das boxes não seria desculpa para perder lugares na saída na frente da corrida.

Saída de Estremoz dentro das 6:30 em direcção Abrantes, onde tive a companhia da minha esposa.. 

Chegada dentro das 8h, fui levantar o frontal sem confusões nem tempo de espera..
Antes da saída a conversa com o companheiro Tiago Martins
Equipei-me lentamente na duvida de ir de jersey ou casaco, pois estava uma manha fresca. Decide a jersey, entrado na primeira boxe 15min antes d hora, onde ainda poucos participantes aguardavam a saída. 
Pouco e pouco as duas boxes encheram com cerca de duas centenas de atletas com a escolha de duas distancias, 30km e 60km.

Após primeira subida...

Saída lenta traz de um viatura da organização por cerca de 2km, o que permitido que muitos atletas mais atrasados chegassem a viatura e com tanta confusão abalei por ceder muitas posições na esperança de rapidamente as recuperar, o problema foi que na saída do asfalto para o campo, surgio de imediato uma subida longa que fez alguns afunilamentos.. 
Lentamente na subida consegui recuperar muitos e muitos lugares, entrando de imediato num magnífico single junto ao rio Tejo que acabou por continuar a por-me "travão", pois o single era técnico, estreito e não consegui ultrapassar nem recuperar tempo para a frente, pelo contrario.

A Saída do single já com serca de 10km percorridos encontrava-me num com cerca de uma dezena de atletas no encalço do pequeno grupo da frente da corrida. 

Ali surgiram uma subida curtas e inclinada pelo meio de eucaliptais com piso de muita pedra solta.. Mantive-me naquele grupo por uns bons quilómetros, onde aos poucos fomos deixando elementos para traz.. Cheguei a encarar a cabeça do pelotão, mas com mais um par de singles voltei a perder tempo para a frente...

Ultimo quilometro com uma passagem magnifica para o Tejo
Com tudo faltavam cerca de 10km para o fim e tinha a sensação que a minha posição estava muito longe das minhas capacidades, pois alem de ser dia nao a cabeça esta com pensamento nas merecidas ferias...., apertei em mais uma subida, pois era onde me sentia mais forte em relação ao adversário e recuperei alguns lugares, ate final foi a dar o máximo (o que me faltou no inicio) e recuperei cerca de quatro posições, uma delas alguns metros antes curtar a meta ao fim de 33km no 5º lugar da geral a cerca de dois minutos do primeiro, e menos de um minuto do 1º lugar do meu escalão.. 

Mais uma lugar no pódio antes das merecidas ferias
Estava assim comprido mais um objectivo, pódio novamente no Fojo, local onde nos últimos anos tenho conquistado sempre troféus... Aguardei por ali bebendo uns recovery ate a entrega dos prémios  com alguns sempre simpáticos elementos do staff.

De banho tomado foi para o local do almoço onde calmamente comi e repeti vezes sem conta as imperiais..lol.

Em suma de volta ao trilho do lobo, só me resta dar os parabéns a toda organização pela manha bem passada no btt. Percurso bem marcado e assinalado, onde havia sempre muito pessoal do staff acompanhar e prontamente assistir. O percurso tinha de tudo um pouco o que fez a delicia dos participantes, principalmente muitos e muitos singles...  
Só me resta agradecer o carinho e simpatia com que mais uma vez fui recebido por alguns elementos do staff ;-)...

15 setembro 2016

7º Maratona BTT Barbaris

Este evento ficou logo marcado na minha agenda, assim que soube que este ano o BTT Barbaris iria realiza-lo novamente, depois de um ano de interrupção…
Pois alem de ser socio desta associação, sinto um grande carinho, simpatia e apoio desta massa associativa…

Como tal e mais uma vez tinha em mente subir mais uma vez ao pódio de Barbacena, seja á geral, seja no meu escalão, embora em todos os evento que participe tenha esse mesmo espirito, em Barbacena era especial pois é do locais onde sou mais bem tratado, por isso queria responder com bom resultado indiferente ao adversário..
Com o frontal já levantado pelo padrinho Pedro Guerra a saída de manha seria sem preocupações de perca de tempo na fila…

As tropas SDT
Tive como companhia as minhas fãs, a minha mulher e da minha filha, onde as 07:15 fomos ter ao ponto de encontro  SDT no centro de Estremoz, onde  acabei por dar boleia ao Carlos B.

Desta vez o meu SDT contou com onze elementos divididos pelos 45km e 65km.. onde a maior dificuldade em ambas as distancias seria o muito calor esperado para este dia… 

Chegada pouco depois das 8h, onde me equipei rapidamente, e cerca de vinte e cinco minutos já estava perto do arco de meta, embora ainda tivesse muitos atletas na frente, estava num lugar “confortável”, onde mantive conversa com alguns elementos da rota Ossa e de outros grupos meus conhecidos… 

As nove em ponto foram dada a partida para cerca de tres centenas de participantes, que em grande velocidade seguimos atrás de um jeep da organização cerca de dois quilómetros em alcatrão… 

Quando saímos fora do asfalto e entramos no pó, já estava colado no grupo da frente de corrida, composta por cerca de dez elementos..
Passagens isolada no AB Terrugem
Num percurso rápido, seguimos os mesmos onde fomos trocando posições, onde cheguei por duas vez assumir a cabeça de pelotão durante alguns minutos ate cerca do quilometro 15.., onde passei de líder do grupo a ultimo.. Nesse ponto surgi-o a subida as antenas de Vila Boim.., onde seguia na roda, mas notei que tinha capacidade para ir novamente na frente do grupo. E assim o fiz, baixei a cabeça e pus o rabo na ponta do selim, ultrapassando quase todo o grupo, excepção de um elemento que seguia na frente e lançou o ataque antes do meu e isolou-se na frente sozinho… Quando terminei a subida, espreitei por baixo do braço e reparei que não tinha ninguém colado na roda, então numa pequena descida técnica em single e alguma centenas de metros de alcatrão dei o máximo onde com cerca de 15 km já estava isolado e avistar o primeiro lugar, desconhecendo a sua distancia…

Finalmente Barbacena
Assim segui com os dentes “serrados” a dar o máximo nas descidas e subidas com o calor começar a sentir-se..,  ate ser o abastecimento na Terrugem com cerca de 30km continuava isolado e cheio de motivação com apoio da organização, mas ainda faltavam cerca 15km ate Barbacena e as pilhas estavam a começar a entrar na reserva.. 
A separação surgi-o cerca do quilómetro 33 onde o atleta que seguia com pouca distância na minha frente segui para os 70km. Responsabilidade acrescida, por estar no primeiro lugar dos 45km, só que ainda faltavam 15km o meu desgaste físico estava aparecer com as cambrais e principalmente numa zona de alqueve de quase um quilómetro com inclinação e sem uma sombra, onde pensei em encostar a bicicleta e desistir pois tava quase no meu limite…, mas como dos fracos não rezam a história “pedi interiormente” força e consegui superar aquele deserto, bem com mais um adiante em piso canelado de pisado de tractor …

Com cerca de 45km já percorridos finalmente tive uma miragem, os telhados de Barbacena e a mota com um elemento da organização que me aguardava perto do alcatrão e me levou até cortar a meta isoladíssimo no primeiro lugar e fazendo um doble (1º geral e  1º escalão), um prémio mais que merecido após 47km em 01:47h …

Mais um trofeu de Barbacena
Ainda dei uns palavras ao microfone, onde dediquei a minha vitoria a família, mais  em concreto a minha mulher e a minha pequena Maria Leonardo, bem como umas palavras de apreso organização
Foi ao banho e aguardei pela restante comitiva SDT… 
Cerca das 13h veio a melhor parte, onde também costumo ganhar, o almoço… Com o salão á pinha fora efectuado o sorteio de prémios e entrega dos trofeus… onde resisti ate cerca das 18h.

Em suma só me resta agradecer o carinho e apoio de toda organização BTT Barbaris, bem como dar os meus parabéns pelo excelente evento boas marcações, bons abastecimentos e pontos agua, boa assistência e melhor almoço, são uma mão cheia de argumentos para sairmos felizes e voltarmos para o ano se houver!!!
…, em relação ao percurso, sei que muita gente critica, mas isto é Alentejo e é o que existe nos arredores, não podem fazer oásis..

Parabéns companheiros...