10 março 2010

2ª Maratona de Tomar

Esta foi a segunda maratona da cidade de Tomar, organizada com a parceria de uma loja de bicicletas e com a Associação TT Minjoelho que contou com a presença de cerca de trezentos e cinquenta participantes antes da partida. 

A partida de Estremoz em direcção a Tomar ficou marcada para 6 da matina onde me fizeram companhia e representação do SDT o Carlos Bilro, João Garcia e o João Marques, bem como a sua família e a minha namorada Lucia.

A chegada fomos levantar os habituais dorsais sem grandes demoras onde o brinde eram uma t-shirt alusiva ao evento. 

A partida começara logo mal com meia hora de atraso, pois estava marcada para 8:45 e acabara por ser as 9:15 deixando os participantes muito impacientes, pois as condições climatéricas eram de frio e ameaça de chuva. Após alguns assobios lá foi dada a partida onde já tinha conseguido um lugar mesmo há frente, partindo nos primeiros onde demos uma volta por dentro de Tomar. 

Á saída do alcatrão começou logo o lamaçal que já era de se esperar devido á grande quantidade de chuva que tem caído nos ultimos dias. O que não era de esperar era as más marcações do percurso onde as fitas faltaram em alguns pontos que fez com que os participantes se perdessem várias vezes. 

Esta prova começou logo mal para mim quanto nos primeiros quilometro dei pela falta do meu contra-quilometro sigma que me tinha custado os "olhos da cara", bem como na minha estreia das piratas que as rompi num pau... 

Os quilómetros foram passando e eu ia beneficiado do grupo que seguia a minha frente que algumas vezes se iam perdendo, onde o percurso estava muito pesado, com subidas curtas mas duras e um single espectacular, muito técnico mesmo ao lado do rio Nabão. 
A ausência de placas de direcção e placas de perigo também foi uma nota negativa pois simplesmente não existiram bem como uma viatura de primeiros socorros nem pontos de controlo. 
Dos melhores momentos do percurso
A meio do percurso qual o meu espanto quando o pessoal da minha frente (cerca de 10 elementos) estavam parados e não encontravam as fitas. 
Seguimos todos juntos por mais uns quilómetros sem marcação há espera de as encontrar..,mas nada e tivemos que voltar novamente para traz onde o pessoal que vinha atrás começou-se a juntar naquele ponto. 
Esperamos mais um pouco, até que apareceu uma moto da organização e este também não sabia por onde devíamos seguir... 

Esperei mais um pouco e o grupo começou cada vez a aumentar mais com mais. Por estar parado comecei arrefecer, onde voltei uns metros mais atrás com mais 2 ou 3 companheiros, que acabaram por seguir em direcção a Tomar pelo alcatrão. Eu com a esperança de encontrar as fitas mais abaixo e aproveitar que o pessoal estava todo parado mais acima, mas em vão.., pois acabei por ter de voltar novamente para o local onde nos tínhamos perdido, local esse onde já estava uma pessoa da organização com um jipe indicando ao pessoal o caminho certo...

Ate final fui recuperando algumas posições que já me tinham pertencido, bem como me voltei a perder mais a frente novamente. 
Os últimos quilómetros filos com mais um companheiro, onde a entrada em Tomar foi feita sem marcações pelo trânsito local, onde reinada a marcação do "desenrasca",cada participante ia chegando há zona da meta vindo de direcções diversas  o que demonstrou mais uma vez a falta de organização. 

Tratamento de beleza á pele
A minha chegada, nem cortei a meta, ficando logo ao pé da minha namorada, apenas mostrei o dorsal de longe, pois tinha-me já caído durante a prova.

Mesmo com tanto azar consegui o 15º lugar com o tempo de 2h:57mim onde grande número de participantes acabou por desistir e outros mesmo nem se quer cortaram a linha de meta

Outro erro após a chegada foi a falta de lavagem de bicicletas onde a quantidade de lama nas nossas máquinas e em nós era mais que muita e que necessitavam de ser lavadas, tive de ir a uma estação de serviço e pagar 1€... 

Após o merecido banho foi tempo de ir repor as energias no almoço que fora servido na freguesia de Minjoelho a alguns quilómetros de Tomar e onde tivemos muitas dificuldades de encontrar o local... 
O almoço fora servido debaixo de uma alpendorada em self-service por pessoas e familiares da associação TT. 

Em resumo fica na memória os magníficos trilhos na zona de Tomar, bem como a má marcação/sinalização dos mesmos.

Sem comentários: