20 setembro 2009

IV Maratona BTT do Sacaios (Santiago Maior)

Costuma-se dizer que não há duas sem três e desta foi de vez... 

Já á dois anos que andava para ir a esta maratona organizada pela Secção de BTT da ADC Santiago Maior, mais conhecidos pelos Sacaios. O local escolhido para a partida e chegada desta IV maratona foi a Aldeia de Pias onde me acompanhar am mais 5 elementos do SDT (Jorge Silva, Pedro Perdigão, João Marques, Jorge Pereira, Pedro Guerra) com as fotógrafas de serviço, a minha namorada e a Vera a esposa do “Sacarrabos”.

A hora marcada desta vez sem atrasos partirmos em direcção a Santiago Maior foi há 7:00 da matina no nosso ponto de encontro habitual onde no meu carro me acompanhou o casal Silva (vera e o Jorge),e onde mais alguns elementos estremocenses ligados a outros clubes também nos acompanharam na deslocação, sendo eles do CCE e da Biciaventura.

Após o habitual levantamento dos dorsais que trazia como lembrança um cinzeiro em barro, um boné e uma garrafa de vinho. 
Depois fomos nos equipar perto do campo de bola onde seriam os banhos.

Um quarto de hora antes da partida e depois de passarmos pelo controle 0 já estávamos junto da manga onde já se encontravam mais alguns participantes.

A sintonizar o radio com o treinador...
A partida foi pontual, as 9:00 da manha onde os cerca de 120 participantes inscritos teriam dois percursos por onde escolher. A maratona de 70km e a meia maratona de 40km. 
Eu preferi ficar pela meia maratona de 40km onde consigo tirar melhor proveito/rendimento de uma boa classificação, bem como não acabar tão "empenado" e onde todos os elementos SDT também se ficaram.

Os primeiros quilómetros foram muito rápidos onde as medias de velocidade foram bastantes altas com sobe e desce constantes num percurso tipicamente alentejano, pedalei sempre nos 15 primeiros logo atrás do grupo dos primeiros.

Há chegada do primeiro abastecimento cerca dos 20 quilómetros, qual foi o meu espanto quando na passagem pela aldeia dos Marmeleiros estava a minha namorada e a Vera para nos ver dar apoio. Cerca do quilometro 26 e após umas belas descidas começaram a surgir as dificuldades maiores. Dois cumes bastante inclinados, longos e de alguma dureza que fez a diferença ente alguns participantes bem como recuperei mais alguns lugares e  tentei manter até final. 

Mas a um quilometro do final e já com aldeia de Pias há vista “deixando-me” ultrapassar por um participante (pois eu já estava completamente esgotado) muito por culpa do esforço que usei em toda a prova bem como nos últimos 5 quilômetros foram sempre a subir ligeiramente o que me “rompeu” completamente com as pernas e me obrigou a dar o “peido mestre”. Durante todo o percurso esteve devidamente bem marcado/assinalado e com abastecimento conte baste.


Eu tenho dois amores, que nada são iguais..
Á chegada eu desconhecia por completo o meu lugar que terminara em que, e nem sequer sequer perguntei ao pessoal da organização, pois tinha na ideia que estaria nos primeiros 10 e nunca no top 3. Em conversa com a Lúcia enquanto aguardava-nos a chegada dos restantes SDT é que ela comentou o lugar que fiz.
Terminaram 81 atletas a na meia maratona dos 40km, fiz 3º lugar e o tempo de 1h:39m e uma media na casa dos 26km/h. (ver classificação)

Após a chegada dos restantes SDT foi tempo de um merecido banho no campo de futebol de Pias e depois a melhor parte das maratonas, que é o almoço. 
Foi servido debaixo de uma tenda na freguesia da Aldeia da Venda, onde a comitiva estremocense SDT conviveu e tivemos o prazer de conhecer um participante do Algarve de nome Nuno Sequeira e respectiva mulher que estava mesmo ao nosso lado e que marcou esta maratona com uma queda muito aparatosa mesmo na recta da meta, onde chocou de forma bastante violenta e frontal com um carro parado, partindo a sua bike e o para brisas do carro, mas felizmente só algumas escoriações para ele. 
Para ementa do almoço fora uma sopa, frangos assados, salada e bastante imperial, sempre servido há mesa de forma bastante simpática e acolhedora pelas gentes de Santiago Maior.

Entrega dos trofeus
Após o almoço foi o momento mais desejado da tarde com a entrega dos prémios, onde me deram como troféu um prato de barro com o logo tipo dos Sacaios e um bilhete para visitar o monte selvagem. O café foi oferecido num bar na aldeia da venda, após bebido aproveitamos o resto da tarde e fomos passear até Monsaraz.

Mais uma vez o Sobe e Desce Team se fez representar e levar o nossa jersey por outras terras de forma bastante positiva bem como esta maratona da parte da organização e onde agradecemos a sua simpatia e a forma como nos recebeu.

06 setembro 2009

4ª Maratona de Óbidos / 5º Raid Oeste

Após quase dois meses depois da última prova de carácter mais competitivo a vontade de pedalar numa prova era mais que muita e por ironia do destino fez nesta mesma data um ano que obtive o meu frigorífico. Nada melhor do que lhe dar como prenda com umas boas pedaladas por terrenos de Óbidos.

Na comitiva estremocense rumo a Óbitos estava os participante João Garcia que me deu boleia, como acompanhante a sua mulher Fátima e sua filha Joana, o José Júlio que também participou levou sua esposa a Liliana.

A hora da partida em direcção a Óbidos ficou combinada para as 5h:30m da madrugado, pois pela frente tínhamos quase 200km de estrada e há chegada 700 participante confirmados para levantarem o dorsal e se colocarem no melhor ponto da partida. Só que contei com um imprevisto atraso de uma hora por culpa involuntária do J. Júlio que se deixou dormir…

Às 08:15 lá chega-mos finalmente a Óbidos, onde ainda tínhamos o levantamento do dorsal para fazer que era de uma longa fila de pessoal afim do mesmo. Ao fim de vinte minutos lá levantei o dorsal onde no saco habitual de brindes vinha uma garrafa de vinho regional, um pólo alusivo ao evento, um bidon e uma medalha de cerâmica de Óbidos.

Há pressa lá nos equipamos e nos preparamos a fim de nos dirigirmos para o controle 0 onde já se era de esperar a grande quantidade de pessoal, pois a hora da partida estava mesmo em cima e a motivação em baixo por pensar partir para esta prova de muito traz. Felizmente havia muita gente atrasada,  depois de entrar no controle 0 lentamente me foi aproximando o mais que podia da manga da partida, conseguido partir talvez dentro dos primeiros 200 participantes.

SDT 4ever, junto á lagoa
Com as chegadas do pessoal atrasado lá foi dada a partida com um 15 minutos de atraso e logo com uma subida de alcatrão em direcção ao lindo castelo de Óbidos, posteriormente aos 6 quilometros mais uma subida, a mais dura do percurso (pela sua inclinação e extensão), o que veio mesmo a calhar, pois  consegui rapidamente ir ganhando muitos lugares. 
Este prova contava duas distancias, a meia maratona de 40km e a maratona de 80km, mas sendo a falta de preparação e ritmo competitivo fiquei pelos 40 quilómetros  o que já dava para matar o vício e moer as pernas...

Este percurso até há presente data talvez tenha sido um dos que mais me deu prazer pedalar, pela lindíssima paisagem diversificada, single traks, subidas curtas e duras, descidas muito rápidas, passagem mesmo junto há lagoa de Óbidos, a quantidade de areia em certos pontos ajudava a penalizar o pessoal menos habituado. O sol manteve-se escondido atrás das nuvens até as 10:30 dado anteriormente um aspecto de chuva.

Todas as marcações/sinalizações/placas desta maratona estiveram em grande nível, igual ao do percurso escolhido onde acabei por não utilizar os abastecimentos.
Comitiva Estremocense em Obidos
Ambos os percursos dos 40km e dos 80km se sobrepunha até quase ao final da meia maratona (40km) onde então separava com a subida muito inclinada até ao castelo/chegada e onde os participantes da maratona seguiriam em frente para fazer mais o dobro dos quilómetros até ali feitos.
Na minha chegada e para espanto meu consegui o 15º lugar com o tempo de 1:41:24 e uma media de 23.64km/h, o que me reconfortou e muito, e mais uma vez o meu espírito de sacrifício voltou a dar seus frutos.

Após a chegada dos restantes SDT foi tempo de irmos ao banho e depois aconchegar o estômago, que já estava a dar “horas”. 
Este desta fora servido em cima de um relvado com lonas para fazer sombra em estilo self-service e bastante bom por sinal, so com um pequeno senão que foi alguma demora na bicha. 

O resto da tarde foi aproveitado para distrair, conviver, passear pelas ruas desta maravilhosa e simpática vila de Óbidos.

Fica os meus parabéns ao pessoal da organização, principalmente ao BTTCaldas pela excelente maratona e dia que me proporcionou. Uma maratona a repetir.