08 julho 2014

III Raid BTT Igrejinha

Mais um fim-de-semana com a realização de dois eventos no mesmo dia. Um trail e outro de BTT..

A minha duvida era em qual ir participar, já que em provas de trail só ainda participei uma vez e fiquei com "agua na boca" para outra. No BTT foi o III Raid Igrejinha prova já minha conhecida e onde já tinha vencido o ano passado, acabando por escolher esta, com o difícil objectivo de tentar a dobradinha..

A manha começou por voltadas 7:30h onde me encontrei com outro representante SDT, o Sr. Beja Neves. Cada um acabou por levar sua viatura, já que ele ia sem almoço e eu  com almoço..

Perto das 8h chegamos a esta simpática aldeia, onde fizemos calmamente o levantamento dos frontais. Nas calmas fomos equipados e pouco depois das 8:30h já me encontrava junto á linha de partida. Para este evento eram esperados cerca de duzentos participantes divididos pela distancia mais curta de 35km e distancia maior de 70km, sendo o percurso maior duas voltas ao pequeno..

Para uma distancia mais curta que o normal e já com conhecimento de algumas características do terreno, tinha em mente a mesma estratégia do ano passado.., a fundo do inicio ao fim..

Á hora em ponto foi dada a partida, onde no decorrer dos primeiros dois quilómetros com a estratégia em mente rapidamente cheguei á frente da corrida, liderando alguns segundos.., mas rapidamente fui ultrapassado por cerca de cinco atletas numa zona maior acidentada entre um lavrado e algumas zona de areia e buracos.. Perdendo a liderança só me restava era acompanhar na cauda os três atletas que eu sabia serem dos 70km e mais dois da minha distância, sendo esses a minha principal preocupação.
Mantive a minha curta distancia, quando um pau se enfiou na roda Ricardo, fazendo cair (sem consequências físicas) acabando por desisti com 3 raios partidos..

Frente da corrida dos 35km
Com a prova terminada para o Ricardo ficara eu e o amigo Ruxa na lidera a corrida dos 35km sempre com sombra do Hugo nas nossas costas ate ao quilometro 15, ate ali um percurso muito rolante, ondo só mesmo o estado muito duro do piso estava a fazer baixar a media.
Entre o quilómetro 15 e 25 surgiram uma sucessão de sobe e desces curtos, que sérvio para eu e o Ruxa ganhar-mos alguns metros ao Hugo.

Já faltavam poucos quilómetros para o final, voltamos novamente a zonas rolantes, onde o vento forte também não fora amigo, onde ainda avistávamos os três primeiros na frente da corrida dos 70km.
Para a minha distância continuava o "duelo" puxa Merino, puxa Ruxa e sabia se não surgisse nenhum problema mecânico, que os dois primeiros lugares estavam preenchidos onde pensei que o Ruxa estava melhor que eu, pois fez a prova toda aos " puxões".

Poucos metros antes da separação surgi-o mais uma pequena subida entre uns sobreiros onde lhe ganhei a frente espreitado por baixo do braço reparei que ele ficou alguns metros para traz. Á frente vi a separação e uma estrada de alcatrão, o que me fez parecer estar a escaços metros da Igrejinha. "Serrei os dentes, bloquei a suspensão"  e recolhi a minha reserva “sobrenatural” onde em sprint consegui manter aqueles preciosos metros ganhos na ultima subida.., e como diz o velho ditado "por um se ganha, por um se perde".., ao fim de 01:39m com 37km duros pelo estado do terreno, voltei a ganhar novamente na Igrejinha.

Primeiro lugar decididos nos ultimos metros

Por ali fui aguardando a chegada do pessoal, pois a entrega de prémios estava prevista perto das 13h e só depois o almoço.
Tomei um duxe e aguardei a chegada do pessoal da distância dos 70km, até que fora entrega dos prémios, desta vez mais 50 piscas. Depois na parte onde também costumo liderar, o almoço fora na

O trio vencedor e suas maquinas
companhia de alguns estremocenses da Rota d' Ossa e depois continuei as hostilidades com o staff da prova, ao qual dou os meus parabéns por mais um bom evento, as marcações estavam boas, talvez um ponto ou outro mais confuso, sempre com muito pessoal espalhado onde para mim a maior dureza deste ano foi o estado do terreno, com zonas de muitos terrões, pontos pisados do gado, valas e muito vento..

Sem comentários: