28 junho 2010

BTT Casa do Benfica Reguengos de Monsaraz 2010


Esta foi a minha ultima prova que me propus a fazer na era 2009/10, pois o verão esta aí e com ele o calor, as ferias e a ausência de e nada melhor do que ir pedalar pela zona de Monsaraz, já. 

A manha começou por volta das 6:15 já com algum calor, hora em que combinei em apanhar o Humberto, o Vítor a minha namorada Lúcia.

A chegada foi antes das 8 horas, onde o pessoal da organização estava a dar os últimos retoques nos sacos. Logo que possível efectuamos o levantamento dos dorsais com uma garrafa de vinho pequena, uma t-shirt, uma agua e um ace tea de oferta. 

Nas calmas fomos nos equipando sempre com um ambiente de muita brincadeira onde a temperatura já rondava os 25 graus. 

Por volta das 8:30 fomos andado/pedalando para o centro da cidade onde seria a partida/chegada, cerca de 1,5km do estacionamento dos carros, tendo em conta que haveria perto de 250 participantes não queria partir de muito traz, pois tinha o objectivo de conquistar mais um lugar no pódio, já que ate a data presente tinha 9 pódios e queria obter o décimo antes das ferias. 
Após dar um giro curto pela zona da meta onde os participantes pareciam estar com "vergonha" de se colocarem junto ao arco meta, fui eu para lá marca o lugar. Depois começou o resto do pessoal a se chegar, mas o lugar da frente já ninguém mais me o tirou. 

As 9h e poucos minutos foi dada a partida onde eu iria participar na meia maratona de 40km, mas que estava anunciada no site 48km e com um acumulado cerca de 500m, o que deixava a ideia de ser muito rolante e rápido. 
Existiam mais dois percursos, o passeio de 25km e a maratona de 65km. os primeiros quilometro tentei-me manter sempre no grupo da frente, rolando nos 15 primeiros lugares e recuperando mais alguns  ate há divisória, mantendo sempre debaixo de olho os primeiros até ao quilómetros 15. 


Minha chega á meta..
Á divisão segui a direcção da placa dos 40km onde só tinha um participante (Galacio) há minha frente, mas com pouca distancia. Rapidamente me juntei a ele sem ninguém atrás, onde em conjunto (ora um a puxar, ora o outro) fomos percorrendo os trilhos em grande velocidade, praticamente sem grandes subidas até que cerca do  quilometro 22km, onde tive que abrir uma cerca que ainda se encontrava fechada, continuando o ritmo fortíssimo ate final, onde um pouco antes da entrada em Reguengos da estrada de alcatrão o Galacio acelerou o ritmo passando-me e começando a ganhar alguma distancia para mim, eu como já tinha tido uns picos de cambrias e estava muito desgastado e saciado com o segundo lugar (fiz mais vez uso á tradição de não ganhar quando a minha namorada esta presente , conclui a prova de 53km entre 142 participantes na 2ª posição a 37s do primeiro, com uma media acima dos 27km/h e uma media de 173 batimentos cardíacos que provava o enorme esforço que fiz. 
Passados dois minutos chegou o 3º classificado, o Vítor, fazendo assim uma dobradinha de pódio ao SDT (ver classificação). 

Todo o percurso esteve devidamente bem marcado, com muitos riscos a cal no chão, setas e fitas quanto baste. 
O Humberto também fez um bom resultado terminando na 28º posição, sendo a sua segunda prova. Fomos ao banho no pavilhão, ao lado onde tínhamos feito o levantamento dos dorsais. 


Após a chegada

A melhor parte foi o almoço, servido numa requintada adega e servido em caminhas redondas, em self-service com muita variedade de comida e entradas em ambiente com ar condicionado onde a cerveja era finalmente sagres... 

Em suma mais uma exelente maratona sem críticas negativas apontar, onde para o ano estarei certamente.


14 junho 2010

3ª Maratona Internacional de Marvão


No ano anterior a esta prova o C. Bilro tinha estado presente, trazendo em memória o excelente percurso, que contagiou o meu pessoal SDT.

Assim que houve a abertura das inscrições para este ano inscrevi-me logo, bem como mais 14 elementos SDT (F. Cóias, P. Perdigão, V. Catambas, J. Dias, J. Silva, J. Godinho, J. Marques, C. Bilro, J. Garcia, P. Guerra, A. Arvana, D. Cochicho e o A. Pucarinhas).

A manha começou por volta das 6h:30m onde o J. Marque e sua família me ofereceram boleia, já que a minha namorada estava a trabalhar e não me poderia assim acompanhar.

Por volta das 7h:00 a comitiva estremocense arrancou em direcção a S. António das Areias, onde chegamos por volta das 8:15. Levantamos os dorsais sem confusões com uma t-shirt e postais no saco de ofertas. Fomos equipando, pouco antes das 9h e após a fotografia de grupo já estávamos dentro do controle 0, bem como mais cerca de cem participantes.

A partida foi dada pouco depois da hora marcada, tendo em conta o gráfico de altimetria já esperava logo para começar 8 km sempre a subir ate ao castelo de Marvão praticamente partindo "a frio", onde lentamente na duríssima subida mas lindíssima e espetacular feita praticamente toda em empedrado romano fui recuperando lugares com os “bofes” quase a saírem pela boca... A chegada ao castelo estava a primeira picagem onde estava o F. Cóias a tirar fotos, já que por problemas de saúde não pode participar.

Como depois da tempestade vem a bonança veio uma decida de loucos muito técnica novamente em empedrado com muita pedra solta e curvas em cotovelo, onde com tanta trepidação mal sentia as mãos e os pulsos. 
Cerca do km 16 estava a separação dos percursos, onde perguntei a um rapaz da organização quantos estavam há minha frente e ele me respondeu, - apenas um -... pois era sinal que o meu esforço na subida tinha sido proveitoso. 
Rapidamente fui acelerando a pedalada com surgimento de mais umas subidas, e logo avistei o primeiro há minha frente, onde nesse ponto o percurso estava a meu favor, pois era muito rolante mas também muito técnico com alguns singles espectaculares. 

A entrada em território espanhol alcancei o primeiro participante, onde fui sempre a puxar há frente por ele em grande media, na passagem por Valência de Alcântara abrandamos o ritmo e concentrei-me nas marcações, pois e sempre muito difícil ver as fitas dentro das localidades. 
A saída as fitas simplesmente desapareceram, pensando logo que já estava enganado, mas por sorte perguntei a um espanhol que ia a correr pela aquela zona se havia por ali fitas, e ele respondei "que sim, muitas mais há frente", ficando assim muito mais aliviado.., uns bons metros mais há frente lá as comecei a ver, acelerando novamente e deixando o meu companheiro logo para traz isto com cerca de 30km já percorridos, era um percurso muito rápido pelos trilhos antigos da rota do contrabando do tabaco. 

Fiz cerca de 5km sozinho, onde muito perto dos 42km pensei na mota que normalmente acompanha o pessoal da frente iria me dar muito jeito, pois as marcações não eram as melhores.. e quase que por milagre aparece, só que o pior estava para vir quando avisto o rapaz da mota acelerar dentro de uma ribeira larga mais funda do que meio metro de agua.., meti a bike as costas e com agua pela cintura fui atravessando a ribeira pelo meio dos calhaus, ate que mesmo há minha frente o gajo da mota cai para o lado ficando só com a pala do capacete há vista e a mota completamente submersa.., passei para a outra margem onde antes tentei saber se estava tudo bem como ele, seguindo em frente um pouco á deriva pelo meio de um pastagal, onde só existiam pequenas veredas feitas pelos animais e tentei procurar o trilho com as marcação...,trilho esse que nunca existo por aquelas bandas..,voltei novamente para traz novamente até há ribeira onde o gajo da mota continuava lá com a mota gripada, onde já o meu companheiro de prova o José Andrade também tinha passado a ribeira, quando os dois avistamos o terceiro classificado a seguir em frente sem vir ter connosco, onde o rapaz da mota continuava a insistir que havia ali uma seta para o local onde estávamos...,passamos novamente a ribeira e seguimos o terceiro, onde constatamos que o percurso era em frente e não por ali onde nos andemos a banhar na ribeira por ilusão da mota.., uns metros mais há frente e com cerca de 43km percorridos então passamos novamente mas muito menos funda a ribeira onde surgiu umas subidas inclinadas. 
De primeiro lugar passei a terceiro sendo ultrapassado na subida e perdendo alguma distancia para os dois, e que me deixou com o moral em baixo, pois estive até ali a fazer uma excelente maratona com um bom tempo de avanço.., mas como o meu maior treino é o espírito de sacrifício, voltei há carga, ultrapassado o terceiro e recuperando ate apanhar o primeiro que ainda por cima tinha feito alguns quilómetros há minha boleia era injusto para mim ficar atrás dele..,por sorte o percurso tinha 56km e não 52km como anunciado no site da organização e em três a quatro kms aproveitando novamente um piso muito técnico de muita pedra por entre dois muros, por sinal também especular de trilho, onde a minha agua já tinha esgotado, fiz do sacrifício força terminando no primeiro lugar com o tempo de (2h:32m) entre 66 participantes que concluíram esta prova. Lugar este meu mais que merecido com um minuto de vantagem para o segundo, e assim com muito orgulho meu e da minha camisola, voltei a fazer tradição de ganhar quando a minha princesa Lúcia não pode estar presente (ver classificação).


Minha chegada vitoriosa..
Enquanto fui aguardando pela chegada dos meus companheiros estive reunido com a nossa claque SDT, as namoradas e mulheres dos restantes elementos fomos bêbedo uma grade de minis oferecida pelo vereador Pires e que por sinal e o dono da Remax nosso patrocinador.

Após a chegada do pessoal fomos ao merecido banho nos luxuosos balneários das piscinas.

O almoço foi servido no teatro mesmo ao lado da meta, onde poucos ainda estavam a almoçar, há excepção da enorme comitiva SDT, almoço esse de quem andava a servir parecia ter tudo há conta de para cada elemento, ficando um pouco a quem das expectativas, tendo em conta que cada inscrição foi de 20€, onde nem prémios nem sorteios existiram no final, as zonas de abastecimentos quanto baste também se esperava mais.


No entanto houve esforço de toda a organização, que nos contemplou com um percurso espectacular e por sinal com um lindo dia também ajudar.
Mais uma vez os meus parabéns a todo o pessoal envolvido na organização, para o ano contem comigo.

07 junho 2010

2ª Maratona de Aguiar

Pelo segundo ano estive presente em Aguiar, aldeia onde impera o mito do relógio e das horas... 

A manha começou por volta das 7:00 da matina, onde depois do habitual café seguimos em direcção a Évora.., levei o meu bolinas, onde mais uma vez a minha namorada Lúcia me acompanhou e alem dela também o Acácio a sua esposa Tânia. No outro carro seguia o casal Marques(João, Ana e os seus filhotes). 

A chegada procedemos ao habitual levantamento dos dorsais, sem confusões onde no saco vinha uma t-shirt, duas canetas, uma fita porta-chaves. Depois de nos equiparmos, nas calmas fomos para o centro da aldeia, onde já circulavam alguns betetistas e onde ainda não se sabia ao certo o local da partida. 

Esta prova contou com cerca de 250 participantes divididos pelo passeio se 25km, meia maratona 40km e maratona 70km. 
Muito perto das nove estendem uma fita balizadora ao meio da rua, onde de imediato apareceram os gananciosos de sempre logo a se colorarem há frente dos que já lá estavam, obrigando-me a ficar mais atrás onde inicialmente estava. Por volta das 9 horas foi dada a partida,com alguma confusão acabei por me atrasar e assim deixei fugir de imediato os primeiros lugares.

O percurso começou com um piso de muita areia e uma pequena subidas, onde rapidamente comecei a recuperar posições a um bom ritmo e boa media de velocidade, onde a areia foi sempre presença constante e muitas vezes me arrependi de não ter ainda trocado o pneu de traz que constantemente me derrapava nas subidas.. ,a presença de muitos regos também uma cortante, tornando o percurso muito técnico nas descidas. 
Por volta do quilometro 19 e no momento em que me estava a sentir muito bem fisicamente com a recuperação de muitos lugares, vi uma ambulância e um carro do lado oposto uma vedação.. Vedação essa que separava o trilho onde eu seguia para o caminho da ambulância, não avistando de momento nenhuma fita no meu trilho deduzi que estava no trilho errado, parando imediatamente e voltando para traz para tentar apanhar o outro trilho onde seguia o carro. Quando aparecem mais dois participantes no meu trilho e me alertarem que afinal eu ia bem..., com tudo isto acabei por perder mais algum tempo...
Estava mesmo a precisar de uma nini fresquinha

Rapidamente retomei o percurso desiludido comigo mesmo, mas sempre abrir, ate final consegui recuperar mais dois lugares, e em conversa com um dos participantes me disse que seguiam mais 4 há minha frente, voltando a me dar mais um alento, só que quando cheguei há divisão (40km percorridos e a entrada de Aguiar), perguntei quantos já ali tinham passado, e as meninas da organização responderam-me cinco ou seis para cada lado..,o que não estava há espera, pois ao quilometro 20 um miúdo me tinha dito que eu ia em 7º lugar ( sétimo lugar na geral das duas distancias).., lugar esse que acabei por conclui os 40km com o tempo de 1h:46m entre 175 (ver classificação) que também concluíram a mesma distancia.

Para mim o percurso escolhido deste ano foi pior que o anterior, pois a nível piso foi muito airoso, com muitas valas/regos que no final causou muitas quedas, com um sobe e desce constante onde poderia ter existido mais e maiores fitas, bem como setas e placas de perigo.
Com o braço ao peito..

Após a chegada do resto do pessoal bebemos umas minis numa tasca para repor os líquidos. Depois tomamos um duche se agua fria e fomos para o almoço, onde em comparação ao ano passado fui de longe mais fraco e a imperial tagus.. 

Para variar fomos os últimos participantes a sair....Fica em resumo a simpatia com que fomos recebidos e de notar o esforço que a organização fez para que tudo corresse bem, e o pessoal abala-se satisfeito.


01 junho 2010

IV Maratona BTT Cidade de Elvas

Pelo terceiro ano consecutivo estive presente em Elvas para mais uma maratona, desta vez a 4, ainda ponderei em não ir, pois nesse fim-de-semana havia mais duas maratonas também perto de casa, onde nunca tinha ido, mas já que o ano passado tinha sido eu o vencedor dos 55km, e após alguns amigos a desafiarem-me acabei por pagar. 

Esta maratona começou logo mal quando dois dias antes tirei férias para pintar muros, sendo um movimento não habitual para mim, acabei por pagar com algumas dores no corpo... 

A manha começou cerca das 7 da matina, onde aguardei pela chegada do João Dias que se ofereceu em levar o carro, depois fomos ter ao Telheiro, com o resto do pessoal (J. Pereira, A. Pucarinhas, F. Cóias e o J. Silva). 

Há chegada a Elvas fomos levantar os dorsais..,chegar e andar, como ofertas tínhamos um bidon, uma t-shirt, um boné, uma fita e mais alguns papeis de Elvas. Rapidamente nos apresamos em equipar, para não partirmos muito de traz, já que estavam confirmados cerca de trezentos betetistas, sendo grande parte Espanhóis. 
A partida foi dada pontualmente, onde dos primeiros partimos, com uma volta de cerca de 4km por Elvas mas com um ritmo muito lento, muito por culpa do carro da polícia que seguido há nossa frente e que por pouco não originou algumas quedas. há saída do alcatrão começamos logo a subir ligeiramente por uma estrada com muita gravilha, que se tornou logo cansativa...

Primeiros quilómetros
Durante cerca de 20km onde já a corrente estava complemente seca e a chiar, andei sempre a ver o grupo da frente, há expecto do Vítor Gamito, que só o vi na partida. 
Ate ali os km percorridos foram com um piso muito irregular e de muita pedra, apartir com uma longa mas pouco inclinada subida tive a minha primeira quebra, começando a perder algum tempo para os primeiros., quando cerca dos 35km me juntei ao amigo Almeida e fui a puxar por ele para tentar novamente recuperar algum tempo, mas sem grande proveito, pois já não avistávamos ninguém há nossa frente. Rolamos juntos ate há divisão do percurso, onde estava duas pessoas da organização e me disseram que só ainda tinha ido três pessoal para os 80km.... Não pensei duas vezes e fui, pois estava-me a sentir bem, tinha uma boa media ate aquele ponto e sabia que não havia grande diferença de acumulado. 

Ate cerca dos 70km mantive uma grande media, só que não avistava minguem há minha frente e melhor ainda atrás tambem não, sendo pois que um 4º lugar na maratona seria excelente. Só que derrepente apareceu o "homem da marreta", e fui-me complemente abaixo, onde as forças desapareceram por completo, ate uma queda me aconteceu, felizmente sem qualquer dado físico e material, já que a cama foi escolhida no meio dos pastos.., começando gradualmente a ser ultrapassado e já nem sabia se era melhor eu ir ao lado da bike se em cima da dela.., finalmente arrastando-me lá terminei no 9º lugar com o tempo de 3h:32m entre 54 participantes, o que ate não foi muito mau

Sem se nota nada de cansaço nesta imagem..lol
O percurso esteve muito bem marcado/sinalizado, com muito pessoal da organização espalhado, com abastecimentos muito bons em líquidos e sólidos com grande variedade e desta vez utilizei todos. Com a presença de muita GNR nas passagens das estradas de alcatrão e muitos bombeiros.

Após a minha chegada, onde o meu pessoal SDT aguardava a minha chegada, estive numa esplanada a recuperar as energias e aguardar pelo Acácio que ainda não tinha chegado, e que acabara por desistir com problemas mecânicos, tal como o Pereira.

Finalmente veio o merecido banho, com agua um pouco para o escaldar, e depois finalmente o almoço na escola, que para o preço que se pagou de inscrição poderia ser um pouco melhor, com feijao, arroz e orelha de porco..,mas como no que somos realmente bons é na imperial, eu o João e o Jorge, fomos ficando, ficando, ficando, onde terminamos com o presidente do BTT de Elvas o Miguel Mendes ate as senhoras da cozinha porem-nos na rua.. Em suma fica uma bela organização e simpatia, só mesmo o meu senão para a escolha do percurso, pois tirando as partes em que andemos junto ao Guadiana, e para mim a zona mais bonita, todo o resto acabou por ser marcado pelo piso muito duro, técnico e monótono.