25 maio 2010

I Maratona de Foros de Vale de Figueira 2010 "Por Terras de Seareiros"

Esta foi mais uma das maratonas que me propus a fazer assim que dela tive conhecimento, pois foi a primeira maratona organizado pelo FVF Bike Team em Forros de Vale Figueira a 15km de Montemor-o-Novo. 

No dia anterior (sábado), fui convidado varias vezes por pessoal da organização de uma prova de resistência de 2 horas no S. Romão (mesmo aqui ao lado), mas por receio de ter algum problema na mecânico e desgaste físico nessa mesma prova e para mais estava com um pressentimento que iria fazer um bom resultado em Forros, achei melhor não arriscar. 

A partida para F.V.F ficou marcada para as 6:30 onde me fizeram companhia o pessoal SDT, P. Guerra, P. Perdigão e o J. Garcia, todos os quatro no mesmo carro. 
O habitual aquecimento ao pulmão
Á chegada fomos dos primeiros, onde procedemos ao levantamento dos dorsais.. Sem pressa fomos nos equipando e convivendo com algumas caras já nossas conhecidas de outras provas e apreciando mais algumas caras novas, entre elas alguns prós (pelo menos no aspecto físico e de material).

Esta maratona contou com cerca de 150 confirmados e distribuídos por três percursos 25km, 40km e 70km, como não havia muitos participantes, não foi muito difícil ficar nos lugares da frente, onde já passavam 10 minutos depois da hora quando foi dada a partida. Sabendo o acumulado para os 40km não se esperavam grandes dificuldades, com cerca de 600m. 

Logo nos quilómetros iniciais rolei na roda do grupo da frente, com cerca de 8 ou 9 elementos, onde a maior dificuldade foi o vento de frente e alguns singles mais técnicos. Á mudança de percurso por volta dos 12km seguia na 3ª posição mesmo na roda dos primeiros e onde para traz já não avistava ninguém. 

Mais uns quilómetros a frente e em grande velocidade surgiu uma grande queda de um dos participantes (o Henrique) mesmo há minha frente, mas que felizmente foi mais o aparato e algumas escoriações. Rapidamente se levantou e continuamos o grande ritmo, ritmo esse tão elevado que por volta do km 25km só já restávamos dois (eu e o Henrique). 

Surgiram mais umas subidas curtas e inclinadas feitas com alguma técnica onde andei sempre há boleia. Nos últimos 10 km passei para a frente, onde fui sempre a puxar e esperar pelo colega que já estava a dar indícios de quebra, com este ritmo não havia mais ninguém a atrás.. 
Os últimos 3km fui lentamente e sem apertar muito ganhando mais tempo e distancia, embora tivesse pensado em chegarmos os dois juntos há meta e lhe ceder o primeiro lugar, pois alem de ele ter feito muitos quilómetros há minha frente também tinha sido vitima de uma queda, mas como por um lugar se perde, por um se ganha acabei por cortar a meta em primeiríssimo com uma media que rondou os 24km/h e o tempo de 1h:42mim onde apenas estava presente o pessoal da organização. 
Após um minuto lá chegou o meu companheiro de prova e dez minutos depois o 3º. 
Finalmente uma bike, como trofeu

Grandes partes dos quilómetros fizeram-se por searas, e zonas envolventes onde as poucas subidas eram curtas, técnicas e de alguma inclinação, bem como muitas zonas de perigo por surgimento repentino de muitas valas causadas pela chuva e que deu origem a várias quedas, mas felizmente sem consequências maiores. 

Todo o percurso esteve bem marcado, com muitas setas desenhadas a cal no chão e devidamente balizado, onde a maior dificuldade fora no aspecto técnico na presença de alguns singles traks em trilhos, chamados por nos "caminho de cabras" . 

Após a chegada do meu pessoal SDT, que também fez um excelente resultado entre os 74 concluídos da meia maratona, demos uma mangueira nas bikes e fomos tomar duche, onde o balneário estava reservado para nos, pois não se encontrava lá mais ninguém. O almoço estava marcado para as 13h na casa da cultura, mas por volta do meio-dia e meia já lá estávamos, sendo mais uma vez dos primeiros a chegar, ficamos aguardar junto a uma mesa com bastantes entradas e esperando pela abertura do salão, onde fora servido uma sopo de feijão e porco no espeto regados com muita imperial só que infelizmente da tagus. 

Por volta das 15h foi chamado ao palco para receber o prémio do primeiro lugar..,que finalmente como troféu foi uma bicicleta, bem como mais dois bidões de sais energéticos para a agua e um par de luvas..,nada mau.., mas o pior estava para vir, pois houve sorteio de lembranças onde me calhou mais um par de luvas e voltei ao palco para as receber, há descida das escada escorreguei e descias com o rabo e os cotovelos que resultou numas enormes dores e nódoas negras...enfim se depois de mim o amigo Painho que também foi ao palco ter também caído nas escadas, diria que a culpa era da tagus..lol Em resumo fica na memória mais um excelente evento, ao qual dou os parabéns há organização pela simpatia que nos recebeu e nos tratou.

14 maio 2010

2ª Maratona de Arraiolos

Após o ano passado ter participado na primeira maratona, em Outubro ter estado novamente em Arraiolos no passeio/maratona. Este ano não quis faltar há segunda edição, onde me fizeram companhia mais seis elementos SDT, a minha namorada e a Vera. 

Durante toda a madrugada chover fortemente, e a manha começou igual há noite, com muita chuva, onde inclusive no caminho para Arraiolos cerca das 7:40 ainda vi jeitos de ter que encostar o carro ao lado da estrada, pois a chuva era de loucos... 
Finalmente lá chega-mos, onde já alguns bettistas aguardavam que escapasse debaixo de um toldo, onde ponderavam a sua participação. 

Após levantarmos os dorsais, rapidamente e sem confusões aguardamos por uma aberta do tempo que teimava em não aparecer...,mesmo debaixo de alguma chuva fomos equipando, e conversando se iríamos participar ou não... Finalmente a chuva lá parou. Retiramos as nossas meninas de cima dos carros e dirigimos para o local da partida, já muito perto das 9:00 horas, onde muitos dos inscritos aguardavam sem estar equipados a partida dos cerca de 200 duros que não se negaram com aquelas as condições climatéricas, pois mais de cento e cinquenta confirmadas não chegaram a partir, e outros nem apareceram... 

Por volta das 9:15 la foi dada a partida, com um atraso de um quarto de hora, mas perfeitamente justificado..,onde mais uma vez consegui os lugares da frente. 
Os primeiros quilómetros tornou-se um enorme calvário de lama, o que por varias vezes me arrependi de ter participado, mas o mal já estava feito, e já não havia nada a fazer... Com o passar dos quilómetros ao contraio de maratonas anteriores que ia recuperando lugares, foi o enfeito contrario, foi perdendo tempo para o grupo da frente, o que demonstrou que algo se passava comigo... Inicialmente estava inscrito na meia maratona, mas durante a semana antes, e mesmo antes da partida estava a ponderar ir fazer a maratona de 70km, e foi o que acabei por fazer ao quilómetro 21 quando sugeriu a mudança de percursos e perguntei a um senhor da assistência quantos bettistas já tinha por ali passado para os 40km (cerca de 15) e para os 70km (cerca de 7), então não hesitei e acabei por ir sofrer mais um pouco para o percurso maior, já que este ano não tinha ainda feito nenhuma maratona, e já tinha essa ideia inicialmente... 

Após a minha mudança o percurso tornou-se mais rolante, mas a lama e as grandes quantidades de possas foram uma constante, bem como uma valente chuvada que caio e me fez lembrar a maratona de Veiros. 
Segui por vários quilómetros solidariamente sem avistar viva alma nem há frente nem a traz… Cerca do quilómetro 50 fora ultrapassado por um enorme grupo de talvez 6 a 7 betetistas que seguiam juntos a tentar apanhar o grupo da frente. Segui atrás deles mais uns quilómetros á boleia, mas ao poucos e pouco fui perdendo tempo para eles, pois era daqueles dias que a força de pernas e vontade era muito pouca.. Lentamente lá me fui "arrastando" onde há faltarem cinco quilómetros para o final e lá estava o "homem da marreta". 

Mais um empeno
Acabei por fazer alguns bocados ao lado da bicicleta, inclusive a subida final ao castelo de Arraiolos, e que me custou a perda de mais duas posições mesmo no último quilómetro, acabei nem sequer por reagir, pois o meu objectivo estava cumprido e eu complemente rôto, mas mesmo assim consegui a 15ª posição com o tempo de 3h:20m uma media muito perto dos 20km/hora e um acumulado de cerca de 1100m, fraco para o meu objectivo, mas tento em conta as grandes dificuldades do estado pesadíssimo do piso onde apenas 44 bettistas concluíram o mesmo percurso. 

Todo o percurso esteve excelentemente bem marcado/sinalizado e desta vez não me enganei :-). Os banhos foram de água bem quentinha no pavilhão desportivo. 

O almoço fora Self-service no multiusos acompanhado de um grupo de cantares, sorteio de vários prémios e regado com bastante imperial, sendo mais uma vez os últimos abalar e a fechar o almoço. 

Ainda tentei combater a virose com esta aspirina
Fica mais uma excelente maratona que o núcleo ciclo turismo de Arraiolos nos tem vindo a brindar, bem como um valente empeno que apanhei em voltar as maratonas, talvez muito por culpa da minha fragilidade física (e minha desconhecida), que foi um prenúncio de uma virose que me mandou para cama no dia seguinte, e mais uns a seguir com problemas na barriga.

04 maio 2010

PortalegreBTT 2010

Inicialmente não fazia parte das minhas maratonas para 2010 a 9ª edição de Portalegre, mas como tive um mês sem pedalar em ritmo de competição muito por culpa de pertencer a 5ª maratona de Estremoz que me "roubou" uns fim de semanas, achei por bem para tentar novamente recuperar o ritmo ir fazer esta dura maratona pelo terceiro ano consecutivo. 

O grande team SDT presente em portalegre
Como companhia tive uma grande representação SDT (João Dias, João Marques, João Garcia, Pedro Guerra, Pedro Perdigão, Flávio Cóias, Nelson Santos, Vítor Catambas, Acácio Pucarinhas e José Júlio), bem como mais um amigo do Flávio de S. Bento do Cortiço.

Mas para isso primeiro tive que arranjar uma inscrição que permite a minha participação na maior maratona nacional. 
Uma semana antes fui ao Assumar buscar um dorsal do amigo Paulo Saião (ao qual eu deixo o muito obrigado), já que não pode estar presente acabando eu por o representar. 

A manha começou por volta das 6h:30m, onde combinamos todos nos encontrar na estação da Repsol, tento em conta abertura do controle 0 as 7:00 e sabendo que á partida estariam cerca de 3500 participantes, a entrada no controle 0 teria que ser o mais cedo possível para não partir-mos muito de traz. 

Fui com o Acácio a sua esposa Tânia e a Lúcia a minha namorada. 
Por volta das 7h:20m já estávamos em Portalegre e rapidamente nos apressamos em colocar as bikes no dentro do controlo, onde já estariam talvez mais de 500 participantes á nossa frente... 
Durante a prova..
Após a colocação das bikes, regressamos novamente aos carros da comitiva SDT, onde nos fomos equipando com vagar e trocando algumas piadas em ambiente de boa disposição, já habitual ate perto das 9:00 que em ponto fora dada a partida. 
Anteriormente já tinha dado uma vista de olhos no percurso dos 55km que me pareceu muito igual ao do ano anterior. E não foi preciso esperar muito para o comprovar.., os primeiros 13km foram em alcatrão a subir até há separação dos dois percursos, sendo igualzinho ao anterior ano. Ai tentei recuperar alguns, muitos lugares e conseguido ate a entrada da terra... 

Cerca do quilometro 19 segui atrás de vários betetistas, que por nossa culpa passamos ao lado do percurso marcado, seguindo em frente alguns metros ate duas "paredes", quando a cimo dessas mesma "paredes" já estavam alguns a voltar para traz. Rapidamente retomei o caminho certo onde tive novamente que voltar a passar alguns dos betetistas que quilómetros antes já os tinhera passado, perdendo assim talvez mais de 30 lugares, já que o pessoal era muito e seguia todo junto em grupo... 

Lentamente fui recuperando, no percurso como já referi 95% igual ao ano anterior (descidas muito rápidas com muita pedra solta e com uma subida ate quase as antenas com cerca se 15km, mas sempre devidamente bem marcado/sinalizado e muito publico e pessoal da organização sempre presente).

Os últimos cinco quilómetros filos com um enorme esforço físico e com uma magana de uma cambria na perna esquerda, devido ao grande desgaste físico que sofri em 56km e com um acumulado de 1400 metros. 

Finalmente lá cheguei há meta com o tempo de 2h:49m, melhorando o meu tempo do ano anterior, mas piorando na classificação, terminando em 48ª posição entre 1592 participantes nos 55km fora os que estavam inscritos para os 100km e que acabando por fazer esta distancia mais curta (que não contaram na classificação final). 
Após a minha chegada foi aguardando a chegada dos meus colegas SDT com a companhia e apoio da Lúcia, da Tânia, Maria João e da Vera e o Sacarrabos que nos foram ver chegar e que me acompanhou a beber umas minis. 

Que liquido seria aquela na garrafa da agua?


Após a chegada do pessoal cause todo, a excepção do duro Vítor que foi fazer os 100kms fomos tomar um banho e almoçar quanto baste onde podemos repor as energia e a conversa em dia.

Fica mais uma maratona de Portalegre registada no meu currículo pedonal, embora com um percurso muito idêntico ao ano passado que acabou por se tornar monótono, mas que acabou por ser muito positivo e rentável a nível físico.