29 março 2010

III Maratona do Sardoal

Pelo segundo ano consecutivo estive presente neste evento desportivo na Vila do Sardoal. 
Esta maratona foi organizada pelo grupo BTTSardoal, grupo este inserido na colectividade do Grupo Desportivo e Recreativo “ Os Lagartos” no Sardoal distrito de Santarém. 

Esta edição contou com cerca de quatrocentos e cinquenta participantes divididos por dois percursos: 35 e 65 quilómetros. Desta vez tive a companhia de quatro colegas e amigos SDT a participar,Pedro Guerra, João Marques, João Garcia e Carlos Bilro, bem como acompanhante a minha namorada, a mulher do Jorge, do J. Marques os filhos. 

A chegada já passavam das 8 horas, onde procedemos de imediato ao levantamento dos dorsais, de forma rápida e organizada com oferta de um ace tea, um lenço para cabeça, uma barra e um frasco energético, uma caneta, um cubo de marmelada e um chapéu para o acompanhante, nada mau para 12,5€ de inscrição. 

A concentração fora as 8h:45m ao pé da escola, onde fomos brindados com um bonito dia com temperatura amena para a pratica do BTT. 
Após percorremos alguns metros pelas ruas do Sardoal chegamos ao local da partida verdadeira/chegada. 

As nove e depois de um minuto de silencio em memória de um colega nosso que falecera no passado domingo numa prova de BTT, lá partimos para um percurso onde se adivinhava duro e com cerca de 900 metros de acumulado para os 35km onde eu participei... Cedo pode constatar essa verdade com muitas subidas iniciais pelos eucaliptais onde rodei sempre os primeiros 20 lugares. Quando se sobe muito também se desce e foi o que aconteceu, num piso bastante degradado por culpa das chuvadas, mas devidamente sinalizadas. 

Ao quilometro 18 surgido a mudança de direcção, segui para os 35km rapidamente me apercebi pelos poucos rodados no piso, que estava muito bem classificado. Entusiasmei sabendo eu que haveria troféus ate ao 10 lugar, só que mais a frente na passagem de um cruzamento de estrada de alcatrão ia deitando tudo a perder quando não me apercebi (talvez por não ter ouvido o pessoal da organização, por ir a ouvir musica) que tinha de virar á esquerda, acabando por segui em frente fazendo mais algumas dezenas de metros,  perdendo mais de 3 minutos até voltar novamente ao ponto onde me tinha engano. 

Retomei o percurso sempre em grande velocidade, já que aquela zona e tipo de  percurso era-me favoráveis a fim de tentar diminuir o meu engano. 
A cerca de 2 quilómetros para a chegada e com enorme esforço consegui recuperar mais duas posições antes de um single espectacular por uma zona bastante bonita ao lado de varias hortas e jardins (dai chamarem ao Sardoal a vila jardim). 
Os últimos metros foram novamente a subir por uma inclinada e duríssima rua histórica em paralelo ate á meta onde aumentei mais a distancia para os dois betetistas que anteriormente tinha passado. 

Um agradecimento especial "as minhas namoradas"
Todo o percurso esteve devidamente bem marcado/sinalizado com muito pessoal da organização sempre presente e onde eu me senti muito bem/forte fisicamente e para provar isso ficou o meu tempo de 1h:50m em 38 km na 6ª posição com um acumulado que rondou os 900m e mais de 270 participantes a concluírem os 36km de prova(ver classificação). 

No final da meia maratona há que dar destaque a excelente classificação dos meus companheiros SDT que concluírem a prova nos cinquenta primeiros lugares. 

Entrega do trofeu pelas mãos do José Tereso

Os banhos e o almoço foram na escola e estiveram igualmente de grande nível onde toda a comitiva SDT ficou bastante agradada com o porco no espeto e regado com muita imperial e convívio, ate a entrega de mais um troféu para mim, apesar de me ter sabido a pouco... 

Em resumo fica positivamente mais um excelente evento pela organização, simpatia e percurso. Para o ano lá estarei novamente :-)

16 março 2010

Trilhos de Açafa 2010 (Vila Velha de Rodão)

Após já ter recomposto da fraca maratona de Tomar, passados oito dias foi tempo de ir pedalar pelos trilhos da Açafa em Vila Velha de Ródão, já que nunca tinha pedalado pela aquela zona e as fotos que vi no fórum deixaram-me maravilhado pela paisagem e com uma enorme vontade de pedalar por aqueles trilhos...

Esta prova teve a organização do grupo desportivo dos B. V. de Vila Velha Ródão e que contou com mais de quatrocentos e cinquenta participantes. Nove bettistas eram os estremocenses e meus colegas do SDT (J. Marques, J. Garcia,J. Silva, V. Catambas, D. Cochicho, P. Perdigão, P. Guerra e o A. Pucarinhas), e como mais alguns familiares. 

Para V. Velha fui á boleia com o P. Guerra, o Perdigão e o Calimero, um pouco atrasada em relação á hora combinada, o que costuma ser normal... 
O dia nascera de sol e calor, ficando assim reunidas todas as condições para um excelente dia de BTT. 

Uma "bomba"
Logo á chegada fomos brindados com um pequeno-almoço muito diversificado e em grande quantidade de bolos, doces queijos, paios, etc., feitos pelas pessoas da terra/organização, mas como o tempo para a partida já não era muito, levantamos os dorsais rapidamente com oferta de um frasco de mel e umas bolachas da região. 

Há partida e como ultimamente iria participar na meia-maratona de 35km, onde já esperava alguma dificuldade inicialmente pelo gráfico da altimetria (cerca de 800m), bem como a zona situada nas margens do Tejo. 

Desta vez não consegui partir dos lugares da frente como tem sido habitual, atrasando-me um pouco para os primeiros.  Ao quilometro 6 começamos logo a subir uma grande e longa subida que mais fazia lembrar estarmos na nossa Serra d'Ossa com mais de 4km, onde fui recuperando algumas posições. Após essa penosa subida aparecer um single muito técnico e espectacular pelo meio do eucaliptal, bem como seguidamente uma enorme descida que ate fez doer as mão e os braços, com tanto travar..  

Com metade dos quilómetros já percorridos, passamos pela aldeia de Salavessa onde a quantidade de público nos surpreendeu e nos incentivou para os restantes quilómetros, esses que foram mesmo há beira do rio Tejo por mais um magnífico e longo single track que deixou todos os participantes encantados e eu fui continuando a subir mais uns lugares. 
As marcações/sinalizações e abastecimentos foram igualmente de grande nível, onde a presença dos bombeiros fora uma constante durante todo o percurso bem como o pessoal da organização. 

A minha chegada a V.Velha ainda consegui no alcatrão ganhar mais dois ou três lugares sentido-me muito bem fisicamente e com pena de não haver mais cinco quilometros para tentar subir mais alguns lugares. Ao fim de trinta e seis quilómetros, conclui a minha participação com trezentos e vinte e sete bettistas neste percurso, acabando no 7º lugar a três minutos do primeiro com o tempo de 1h:53mim.(ver classificação

Após a minha chegada e lavagem da bike, onde só existia uma maquina de pressão, aguardei pela chegada dos meus companheiros SDT, e depois veio o banho de agua gelada...

Após almoço, no belo espaço
O almoço fora servido debaixo de uma tenda, mesmo ao lado de onde fora a partida/chegada dos participantes onde as gentes da terra com enorme simpatia prepararam um magnífico almoço em fartura e diversidade.

Fica em resumo uma magnífica maratona onde todos os participantes saíram de certeza bastante satisfeitos pela excelente organização e simpatia com que nos acolheram, bem como as marcações e magníficos trilhos por onde pedalamos, fica só um pequeno senão para os banhos de água fria. Fica a promessa que para o ano estarei novamente presente...

10 março 2010

2ª Maratona de Tomar

Esta foi a segunda maratona da cidade de Tomar, organizada com a parceria de uma loja de bicicletas e com a Associação TT Minjoelho que contou com a presença de cerca de trezentos e cinquenta participantes antes da partida. 

A partida de Estremoz em direcção a Tomar ficou marcada para 6 da matina onde me fizeram companhia e representação do SDT o Carlos Bilro, João Garcia e o João Marques, bem como a sua família e a minha namorada Lucia.

A chegada fomos levantar os habituais dorsais sem grandes demoras onde o brinde eram uma t-shirt alusiva ao evento. 

A partida começara logo mal com meia hora de atraso, pois estava marcada para 8:45 e acabara por ser as 9:15 deixando os participantes muito impacientes, pois as condições climatéricas eram de frio e ameaça de chuva. Após alguns assobios lá foi dada a partida onde já tinha conseguido um lugar mesmo há frente, partindo nos primeiros onde demos uma volta por dentro de Tomar. 

Á saída do alcatrão começou logo o lamaçal que já era de se esperar devido á grande quantidade de chuva que tem caído nos ultimos dias. O que não era de esperar era as más marcações do percurso onde as fitas faltaram em alguns pontos que fez com que os participantes se perdessem várias vezes. 

Esta prova começou logo mal para mim quanto nos primeiros quilometro dei pela falta do meu contra-quilometro sigma que me tinha custado os "olhos da cara", bem como na minha estreia das piratas que as rompi num pau... 

Os quilómetros foram passando e eu ia beneficiado do grupo que seguia a minha frente que algumas vezes se iam perdendo, onde o percurso estava muito pesado, com subidas curtas mas duras e um single espectacular, muito técnico mesmo ao lado do rio Nabão. 
A ausência de placas de direcção e placas de perigo também foi uma nota negativa pois simplesmente não existiram bem como uma viatura de primeiros socorros nem pontos de controlo. 
Dos melhores momentos do percurso
A meio do percurso qual o meu espanto quando o pessoal da minha frente (cerca de 10 elementos) estavam parados e não encontravam as fitas. 
Seguimos todos juntos por mais uns quilómetros sem marcação há espera de as encontrar..,mas nada e tivemos que voltar novamente para traz onde o pessoal que vinha atrás começou-se a juntar naquele ponto. 
Esperamos mais um pouco, até que apareceu uma moto da organização e este também não sabia por onde devíamos seguir... 

Esperei mais um pouco e o grupo começou cada vez a aumentar mais com mais. Por estar parado comecei arrefecer, onde voltei uns metros mais atrás com mais 2 ou 3 companheiros, que acabaram por seguir em direcção a Tomar pelo alcatrão. Eu com a esperança de encontrar as fitas mais abaixo e aproveitar que o pessoal estava todo parado mais acima, mas em vão.., pois acabei por ter de voltar novamente para o local onde nos tínhamos perdido, local esse onde já estava uma pessoa da organização com um jipe indicando ao pessoal o caminho certo...

Ate final fui recuperando algumas posições que já me tinham pertencido, bem como me voltei a perder mais a frente novamente. 
Os últimos quilómetros filos com mais um companheiro, onde a entrada em Tomar foi feita sem marcações pelo trânsito local, onde reinada a marcação do "desenrasca",cada participante ia chegando há zona da meta vindo de direcções diversas  o que demonstrou mais uma vez a falta de organização. 

Tratamento de beleza á pele
A minha chegada, nem cortei a meta, ficando logo ao pé da minha namorada, apenas mostrei o dorsal de longe, pois tinha-me já caído durante a prova.

Mesmo com tanto azar consegui o 15º lugar com o tempo de 2h:57mim onde grande número de participantes acabou por desistir e outros mesmo nem se quer cortaram a linha de meta

Outro erro após a chegada foi a falta de lavagem de bicicletas onde a quantidade de lama nas nossas máquinas e em nós era mais que muita e que necessitavam de ser lavadas, tive de ir a uma estação de serviço e pagar 1€... 

Após o merecido banho foi tempo de ir repor as energias no almoço que fora servido na freguesia de Minjoelho a alguns quilómetros de Tomar e onde tivemos muitas dificuldades de encontrar o local... 
O almoço fora servido debaixo de uma alpendorada em self-service por pessoas e familiares da associação TT. 

Em resumo fica na memória os magníficos trilhos na zona de Tomar, bem como a má marcação/sinalização dos mesmos.