24 maio 2017

9º Maratona Coruche

Pausa de quinze dias e para não perder ritmo fiz a inscrição e confirmação na 9º Maratona de Coruche, evento este onde nunca tinha participado, assim juntava o útil, ao agradável.

Para este evento o SDT apenas teve a participação do A. Beja Neves e em cima da hora a do L. Bilro que me acompanho deste as 6:45h, hora da saída em direcção a Coruche.

Chegada perto da 8h, onde fizemos o levantamento dos frontais sem qualquer engarrafamento ou demora. Como brinde um saco plástico cheio, com dois quilos de arroz, uma garrafa de vinho, uns aperitivos e um carregador usb para isqueiro do automóvel. Tudo coisas úteis e consumíveis.

Descontraidamente e com tempo para a saída que estava marcada para as 09:15h fomos nos equipando.
Antes das nove entrei no controle 0, onde me entregaram uma pulseira de silicone com um chip inserida, e onde já muitos atletas estava juntos a linha de saída, no total cerca de três centenas de participantes, divididos pelos 70km,40km e 25km.
A saída com início atrás da viatura da GNR fora percorrida logo a subir ate ao castelo, que reagrupou os mais fortes na frente. Eu não foi exepcão, conseguido nos primeiros 3 quilometro me aproximar da frente da corrida, frente que me parou na passagem por uma mata, onde só passava um de cada vez, tento eu cerca de quinze atletas na frente acabei logo ali por perder o contacto com a frente..
Passagem afunilamento desfeito, em terreno plano era tempo de tentar recuperar posições. Os primeiros 15km foram pedalados com uma media de 30km/h, onde consegui recuperar alguns lugares e trazendo mais uns tantos na roda á “mama”. A meio do percurso estava a parte menos rolante, com uma zona mais técnica de singles e uma zona de subidas, embora de pouca dificuldade. 
Foi nessa zona que consegui alcançar mais alguns lugares e ficar isolado com outro atleta. Atleta esse que até final fomos sempre juntos, ora passava um para a frente, ora passava o outro, deixando cair a toalha a três quilómetro do final quando as cambrias começaram apertar.
Mesmo afim cheguei praticamente com o mesmo tempo dele, embora desconhecendo a classificação final, fim de 42km com o tempo de 01h:32.

Entreguei a tida pulseira e foi me informar do lugar, onde consegui o 5º lugar a geral e 3º do me escalão.., mantendo assim a tradição do 2017 e subir ao pódio, apesar de este tipo de percurso não sei o meu forte.
Todo o percurso esteve muito bem marcado, sinalizado e com muito o pessoal da organização presente.

Após subir ao pódio e receber mais um troféu de cortiça fomos almoçar, onde desta vez trocamos o almoço do evento por um restaurante.


Tenho agradecer a simpatia e disponibilidade das gentes dos Crancks do Pedal , principalmente do José Pimentel, que organizaram um excelente evento e nos proporcionaram uma bela manha de BTT.

10 maio 2017

Maratona de Castelo de Vide e Marvão

Após quase um mes parado dos eventos BTT, retomei a minha participação na maratona de Castelo de Vide e Marvão, evento este que contou dois troféus inseridos na mesma prova, a 2ª prova da taça de XCM e a 3ª do troféu Beira Interior, alem deste troféus existia a categoria Race (promoção) de 45km e 65km, prova com outra classificação á parte.

Eu e mais quatro companheiros SDT participamos na distância de 45km. Saída de Estremoz as cerca das 08h da matina, já que o horário do regulamento da partida da nossa categoria era as 10h. Fomos com tempo para tudo.., até para começar-mos apanhar aguaceiros antes de chegarmos a Castelo de Vide, que gradualmente foi engrossando.
Na esperança de abrandar, fomos á chegada levantar os frontais, onde apesar de estar dividido por categorias o secretariado estava muito lento..Fomos deixar o carro junto a zona dos banhos, onde abrigado debaixo de uma  alpendurada fomos nos equipando onde a chuva teimava em nos acompanhar.

Perto das 9:45h, debaixo de aguaceiros, dirigi-me para a zona da partida, quando de repente cai uma enorme carga de agua acompanhado de vento forte.
O meu espanto quando vejo um enorme pelotão a partir e ao mesmo tempo ouço no micro anunciar era a partida dos restantes categorias. Passo a linha da saída onde estava confusão, pois alguns tinham frontais iguais á minha categoria, outro estavam abrigados debaixo de cafés e varandas.
Fiz uma centena de metros e debaixo de muita água e continuva na dúvida. Parei-me a questionar da hora da saída a alguns dos ultimos atletas, mas ganhei as mesma, não me responderiam, ate que aparecer a Mónica e o Bailão que me gritaram para seguir, pois a partida tinha sido alterada.

Continuando na dúvida, segui pelo alcatrão na cauda dos últimos, onde ponderei em voltar para o carro e não fazer o evento, mas como a vontade de pedalar e de "sofrer" era tanta foi passando pessoal atrás de pessoal, logo com cerca de 4km a subir.

A chuva abrandou e eu comecei apanhar engarrafamentos nos singles muito técnicos de muita pedra molhada. Nas poucas aberturas que tinha arriscava as passagens vertiginosas, pois era a única maneira de recuperar tempo para a frente, mesmo assim perdi muito tempo.
Após cerca de 7 km já em estradão alguém que vinha na minha roda me gritou a dizer que devia ser o primeiro da minha categoria. Já sem chuva, ganhei uma alma nova e continuei em grande velocidade começando a ultrapassar muito pessoal federado da XCM, ate perdi um bidon numa zona mais acidentada, coisa que nunca me tinha acontecido.

Percurso que ate cerca de 5km para o fim foi sempre muito rápido, sempre bem marcado e assistido por elementos da organização, onde perdi a conta a quantidade de atletas que ultrapassei..
  
Os últimos quilómetros foram em calcada romana onde ainda todos os percursos eram em comuns, sendo a separação cerca de um quilómetro da meta. Com o desconhecimento do meu resultado ao fim de 45km com cerca de 02h e 800m desnível cortei a meta (pela primeira x sem cambrias) onde já alguns atletas tinha chegado. Ouço o meu nome como primeiro atleta da categoria race..

E assim estava comprido mais um objectivo. Com a chave do carro do Guerra fui tomar um banho encanto aguardei a chegada dos meus companheiros.
Após sua chegada fomos ao almoço, este já inserido no valor da inscrição, onde tivemos a companhia dos amigos da Rota Bailão, Mónica e Paulino.

Após almoço fizemos tempo para a hora marcada da entrega dos troféus, que fora nos passos do concelho em comum com todas as categorias e escalões deste evento.

Em geral gostei muito do percurso, 5 estrelas, bem como toda a organização em geral esta de parabéns pelo esforço e dedicação para que o evento corresse pelo melhor, o S. Pedro não ajudou, e a falta de incumprimento do regulamento também nao. Um senão para a proximidade dos singles com o inicio.