13 janeiro 2014

Troféu Trail Centro Vicentino da Serra

Já algum tempo que andava com vontade de experimentar em participar num evento de atletismo ou  trail. Pelo que me tenho apercebido ambas estas modalidades estão em alta, com um grande número de adeptos. O trail é ate mesmo por muitos considerado o desporto da moda, com um grande aumento de atletas de ambos os sexos de todas as idades..
Em Outubro praticamente encostei a bike, continuei as minhas corridas, aumentando em distancia e o passo por quilometro..

Já o ano passado tinha ouvido falar desta prova de trail em Portalegre, com curiosidade em ver como se organiza este tipo de evento e com a proximidade local, não hesitei em me inscrever e confirmar a minha presença ainda na primeira fase..

Para este evento o regulamento obrigava algum material. Um copo/mochila de hidratação, uma manta térmica, um apito, telemóvel e impermeável, como não querei desrespeitar a obrigatoriedades, atempadamente adquiri alguns destes acessórios...

O meu primeiro frontal trail
Para este evento tinha como companheiro de corrida o João Borralho e sua esposa, só que á ultima hora por motivos de trabalho não pode participar.

A manha começou cerca das 7:30h com algum nevoeiro e aspecto de chuva, onde a minha companheira e namorada me fez companhia e me prestou apoio em alguns dos abastecimentos.

A chegada já se viam muitos grupos a correr de lado para lado. Levantei o frontal no mercado municipal, local este onde estava montada toda a logística, partida/chegada e degustação.
Apos levantar o frontal fui para o carro onde acabei de me equipar. Dirigi-me novamente para o locar da partida onde continuava a sentir a sensação de ser uma pessoa “estranha” por entre os outros atletas, fora da minha praia...

Este evento era composto por três percursos, com partidas diferentes. As 9:00 saíram os cerca de duzentos e vinte participantes para a distância 42km com contagem de pontos para a Taça Nacional Trail. Passados dez minutos partiu a minha distância de 22km, onde me atrasei e parti de traz.., como no BTT.

Percorremos algumas ruas de Portalegre onde tive que acelerar o passo para não me distanciar da frente da corrida, sentido de imediato o desconforto/sacolejar da mochila de hidratação, já que nunca tinha experimentado em correr com peso. Mal tinha começado e já estava a "sofrer".

 Após esses dois quilómetros iniciais que lentamente foram a subir, pelo meio de algumas hortas, começou a maior dificuldade com uma longa subida. Os primeiros metros ainda consegui ir a correr por entre pessoal e ganhar mais alguns lugares, depois comecei a sentir um enorme peso nas pernas, com a sensação que os músculos iam rebentar, passei andar.., correr, andar.., assim sucessivamente ate ao termino dessa subida por entre um pinhal, pagando esforço da corrida da passada quarta-feira em subida. Apos essa subida surgiu o primeiro single por meio de arvoredo e arvores, com muita pedra pelo meio, ponde ganhei um novo folgo e mais uns lugares.

O primeiro abastecimento estava situado ao quilómetro 7 num lindo local de muita verdura onde já estava misturado com o pessoal da distância maior.

Apos esse ponto foi novamente a subir, desta vez por uma calçada romana ate ao ponto mais alto da minha distância, cerca dos 800m, onde a paisagem era composta por eucaliptos.
Tudo que se sobe, desce...,descemos um corta-fogo de grande inclinação, fazendo uso da técnica descida. Ao fim era no esperado um ribeiro com muita pedra e mais á frente umas subidas paisagisticamente brutal..

Ao quilometro 15 estava mais uma zona de abastecimento, controle e divisão de percursos, animada por um grupo de matrafonas..

Á separação acabei praticamente por ficar sozinho, pois ate ai tive sempre companhia das duas distâncias. Com mais de metade percorrida, já me estava a sentir mais ambientado e psicologicamente menos fatigado... O melhor do trail surgi-o apos a separação, na passagem por dentro de uma ribeira grande tipo cascata, entre muita pedra com auxílio de cordas, saltamos de pedra em pedra algumas dezenas de metros, por vezes tínhamos que nos molhar ate aos joelhos.

Uma das várias pessoas que estavam auxiliar os participantes dentro da ribeira, informou-me que estava na 14º posição o que não era mau, mas eu queria melhor e ainda faltavam cerca de cinco quilómetros para o fim.
Á saída da ribeira surgiram mais umas hortas e mais uma subida onde comecei a dar sinal de cambrias e do homem da marreta sendo obrigado mais uma vez a trocar a corrida pelo andar..

Fui alcançado por mais dois participantes, que juntos fomos ate ao último abastecimento cerca do quilómetro 18. Já faltando pouco para a meta e sabendo que era quase sempre a descer ate Portalegre ganhei alguma vantagem na descida, mas por pouco tempo, pois surgiu mais uma subida embora curta que acabei por ser ultrapassado por um dos atletas.

Ao fim de 21km com 800m de subida, cortei a meta em 11º lugar com um tempo de 01h:59 entre 189 participantes., era assim a minha estreia no trail..

Tomei duche e voltei para o local do evento, onde aguardei mais a minha namorada Lúcia pela abertura do self-service ou reforço alimentar, pois não é considerado almoço ate porque faz todo o sentido, quando só temos direito a uma bebida, uma sopa de couve com feijão e a bola (fatia de pão com carne misturada).a sobremesa foi um mini doce de açúcar com mel....
Acho que era preferível pagar mais e comer melhor.

Em resumo a nível de organização é basicamente como no BTT. Este muito bem marcado e sinalizado, com muitas fitas e placas, mais zonas de espectáculo do que no BTT como por exemplo subidas por muros e pedras, auxílio de cordas, passagem por ribeiros, casas pontes estreitas, arvoredos etc.., é verdade que o magnifico parque natural de S. Mamede também ajudou. 





A nível paisagisticamente, brutal, do melhor que vi, muita diversidade de paisagens e verdura. Aconselho vivamente a experimentar, quem não conseguir corre faz andar.

A nível físico para que vai tentar competir e dar o seu máximo é bastante duro e desgastante principalmente a nível muscular, os joelhos e tornozelos são os mais massacrados. Durante dois dias fiquei a saber que tenho músculo que desconhecia, devidas as dores que ressaquei.

3 comentários:

Hernâni disse...

Parabéns! excelente resultado! mais um a gastar mais sapatilhas e menos pneus :)

Abraço

Zona Cinquenta e Cinco disse...

Parabéns pela coragem e pelo óptimo (com "P") resultado Merino. Excelente reportagem, bastante claro a dar informações para quem nunca experimentou. Agora serás mais um com "eu tenho dois amores". Grande abraço do pessoal da Zona 55 (também andamos a diversificar o treino...)

Carlos Merino disse...

Obrigada grande Hernâni e rapaziada Zona 55 pelas palavras de apoio ;-). Com tudo o BTT é e será o meu desporto de eleição.. Ainda estou a recuperar do empeno de domingo..eheh