03 outubro 2011

3º Maratona BTT Cocheiros


Pelo terceiro ano consecutivo marquei a minha presença em Santo Aleixo da Restauração, sendo a terceira edição, não faltei a nenhuma, pois como se costuma dizer "quanto mais me bates, mais eu gosto de ti".. Esta zona tem como principal característica o chamado "rompe pernas", onde este ano alem da dureza anunciada pela organização tinha mais um psicológico afectar-me..., o meu quadro MSC que dias antes detectei uma estaladela junto á soldadura dos rolamentos do pedaleiro e que estava a por em causa a bike se aguentar bem como a minha segurança...

Mais um MSC despachado..


A manha começou perto da 6 da matinha onde ao pé do café Ze Russo a comitiva se reunião, composta por mim no meu carro, pela minha namorada Lúcia e pelo Sacarrabos, nos outros carros seguiram o Humberto e a família, o J. Burralho e a família e o A. B. Neves com o J. Camões e atrás os pais do J. C...

A chegada á simpática e acolhedora aldeia de de S. Aleixo da Restauração foi pouco já passava das 8hras, onde nos  dirigimos-nos ao habitual levantamento do dorsal.., onde trazia uma jersy, um bidon, caneta, papeis e o meu em excepção com um mini Sagres do meu amigo Nuno Valente.., ao qual eu agradeço tanta simpatia, só que estava quente...

Nas calma fomos nos equipando e 20 minutos antes da hora já estávamos despachados, seguindo para o cento da aldeia, zona da partida, onde já muitos participantes aguardavam pela hora.

Para esta prova já tinha sido avisado pelo pessoal da organização e meu conhecido que ha semelhança das anteriores edições a dureza era esperada e maior que os passados, com cerca de 1000m de acumulado para os 45km, e sabendo eu bem o que "penei" nas anteriores, este ano a atenção era redobrada, ja que só agora estou a ganhar melhor forma física e este tipo de percurso iria ser uma "briga" com as cambrias... Uns minutos depois da hora foi dada a partida onde cerca de 300 participantes seguiram para as duras distancias...

Parti nas calmas sem grandes velocidades e loucuras á espera de começar aquecer os músculos com receio dos trilhos bem como do meu quadro se aguentaria sem partir... Lentamente num inicial sobe e desce começei a recuperar alguns lugares que deixei perder ao inicio e que tinham partido há minha frente, mas sempre de olho no quadro e nas pernas... Com o passar dos quilómetros constatei e o percurso era de sobe e desces mas longos e com boas zonas a rolar para recuperar ao contrário do que inicialmente esperava... Aos poucos comecei a apertar comigo e a comecei a subir lugares atrás de lugares sem cambrias e sem grandes dificuldades. 

Chegando ao quilometro 42, ponto da divisão de percursos avistar muito perto participantes da mesmo distancia, onde em conjunto com o Luís Campanhiço fizemos uma grande e inclinada subida de pedra solda, subidos mais dois lugares. 
O último quilómetro numa zona mais técnica adiantei-me ao luís, voltando a me juntar com ele dentro da aldeia num inclinadíssima subida de alcatrão com a chegada quase a vista, onde de mãos dadas curtamos a meta em 5º e 6º lugar com 49km em 02h:07m e menos 2 minutos do 2º lugar entre 207 participantes, onde tinha a comitiva estremocense aguardar a nossa chegada.(ver classificação)
Alguns elementos da comitiva Estremocense..

Fui aguardando os meus companheiros, onde ainda tive muito tempo de beber uma mini com o Saca que acabou por não participar por problemas físicos e o Tobias do BTT-TV.

Após a chegada do pessoal foi um belo e merecido banho e depois o belo almoço, muito diversificação, em quantidade e apaladado onde convivendo e relatando fomos almoçando e conversando as peripécias de mais um grande evento.
A vinda para Estremoz foi em passeio família com passagem pela barragem do Alqueva e Amieira.

Em geral fica mais uma grande edição do pessoal dos Cocheiros, ao qual eu mais um anos os felicito e agradeço a simpatia, bem como o despedir do meu quadro MSC em maratonas que se aguentou em terreno tão duro.

Em relação ao balanço dos percursos em três anos, este foi o ano em que achei o percurso mais acessível e menos duro...


Sem comentários: