11 fevereiro 2010

2ª Maratona BTT Vencer o Cancro

Esta maratona contou com mais de oitocentos participantes, que aderiram em massa a uma causa humanitária e que fizera render com suas inscrições cerca de 1600€ para a União Humanitária dos Doentes com Cancro e que contou com alguns nomes bastantes conhecidos do ciclismo nacional, como por exemplo o Vítor Gamito e o Marco Chagas este ultimo que apadrinhou esta iniciativa. 

Não podia ficar de fora desta maratona e que servir de teste para a preparação física neste inicio de ano após ter engordado mais de três quilos em Dezembro... 
A partida fora feita as 5h:30m da matina e me fiz acompanhar com a minha namorada, o amigo e senhor José Albano que foi visitar o primo que mora em Salvaterra, e mais dois elementos e colegas do SDT, o Pedro Perdigão e o Carlos Bilro. 

Á chegada fora feito o habitual levantamento dos dorsais rapidamente sem confusões e filas, pois também fomos dos primeiros a chegar, onde as ofertas ficaram um pouco a quem das expectativas (um saco da antena 1 que continha um lápis, uns pesos para as borregas, uma t-shirt da sport zone e os habituais folhetos...). 

No controle Anti-Doping
Esta maratona contou com dois percursos, a maratona de sessenta quilómetros, e a meia maratona de quarenta quilómetros ontem estiveram presentes os nossos atletas estremocenses, pois nesta inicio de ano a preparação física não é ainda a melhor. 
A partida fora as 9 horas e 30 minutos em ponto para os trezentos e um participantes da maratona e meia hora mais tarde partiram os quinhentos e cinquenta e cinco participantes que terminaram a meia maratona, percurso este onde eu participei bem como o pessoal do SDT. 

Antes da partida do pessoal da maratona já eu estava há porta do controle zero mais o meu amigo Nuno Sequeira do Algarve, á espera que abrissem o controlo para sermos dos primeiros a ir para a manga da partida, já que a quantidade de participantes era elevada. 

As 10:00 horas e após o habitual briefing e a entrega simbólica do dinheiro angariado nesta prova ao responsável pela U. H. Doentes com Cancro, foi dada a partida, onde eu estava distraído demorando arrancar, perdendo alguns lugares tão preciosos logo ao inicio. 

Logo ao fim dos primeiros quilómetros onde a media de velocidade eram muita já me estavam a fartar/aborrecer do percurso, pois era só estradões sempre muito longos e parecia não ter fim, compostos por mais de 70% de piso de areia e em algumas zonas autênticas praias que se tornou mais difícil tecnicamente. 
paisagem fora monótona e triste e por vezes vinha uma brisa de mau cheiro derivado há enorme quantidade de vacarias que existem naquela zona, as subidas foram escassas e se não se subiu também não se desceu. Como prova disso ficou no final apenas um acumulado de cerca de 150 metros. 

Uma das zonas piores
Os quilómetros finais foram quase todos feitos por alcatrão, há excepção do quilómetro final numa zona muito saturada de lama/barro e que com alguma experiência e manhosice consegui ganhar mais três lugares no imenso lamaçal...

Durante quase todo os quilómetros poucos atletas passeio e me passaram, onde destaco a grande forma do Sequeira que andou quase sempre há minha frente. 

A sinalização/marcação de todo o percurso poderia ter sido melhor, já que muitos participantes acabaram por se enganar. 
Há chegada onde no final o vencedor foi o Vítor Gamito consegui a 20º posição com o tempo de 1h:43m, e onde finalmente as cambrias me deram descanso. 

O resto do meu pessoal SDT também obtiveram uma prestações bastantes positivas ficando entre os cem primeiros em mais de meio milhar de participantes sendo e tendo em conta que este tipo de terreno menos favorável e o grande numero de bttistas presentes. 

Os banhos foram no complexo desportivo e o almoço servido no restaurante razoavelmente bem sem esperas nem filas, servido em camilhas redondas, na base do despacha, sem tempo para grande concretização pelos bttistas presentes, embora eles também fossem poucos o que foram almoçar, talvez devido há proximidade de suas casas. 

Fica a nota positiva para o grande número de participantes betetistas que aderiram a esta causa e a nota negativa para a organização pela fraca verba disponibilizada e doada a esta instituição tendo em conta o que cada participante pagou pela inscrição tirando os dois euros doados não justifica o valor total desta prova.

Sem comentários: