16 setembro 2013

2 Horas Resistência Papatrilhos

Com quinze dias sem pedalar, devido ao anoitecer mais cedo, o meu único exercício físico é agora a corrida e o ginásio. E para que não basta-se a última vez que pedalei foram a penas 18km, já que foi obrigado a desistir na prova de Barbacena devido ao descolamento do pneu traseiro. Mesmo assim quis desafiar-me a mim próprio em realizar dois eventos no mesmo fim-de-semana.

Sendo o primeiro desafio aqui bem perto, em Vila Viçosa com 2 Horas de Resistência, organizada pelos Papa trilhos. Esta prova despertou-me atenção após saber algum feedback muito positivos da primeira edição do ano passado, bem como o percurso ser realizar no castelo e zonas envolventes, tendo em conta a realização das festas dos Capuchos

Com o horário da partida marcado para as 17:00, sem grande pesa desloquei caminho de Vila Viçosa por volta da 16:15. Tive como companheiro de viagem o A. Arvana. O Guerra fora sozinho e a minha namorada fora lá ter também depois para tirar umas fotos e prestar apoio
.
As 17h com uma temperatura ainda estava acima dos 30 graus foi dada a partida para cerca de 40 atletas que se apresentaram, na maioria sócios do Papatrilhos. Os primeiros metros foram atrás do carro da GNR, para que o pessoal de dividisse melhor e se posicionar-se.
Eu sem fazer nenhuma volta de reconhecimento antes, limitei-me a ir com atenção redobrada mas sem perder a frente da corrida. Ainda antes do final da primeira volta já estávamos cerca de cinco atletas na frente.
Ainda na minha F29 a voar baixinho..

Apos a primeira volta onde o percurso era composto por cerca de 5km de piso misto. A primeira parte em volta do castelo, com algumas pequenas e curtas subidas, curva em gancho, uma descida mais técnica e trilhos apertados, a outra parte em estrada de paralelo e pelo passeio de algumas ruas, bem com descida em um alqueve.
Logo me apercebi que seria uma prova de muita intensidade, não pela dificuldade técnica, mas sim pela alto e constante trabalho de cardio, devido haver muitas poucas zonas descanso.
Lentamente os minutos foram passando e á terceira volta já seguia na segunda posição isolada com Tiago á minha frente e que mais uma vez mostrou que está em grande forma. Conhecendo minhas capacidades físicas só conseguiria apanhar o Tiago se ele tivesse algum problema mecânico, fora isso era impossível... Então a minha preocupação estava virada para outro lado de traz, manter a segunda posição, isto com cerca de 30mim percorridos já sentia um cansaço brutal e a vontade era mesmo desistir.

Mais uma volta e tentei gerir melhor o esforço, já que estava isolado era só manter o ritmo. Cerca dos 50mim de prova já estava a dobrar pessoal, só que numa zona mais estreita junta ao castelo não consegui ultrapassar um atleta, mas assim que apanhei mais espaço sai do trilho e fiz a ultrapassagem, só que era uma zona de pasto e não vi o que estava por baixo, fazendo um corte no pneu traseiro e estava novamente em maus lençóis a reviver o que me aconteceu á quinze dias...
Ainda fiz mais uns metros a ver se o liquido selava o corte, mas cada vez estava mais vazio..
Então senti o meu enorme esforço ate ali ir novamente por "agua abaixo".. Só podia ser praga…

A minha nova maquina "de Guerra"
Ao fim de alguns metro estava o meu “anjo da guarda”, o Guerra, ao qual eu pedi uma bomba para tentar encher o pneu na esperança de vedar o rasgo, ele de imediato se prontificou e em vez da bomba de ar, ofereceu-me a sua nova bomba mas sem ser de ar, a Cannondale F29 onde andava a lhe tirar os 3. Sem hesitar saltei-lhe para cima e acabei por ser eu a lhe fazer o test drive á maquina.

Não notando muitas diferenças de posição continuei novamente a prova pois ainda tinha mais de uma hora para sofrer embora não sabendo se a nível de regulamento a troca de bike não dava direito a desclassificação. Uma das passagem junto á meta apareceu-me á frente o Guerra com um alicate, o meu dorsal e umas abraçadeiras a mandar-me parar para trocarmos os dorsais, mas com tanto stress retirou seu dorsal e não sei como voltou a recolocar novamente o dele!!.. Mais uma perca de tempo para nada.
Coloquei meu dorsal dentro da jersey e com o 3º e 4º lugar a me "morder os calcanhares" segui novamente para mais umas voltas e desta vez já nem o gps tinha para me mostra o tempo de prova, pois o Guerra também o tinha removido na troca de dorsal..

Os cinco primeiros classificados 
A agua também já não tinha, pois não conseguia por o bidon no único suporte da bike debaixo da suspensão., andado com o bidon que já tinha pouca agua no bolso da jersey., estava tudo a "bater no ceguinho", ate o mp3 resolveu falhar.

Cada minuto parecia uma hora, mas mantendo o mesmo ritmo certo, mantive a mesma distância e lá consegui acabar na 2º posição ao fim de 2:09h com um total de 10 volta.


Após entrega dos prémios, que me calhou uma medalha e uma bomba de ar (por ironia do destino lol), tomei um duche rápido e vim de imediato para Estremoz, afim de não empatar e apanhar a minha bicicleta que tinha vindo com o Pedro Pereira par (ao qual eu agradeço a disponibilidade do trabalho fora de horas), pela troca do pneu para que a minha F29 estivesse novamente pronta para o segundo desafio do fim-de-semana.

Em geral gostei muito do percurso, só me resta agradeçer aos Papatrilhos por mais um excelente evento e simpatia.

1 comentário:

Anónimo disse...

Onde estão as fotos do evento?