24 abril 2015

FindBike 2015

Já com mais de um mês passado desde que comecei a preparar a época 2015, estava mais que na altura de continuar o trabalho para ganhar ritmo competitivo.
No passado fim-de-semana dia 19/04 resolvi fazer a estrear em duas coisas: O novo equipamento com as novas cores SDT e internacionalizar-me no evento de BTT em Espanha.

A manha começou cedo, onde a diferença horária não alterou minha saída, já que a partida estava marcada para as 10h de Espanha, 9h Portugal. Desta vez fui o único representante SDT, mas tive como companhia a minha namorada Lúcia e como representação estremocense de outra associação mais cerca de 10 elementos da Rota d'Ossa.

Cheguei cedo, ainda pouca azafama, encontrei uns amigos portugueses e fui levantar o frontal, onde tive que assinar uma espécie de termo de responsabilidade com conhecimento do regulamento.
Manha ora de sol ora nuvrado com uma temperatura para mim fria, fui para a manga de partida cerca de 15min antes da saida, onde já se encontravam cerca de uma centena de participantes, separados pelas distâncias do troféus de 100km (em equipas duplas) e os participantes dos 75km individuais. Noutra manga logo atrás outro arco meta com os participantes dos 45km e os 25km..

Partida dada em comum a hora certa, fui furando como podia pelo meio, onde rapidamente notei muita antipatia e barramento na passagem.


Estreia do novo equipamento SDT
Com início muito rápido reparei que nas marcações não existiam fitas, as indicações eram apenas com setas e alguns cortes com pó.
Sentindo-me bem, não demorei muito a chegar junto do pessoal dos 100km (das duplas).
Cerca do quilómetro já 15 estava infiltrado no meio das equipas do troféu e ver a duplas que liderava a frente da corrida.
 Até a divisão, cerca do 20km, fui com os amigos de Elvas Piadade e Fernando que estavam a participar no troféu do Alqueva (100km). Apartir dai fiquei isolado onde a minha maior preocupação foi redobrar atenção para não me perder..

Ate ai foram trilhos muito rápidos pelo meio de alguns singles na passagem de vacas e mais um junto a uma barragem. Esperados cerca de 750m desnível acumulado, estavam guardados para o fim, onde ao km 26 começou uma subida, na totalidade cerca 10km, onde as marcações continuavam inexistentes, a única orientação que tive era um grupo de pessoas dispersos pela subida pertencentes a caminhada e que iam dando incentivos de "campeão.

Momento da separação de percursos
As cambria começaram a "morde" e ainda faltavam uns bons metros para o fim da subida. Quando pensava já ter subido tudo, descemos uns metros em single fechado e voltamos novamente a subir mais uns bons metros ate ao ponto mais alto.
Dai até Olivença foi novamente a fundo onde com o tempo de 01:59h curtei a meta sem ninguém estar á espera do primeiro participante, nem aguas havia, onde aguardei mais de 15min até chegar o segundo e terceiro participante, por sinal os meus conterrâneos da Rota d' Ossa entre quase duas centenas de participantes a terminar os 46km..

Últimos quilómetros antes de conquistar Olivença


Em relação ao almoço, até não estava mau, self-service com dois pratos, um de massa fria e outro com amostra de carne, a bebida é que era só uma para cada participante, o que fez com que me despacha-se mais cedo e viesse para Elvas beber umas médias...

Em resumo gostei do percurso, principalmente os singles, foi uma boa experiência mas achei logisticamente a prova muito fraca para não falar nas marcações muito fracas bem como o almoço para o preço da inscrição.. 

Olivença afinal sempre foi nossa pelo menos por uma mana... eheh


01 abril 2015

15º BTT Monte do Trigo

Um obrigada ao BTT-TV
Seis meses de ausência de eventos de BTT e com pouco andamento de bike devido aos dias mais pequenos e frios. Mas em sua substituição acabei por me dedicar mais a corrida nestes últimos meses...  

Com o "cheiro" a primavera está na altura de me dedicar novamente mais as bikes e principalmente ao BTT, que tantas alegrias me tem vindo a trazer nestes últimos anos..

Para esta estreia em 2015 e com tem vindo a ser habitual nos últimos anos, a prova da minha aparecião e teste, tem sido Monte do Trigo, este ano que jà conta com a 15 edição.

A manha começou cerca das 7:00h onde tive a companhia da minha namorada e da família Rato no meu "bolinhas". Noutras viaturas seguia o Guerra, o Ruben e suas respectivas senhoras. O A. Beja Neves foi outro elemento SDT presente..
A chegada a esta simpática aldeia já passava das 8h onde no secretariado voltei a reencontrar alguns amigos e conhecidos deste vício.

Rapidamente nos equipamos e fui de imediato para o centro da aldeia, onde já se encontravam um grande número de participantes, a sorte foi que fui "furando" encostado ao passeio e consegui chegar quase aos lugares da frente. A conversa com o amigo Manelito e Jorge do BTT Elvas, aguardamos pela última badalada das 9h do relógio da torre.

Cheio de vontade de paladar e com um inicio muito rolante ganhei mais uns lugares, onde cheguei ao grupo da frente com cerca de 20 participantes divididos para a distancia de 70km e 45km..

Uma das zonas mais espectacular do percurso (single)
Nos primeiros 10 quilómetros, percorridos sempre a alta velocidade o gps registava uma media de 29km/h onde lentamente fui perdendo o contacto visual com o grupo da frente, ficando com a companhia do amigo Manelito.. Juntos percorremos mais algum quilómetro onde começamos avistar o ponto mais alto do percurso, o famoso S. Pedro, mas antes de sua ascensão ainda ande-mos sua volta, onde surgiu um espectacular single e mais três ao quatro subidas, que fez rapidamente disparar o acumulado. Essas subidas ficara sozinho, já que o Manelito ficou para traz. Apos a ascensão ao S. Pedro sabia que eram quase 10km sempre a descer ate Monte Trigo.., com o magnésio esquecido no carro a minha preocupação era as cambrias, pois ja muito que as esperava devido a falta de ritmo.. A três quilómetros da meta finalmente apareceram as cambrias.., mas como era já faltava pouco consegui aguenta-las..

A chegar ao S. Pedro
Ao fim de 01:58h terminei no 8º lugar, satisfeito pela minha prestação tendo em quanta minha preparação e falta rimo e para "ajudar" na semana antes tinha participado no trail de Estremoz, desporto que desgasta muito as pernas..

A guardei a chegada dos meus companheiro SDT..

Com o intuito do dia ser de convívio e confraternização, o BTT era o menos importante, como tal ja tínhamos almoço marcado em S. Mansos onde o ano anterior tinha sido muito bem recebidos. Este ano não foi excepção, voltamos a ser novamente muito bem almoçados e bebidos..

A família SDT junto ao templo Diana, antes da visita ao Socrates
A ida para Estremoz ainda passamos em Évora a bebendo café e a visitar o Sócrates..