28 setembro 2010

I Raid da Amareleja

Para este fim-de-semana tinha três provas previstas na minha agenda, mas apenas podia participar numa..

A primeira a dos trilhos megalíticos em Castelo de Vide ficou excluída por falta de pessoal e para mais em sábado, as outras duas eram no domingo. A de Alenquer e a da Amareleja. 
Como estavam dois elementos SDT confirmados para o Raid na terra mais quente do país e com o convite do amigo Humberto que pertence a organização acabei por acompanhar o meu pessoal SDT. 

A manha começou por volta das 6 da matina onde me fiz acompanhar com a minha namorada a fotoreport de serviço há boleia com P. Guerra e com o Calimero. 

A chegada foi pouco antes das 8 horas onde o sol teimava em aparecer e com uma manha muito fresca. Fomos dos primeiros a levantar os dorsais, onde ainda aquela hora existia muito nervosismo, sonolência e falta de experiência com o pessoal do secretariado. No saco vinha papelada, gel e champô de banho e uma t-shirt L que o pessoal se prontificou em trocar no final, caso eu não me teve-se esquecido. Lentamente fomos equipando com o calor aparecer. 

Um quarto de hora antes da partida já estava junto há partida na linha da frente a conversar com alguns betetistas meus conhecidos e amigos destas voltas, pois embora não houve muito pessoal confirmado na lista da net havia muitos que pagaram na hora havendo cerca de 150 divididos nos 50km do raid e do 25km do passeio. 

 A hora marcada ainda estava a chegar pessoal de carro, com que fez desportivamente que o pessoal aguardasse mais um pouco pelos atrasados. 
Após o brinfing um minuto de silêncio em memória a um companheiro de pedal e com quase 15 minutos de atraso lá foi dada a partida e logo para meu o azar começou com as mudanças a saltarem e logo de imediato a me atrasar para os lugares da frente... 

Entramos numa mata repleta de pinheiros com um sobe e desce constante e muito rápido onde rapidamente recuperei as posições perdidas há partida onde aos 8km já rolava no 4º lugar juntamente com mais 3 atletas..., onde nas decidas tentava ganhar tempo para os primeiros, decidas essas com muita pedra solta e valas, mas quis o destino que ao quilometro 11 e pela primeira vez o pneu trazeiro rebentou quando embati violentamente numa pedra... Desanimado vim andado a pé, onde uns metros mais há frente junto de uma estrada de alcatrão se encontrava pessoal da organização.
A espera de um companheiro do SDT

Esperei por um dos meus colegas do SDT a fim de me emprestarem uma bomba, na esperança que ao encher o pneu e que o liquido vedasse e assim concluísse a prova... Ao fim de um bom tempo passou o Calimero que só tinha uma bomba de CO2 e para que ele não perder tempo mandei-o seguir, esperei e desesperei pelo Guerra... não apareceu mas aparecei o Sr. Luís e por sinal penso que seria um dos últimos que gentilmente parou e me tentou ajudar, tentamos encher o pneu primeiro com CO2 que acabou não vedar, depois uma bomba com espuma que saio pelo rasgo e por fim deixo-me uma câmara de ar e seguido, só que eu continuava sem bomba... 
Como estava muito perto da Amareleja e preocupado com o Guerra que não passou ali, meti-me ao caminho pela estrada com o pneu quase vazio mas mesmo assim suficiente para chegar há meta onde não estava ninguém. 

Aguardei um pouco lá apareceu a Lúcia que estava detrás da barraca dos computadores onde me disse que o Guerra não tinha por ali ainda aparecido. Arrumei a bike no carro e voltei para zona da meta onde ao cimo da rua vinha o Guerra a pé mais outro participante também furado...


Tristezas não pagam dividas..viva á Sagres..
Fomos aguardado pela chegada dos primeiros e do Calimero o único SDT que concluiu a prova. 

Toma-mos duche nos novíssimos balnearios do campo de futebol e vamos a ver do almoço, mas antes percorrendo as várias ruas da Amareleja com um "empurra para cá, empurra para lá" custamos caro a dar com o local. 

O almoço foi servido na escola em self-service em boa quantidade e muito saboroso regado com umas fresquinhas e assistimos a entrega de prémios ate ao 10 lugar..,onde desta vez não me calhou nada, só mesmo a despesa de um pneu novo mais liquido que tive de substituir o quase novo rebentado e azarado... Em geral para primeira prova esteve tudo impecável, onde é de salientar a simpatia, acolhimento e disponibilidade do pessoal da organização.

Sem comentários: