08 dezembro 2009

V Maratona de Canha

Após ter falhado a maratona de Portel, que eu tanto gosto devido a ter estado dois dias de cama com febre, mas que pelos visto acabei por ganhar muito em não ter ido, já que a madrugada e amanha foi de forte chuva e frio. 

Na semana seguinte veio a 5º maratona de Canha e  ultima deste ano 2009 para mim, onde o estado físico não era o melhor, pois a febre mandou-me muito “abaixo” mas a força de vontade era muita como sempre.

Esta contou com perto de 800 participantes, talvez devido há sua proximidade com a zona Lisboa ou inexistência de mais provas nesta mesma data, bttistas em grande número da federação de triatlo, e em numerosos equipas entre eles alguns nomes bastante conhecidos... 
Tantas foram as inscrições que a organização recebeu que acabou por marcar de forma negativa a imagem desta prova, pois Canha é uma vila pequena e que não possui meios nem infra-estruturas suficientes para tão numeroso número de participantes.

A manha começou perto da 6 da matina onde o casal Silva (sacarrabos) me acompanhou bem como a minha namorado na viagem até Canha. 

O ponto de encontro com o resto do pessoal SDT foi na Sonap, onde já estava grande parte da comitiva SDT que esteve presente (João Catarino a sua mulher e o filho, Duarte Picão e sua esposa, José Júlio, João Garcia, Pedro Perdigão e Carlos Birlo.).

A chegada fora perto das 8 da manhã, onde fomos levantar os dorsais (dorsais esses que não tinham nenhum numero de contacto emergência,  mais um erro bastante grave da parte da organização). De forma rápida, onde no saco de brindes de destacar a oferta de um CD, e uma telha pintada com um bicicleta feita em papel de jornal colada por cima, e a mesma tendo sido feito pela Cercima (Cooperativa para a Educação e Reabilitação de Crianças Inadaptadas de Montijo e Alcochete), ao qual achamos bastante engraçada, original e uma maneira de nos relembrar de quem tanto necessita de apoios. 



Tudo verdinho
A partida foi as 9:30, mas meia hora antes com o tempo a fazer uma “cara feia” já lá estava na manga e nos lugares da frente, pois já sabia que o número de participantes era muito elevado, e para tentar um bom resultado tinha que estar o mais a frente possível.

A hora marcada lá foi dada a partida com uma volta de aquecimento por dentro da vila e que originou algumas quedas. Quando entrei na terra e durante alguns quilómetros foi avistando o grupo dos primeiros. 


Os primeiros 20 quilómetros foram percorridos com uma média altíssima, talvez um dos percursos mais rápidos por onde já pedalei, depois é que surgiram umas subidas mais técnicas, mas nada de grandes dificuldades. 
Em todo o percurso existiam algumas zonas de areia, mas nada comparado com o que pensava inicialmente encontrar. Foi uma das maratona em que pedalei sempre em grupo, ao estilo ciclismo, passava eu logo de seguida passavam cinco ou seis, assim sucessivamente até final, onde ao quilometro 38 o percurso voltara a cruzar o mesmo sitio do (+/- 24km), onde ainda havia muito pessoal mais atrasado a passar nesse ponto.  Não havendo nenhuma placa, sinais, setas fez com que grande parte do pessoal seguir-se atrás desses mais atrasados e volta-se a engrenar no percurso inicial percorrendo novamente quase toda a prova, por sorte não o fiz porque no meio grupo havia um participante que tinha GPS e nos indicou o lado certo, mas de resto todo o percurso esteve devidamente bem marcado/assinalado.

Há minha chegada ao fim de 40km entre 630 bttistas que tambem concluíram a a meia maratona, fila com o tempo de 1h:38m na 20ª posição e onde pela primeira vez fiz uma elevada media de 179 pulsações por minuto, o que indicou bem o esforço que fiz durante toda a prova. (ver classificações)

A boa disposição sempre presente

Devido ao seu percurso muito rápido e ao grande número de inscritos fez com que no final os participantes terminassem a maratona com pouca diferença nos tempos, quase tudo junto...,tal como o grupo onde eu andei quase durante a prova toda (não houve muitas fulgas).

Os banhos vieram de seguida para relaxar um bocado, onde o meu fora no quartel dos bombeiros sem grandes demoras, pois fora dos primeiros a chegar, já o resto do pessoal teve que se espalhar por outros pontos da vila, devido ao grande número.


Após a chegada do pessoal SDT foi tempo do almoço (porco no espeto) que fora servido no quartel dos bombeiros, mas que por acaso não esperamos muito para comer, já depois se começaram a formar enormes filas de espera para que uns acabassem de comer para dar a vez a outros.


Organização esta que já realizou 4ª edições e sendo esta a 5ª, pecou por ter recebido um número tão grande de participantes não limitando o número e que se esqueceu que não possuía meios/estruturas para receber tanta gente, bem como pormenores que acabaram por deixar imagem negativa, e uma maratona muito criticada nos fóruns.