20 janeiro 2018

BTT Pedalar em Portalegre 2018 (1º Prova Alegrete)

Não é habitual começar as pedaladas em provas logo no início do ano, mas com ausência do tempo invernal e com a companhia de alguns elemento SDT cheios de vontade de participar  no Troféu a Pedalar em Portalegre. Troféu este que se resume no somatório de pontos em de seis provas divididas diferente associas do distrito de Portalegre, divididos por escalão tem como objectivo percorrer 4 a 6 volta dependendo da idade.


Esta primeira prova foi em Alegrete numa tarde de sábado primaveril onde aparecerem cerca de 130 atletas neste tipo de eventos divididos pelos respetivos escalões, o que prova a enorme qualidade do evento.
 Cerca da 13h, saímos de Estremoz, onde tive a boleia e companhia do Pedro Guerra.
 Chegados ao campo de futebol Alegrete estava lá toda a logística e passagem do percurso. Levantamos os frontais onde já muitos atletas faziam o aquecimento e voltas de reconhecimento.
Levantado o frontal fomos trocando palavas com alguns amigos e conhecidos até cerca das 15h, onde fomos chamados por escalão com partidas intercaladas de um minuto de diferença de escalões.
Como era de esperar a concorrência do meu escalão era muita, mas nunca me intimidou, com 6 volta definidas no meu escalão, cada volta tinha cerca de 4km.
Sem qualquer conhecimento do percurso, pensei: 4x6= 24km vai ser um instante enquanto termino as minhas voltas todas!


Com a primeira volta concluída, tive a noção que o meu raciocínio estava completamente errado, o percurso muito técnico, com muita curva e contra curva entre pinheiros e eucaliptos, subidas curtas e inclinadas tornou o cada volta uma infinidade, nem tempo dava para beber agua ou géis, apesar de me sentir muito vontade neste género de percursos na parte tecnica, o meu maior problema era as rápidas e constante mudanças de inclinações .  

Da primeira volta até cair pro lado cheio de cambrias, dei tudo o que tinha e o que não tinha, rolando entre entre os cinco, seis primeiros atletas no meu escalão, embora desconhecendo o lugar, pois com os escalões a sair á nossa frente é difícil de controlar o lugar em que vamos.

À passagem da 4 volta onde já passava uma hora de corrida, as cambria começar a dar sinais, lentamente comecei a baixar o ritmo ate que a meio da quarta volta tive que por o pé no chão e fiquei “colado” sem conseguir mexer as pernas.., o que me valeu foi um elemento da organização que estava ali ao pé e prontamente de deitou no chão e me esticou as pernas..

A perna direita “desbloqueou”, agora a esquerda não dobrava nem por nada... 
Ali fiquei deitado uns bons minutos assistir o pessoal passar enquanto esperava que a perna desdobrasse.. Finalmente lá dobrou e eu já sem vontade de continuar ainda completei a quinta volta e encostei, ficando a falta a sesta volta.

Fui ao banho e aguardamos a entrega dos prémios dos vencedores enquanto fomos lanchando e repondo os líquidos com os colegas da Rota Ossa, também participaram no evento.



Em geral gostei muito do ambiente, da organização que foi cinco estrelas, o percurso duro mas divertido e devidamente balizado e assistido.  Os meus parabéns para este troféu, excelente ambiente.  

Sem comentários: