19 outubro 2009

I Maratona BTT Cocheiros ( S. Aleixo da Restauração)

Esta foi a primeira maratona Organizada pela secção de BTT do Clube de Futebol de Santo Aleixo da Restauração, grupo este mais conhecido pelos Cocheiros. Quando tive conhecimento desta maratona não hesitei em me escrever, alem de nunca ter ido para aqueles lados, surgiria uma boa oportunidade, bem como também tinha ao convite do meu amigo Nuno Valente um dos elementos dos Cocheiros.

A partida rumo a Santo Aleixo da Restauração estava combinada para as 5h:30m da madrugada, onde o ponto de encontro seria no Rossio. Nem todos partimos há mesma hora, pois alguns acharam demasiado cedo. No total éramos dez elementos (João Marques, João Dias, João Garcia, Pedro Guerra, Pedro Guerra, Carlos Merino, Duarte Picão, Jorge Silva, José Júlio e a mais uma cara nova o Flávio Cóias) com mais sete acompanhantes e apoiantes (Lúcia, Vera, Nice, Sónia, Ana Lúcia, Bruno e o Pedro).


Há chegada cerca das 7:30 e depois de percorrer algumas ruas da vila histórica há procura de um café aberto, ficou logo a ideia de uma aldeia bastante limpa, pintadinha com gente simpática e acolhedora.

O levantamento dos dorsais correu dentro da normalidade sem demoras, onde no saco do dorsal vinha uma Jersey alusiva há maratona, duas canetas, uma revista, um panfleto da aldeia e um isqueiro que dá bastante jeito…
Os carros ficaram junto ao campo de futebol, local onde seria os banhos e onde depois de nos equiparmos onde durante esse tempo se viveu um verdadeiro espírito de descontracção e brincadeira veio habitual foto de família.

A partida fora pontual por volta das 9:00 no átrio da igreja mesmo no centro da aldeia, onde todas as ruas lá iam dar…. Ante da partida o speaker de serviço  foi sempre animando os cerca de 300 confirmados, bem com mais algum publico que esteve sempre ali presente desde primeiro ao último minuto.

Grande foto no inicio da pista de Moto-cross
Após a partida onde existiriam inicialmente três percursos, 15km, 40km e 80km, onde eu há semelhança das passadas provas fique pela meia maratona de 40km. Esta que desde o primeiro quilometro até quase ao último foi sempre a subir e descer, o chamado “rompe pernas” pois as subidas eram de uma elevada dureza na maioria curtas, técnicas e inclinadas, onde ao transpô-las viria de imediato uma descida muito rápida, perigosa com muita pedra solta e valas que deu origem a algumas quedas felizmente sem consequências de maior.
O chamado single trak também apareceu um, era mais uma serie de caminhos feitos pelas passagens dos animais, onde as pedras eram um obstáculo a transpor, bem como a passagem por uma pista de motocross ao quilometro 16. local esse onde para minha surpresa e dos restantes elemnetos do SDT que estavam a participar, estavam as nossa meninas sentadas aguardar pela nossa passagem, onde Lúcia nos foi tirando algumas fotos e darem algum apoio, onde através dela soube que já seguia na 9º lugar, o que era bastante bom. Só que já sentia muito cansaço e dores nas pernas. Até perto dos 37km continuaram as subidas duas delas autenticas paredes de inclinação e comprimento elevado, onde pelo que vi o pessoal apeava sempre. Depois surgiu a única e zona de controlo, onde penso que deveria ter existido mais durante o percurso, pois todo ele era muito junto e facilmente o pessoal se “passava”.

As maganas das cambrias novamente atacar

Finalmente tivemos os últimos 4km até chegar a meta para descansar as pernas com um estradão onde já há muito que as cambrias não me “largavam” as pernas, mas com força de vontade lá aguentei até minha chegada na 4º posição com 2h:04m deixando escapar o pódio por um lugar, e ficando com um tempo muito perto dos primeiros, onde viriam a terminar 211 participantes na meia-maratona.(ver classificações)


Após a chegada de todos os elementos SDT, vieram os banhos de agua fria para as bicicletas e depois para nos, o que não calhou lá muito bem, tal como o almoço também ficou um pouco há quem das expectativas, pois a variedade era pouca (Cosido de Grão) e alguns entradas arroz que tinha tudo menos doce e até onde as imperiais se esgotaram rapidamente e o café a maquina não funcionava (mas pelo que vim a saber as desculpas caíram em cima da comissão de festas, pois era a ela que estava entregue o almoço), mas sem café e cerveja é que não podia ser, então acabaram por ser bebido a 20km de S. Aleixo, mais concretamente em Barrancos onde aproveitamos o resto da tarde para conhecer e darmos a conhecer a nossa terra por este Alentejo.

Treminamos com uma pega em Barrancos
Fotos em BTT-TV
Video BTT-TV
Album SDT

Fica o esforço e tentativa da parte da organização e de todos os envolvidos neste evento, bem como a simpatia destas gentes que bem nos receberam e tentaram fazer o melhor para nos proporcionar um excelente dia de BTT e que nos fez esquecer alguns aspectos menos positivos que para o ano serão certamente corrigidos e melhorados e farei questão de voltar para a 2ª maratona.

04 outubro 2009

1º Passeio/meia-maratona B.V Arraiolos


Como os meus planos para participação em eventos  de quinze em quinze dias, neste fim-de-semana foi a vez da maratona de Alenquer que se realizou no dia 05, mas como o pessoal da organização de Alenquer foi muito pouco esclarecedor, atencioso e nem sequer disponibilizou informação nem sequer a lista de inscritos, surgiu este evento aqui mesmo ao lado, que me fez alterar alterar os meus planos para este passeio.

Este foi o primeiro passeio organizado pelos B.V de Arraiolos, com apoio do Núcleo Cicloturismo de Arraiolos. Passeio este com todas as semelhanças de uma meia maratona, pois existia dorsal, contagem de tempos, ponto de controle e troféus para os primeiros lugares. 

Desloquei até Arraiolos com mais cinco elementos SDT (João Garcia, José Júlio, Pedro Perdigão, João Catarino e o novo elemento SDT Duarte Picão), mais alguns amigos e representares de outros grupos Estremocenses como a da Rota d’Ossa e os B.V Estremoz.
A partida em direcção a Arraiolos foi mais tarde do que o habitual, pois é mesmo aqui ao lado de Estremoz. 
Á chegada fomos logo levantar o habitual dorsal algo lento e inexperiente neste tipo de eventos, o que é perfeitamente compreensível para a primeira vez e onde no saco vinha como brindes uma t-shirt e papelada sobre o conselho de Arraiolos.


Colocação do frontal e aquecimento pulmonar
A partida e chegada dos participantes fora feita em frente do quartel dos bombeiros um quarto de hora depois da marcada devido a um atraso dos participantes. As 9:15 lá foi dada a partida com cerca de 200 betetistas inscritos para duas distancias. Passeio 25km totalmente guiados pelo pessoal da organização e o  a distancia de 50km esta com contagem de tempos, controles e prémios na chagada, o que sempre cativou mais o pessoal para o espírito de competitividade. 



A polémica começou ao fim de 3km após a partida e a passagem pelas ruas de Arraiolos quando surgiu o controle 0 mesmo há saída do alcatrão. O pessoal fora avisado no briefing que eram obrigados alí a parar e esperar pelos resto dos participantes mais atrasado até ser dada então a partida real.., só que cinco ou seis participantes não o fizeram, seguindo assim em frente e ganhado 2 ou 3 minutos para o resto que parou. 
Polémicas há parte todo o percurso do 50km esteve devidamente bem marcado/assinalado com um sobe e desce (rompe pernas) constante com zonas bastante bonitas, passagem por muitas herdades e gado talvez (com cerca de 70% do percurso seria da 1ª maratona em Abril), com um piso por vezes bastante acidentado e onde o final foi uma subida em estrada de alcatrão com cerca de dois quilómetros até Arraiolos, no final dei um acumulado de cerca de 800m.

Apesar de ter partido com um desvantagem inicial de pelo menos 2 minutos para os 5 participantes que não esperam no controle 0, lentamente fui conseguido recuperar posições e perto dos últimos 4km quando as câmbrias já se estavam apoderar das minhas pernas, avistei dois dos participantes “fugitivos iniciais”, com aproximação do final, arranjei divinamente uma enorme força de vontade/energia tentando esquecer o meu estado de “sofrimento” que já tinha, sendo talvez este o segredo dos meus bons resultados, “e de uma cajadada matei três coelhos”, pois conseguiu passar os dois participantes e ganhar mais alguns segundos ao companheiro que andou quase sempre na minha roda no percurso quase todo.
Há chegada e com 106 participantes a concluírem o percurso dos 50km arrecadei mais um lugar no pódio com a 2º posição e o tempo de 02:02:46. (ver classificação)

Um lindissimo troféu pintado á mão

O almoço fora servido tardiamente no pavilhão multiusos perto das 14.00, onde já quase todos os participantes aguardavam esfomeados a sua abertura, após isso lá veia a parte melhor do passeio que foi porco no espeto muita imperial e um troféu muito suado e original (um telha pintada há mão)




Fica aqui uma palavra de agradecimento aos B.V de Arraiolos, que tudo fizeram e se esforçaram para que todo corresse do melhor e proporcionar mais um excelente dia na prática deste desporto que cada vez move mais pessoas…