17 setembro 2012

III Maratona no Trilho do Lobo


Quinze dias passados desde a minha última presença em provas e para não perder o ritmo á que continuar a pedalar... Desta vez foi novamente ao Rossio ao Sul do Tejo (Abrantes) para a 3ª maratona BTT Trilho do Lobo, organizada pelo pessoal amigo e conhecido do grupo de BTT do Fojo, onde novamente estiveram com o objectivo solidário a angariação de tampas plásticas para a prótese da Inês, uma criança de 6 anos que nasceu sem a mãozinha.

O SDT teve a representação de mais oito elementos no "trilho do lobo" onde também entregamos mais algumas tampinhas. 
A manha começou perto da 6:30hras onde no meu Skoda apanhei o Calimero e o João Pedro e em conjunto com a viatura do Guerra seguimos viagem em direcção Abrantes.

Os manos Birlos adentaram-se e levantaram os frontais onde dentro do saco vinha um sumo, pastilhas, chocolates e umas bebidas energéticas.
Rapidamente nos equipamos e dez minutos antes da partida entrei no controle 0 onde foi aguardando junto ao grupo da frente onde eram esperados cerca de 250 participantes na totalidade.

Esta prova teve duas distâncias, meia-maratona de 30km e a maratona de 60km. Esta ultima distancia onde eu estava inscrito, apesar de ter boas hipóteses de fazer um bom resultado na distância mais pequena preferir ir sofre e desafiar os meus limites na maior e para mais para quem fez cem quilómetros de carro para depois fazer apenas 30km de bike sabia a pouco.

O meu objectivo estava traçado, era ficar nos três primeiros do meu escalão (veterano A), já que havia trofeus por escalões, mas quando se tem atletas na mesma distância e escalão como o Nuno Inácio a possibilidade ficou ainda mais reduzida.

A partida foi dada as 9:00 em ponto, percorremos cerca de 2km em asfalto que sérvio para ganhar posições e ficar colado ao grupo da frente com cerca de 15 atletas. Á entrada no campo o percurso começou logo a subir.., numa subida longa, onde ainda "a frio" me limitei em manter o lugar em que seguia, ultrapassado mais dois ou três atletas.. 

À mudança de direcção o pessoal já estava muito "partido", ficando eu na terceira posição se tivesse seguido para a distância dos 30km e entre os 10 primeiros para os 60km para onde rumei... A partir do km 14 começou o (meu calvário), sugiro o primeiro single onde eu me sinto muito bem, ganhando de imediato alguma distancia ao Sr. F. Mestre e a outro participante que segui a traz. De repente e já sozinho no meio de um eucaliptal deparo-me á minha frente com mais uma subida com muita pedra solta (comum em todo o percurso) quando a meio da subida olhei para traz e lá vinha o Sr. Mestre em grande forma também a começar a subir, mas ao mesmo tempo deparo-me que não existe qual quer fita, mas como não havia mais nenhum lugar para onde seguir continuei a pedalar até reparar que uns metros mais á frente estava pessoal a passar.., logo deduzi que estava enganado, voltei para traz, onde o Sr. Mestre também já tinha voltado para traz. Com aquilo tudo quando cheguei ao ponto onde me enganei já estava um elemento da organização a corrigir a má marcação, e resultado perdi mais de três minutos e algum desagaste físico e principalmente psicológico... 
Segui onde voltei novamente apanhar e ultrapassar o Mestre pai ganhado novamente distancia e umas centenas de metros mais á frente apanho o Mestre filho (Marco) com outro participante que também se tinham enganado.  Seguimos os três durante algum tempo onde apanhamos um grupo de pessoal dos 30km em sentido contrario a nos também enganados. Mais umas subidas e fiquei novamente sozinho e para traz, pois não tenho qualquer hipótese de acompanhar o grande Marco, pelo menos nas subidas. 
(Foi da maneira que andei ao lado do grande Marco)
Mais uns quilómetros pedalados com a entrada e passagem num perigoso e inclinado single track, que não era para todos!!  voltei a encontrar o Marco onde seguimos juntos ate ao abastecimento cerca do km 23. 
Voltei a ficar para traz e novamente sozinho onde percorri mais uns quilómetros e mais uma vez voltei apanhar o Marco desta vez com mais dois atletas, um deles do meu escalão. 

Fique com esse dito atleta mais a traz pedalando em conjunto onde íamos avistando o Marco. Á passagem de uma estrada de alicatão ao quilometro 40 voltei-me a enganar-me, segui algumas centenas de metros pela estrada de asfalto eludido, pois o ano passado já por ali tinha passado, ate que encontrei uma senhora onde perguntei tinha visto por ali passar alguém, resposta - Não-.. 
Voltei para traz já com mais alguns minutos perdidos, talvez mais 2º ate ao ponto onde já estava um miúdo a indicar a entrada escondida junto á estrada e escondia nas canas para uma horta. 
Com tudo isto o homem da marreta estava "instalado” e o meu objectivo cada vez mais longe. Surgi-o o abastecimento mesmo a calhar, pois já estava sem água algum tempo. Segui solitariamente mas a começar-me “arrastar” ate a outro ponto de agua onde lá me disseram ainda faltar cerca de 12km para o final. Olhando para traz e não avistando ninguem confortavelmente foi seguido onde surgiram mais uns single e o homem da marreta aliviou ate á chegada apos 58km com o tempo de 03:02 terminei na 8º posição a 1 mim do meu objectivo, ficando pelo 4 º lugar do meu escalão.. (ver classificação geral) 
O percurso teve um acumulado de subidas cerca de 1000m em sobe e desce constante...
Chegada do pessoal do SDT, quem ficou a chuchar fui eu..lol
O J. Pedro que foi á distancia mais pequena aguardava a chegada do nosso pessoal, ficando eu também aguardar a chegada do pessoal SDT que em conjunto e após 5 hras concluíram a prova, durante cerca de duas horas fui conversado e bebendo umas frescas no bar ao lado na companhia do Amigo Carlos e Valério elementos da organização. 

Desde já fica um grande abraço para todo o pessoal da organização que nos receberam sempre com muita simpatia e que tudo fez para que nada falha-se,  apesar da marcação que para o ano com certeza que irão usar mais placas e pó no chão.

Sem comentários: