21 outubro 2013

1ª Maratona BTT "cidade de Moura"

Continuando a "politica" de pedalar só de quinze em quinze dias.., este domingo dia 20 de Outubro era fim de semana de pedalar, desta vez a escolhida foi a 1ª maratona BTT Casa do Benfica de Moura, prova que já tinha na minha agenda desde fora anunciada a promoção do evento, devido a não ser muito distante de Estremoz e ter curiosidade de pedalar por aqueles lados..

A alvorada começo ainda de noite, por volta das 6h onde aguardei que o Luís Bilro me fosse buscar, bem como depois apanhamos o A. Beja Neves na Gloria e seguimos os três em direcção a Moura, onde sabíamos que teríamos a representação de mais cinco elementos da Rota e um do SDT..

A chegada fora por volta das 8h onde o sol teimava em aparecer. Levantamos os frontais onde como brinde principal era uma garrafa de vinho. Fomos deixar o carro junto ao local dos banhos/ lavagem de bikes..
Nas calmas fomos nos equipando e conversando com alguns amigos e conhecidos que também por ali estavam. Sem grandes pressas desloquei-me para junto do local da partida, onde já circulavam alguns grupos de betetistas..

Para esta primeira edição estavam confirmados cerca de 130 atletas para as duas distâncias, na maioria para a minha de 45km e cerca de três dezenas para os 70km.
Antes da partida ouvira por alguns participantes das redondezas que choveria muito no dia antes e que se esperava muita lama e alguns zonas.

As 9:05h fora dada a partida após o briefing, onde percorremos alguns metros atrás do carro da polícia e de imediato ganhei-a melhor recuperando para uma melhor posição.
A saída do alcatrão já seguia na primeira posição, mas onde ninguém se quis poupar de inicio começamos logo a fundo para tentar dissipar o pulutao.., O amigo José Miguel foi o primeiro a dar o esticão, onde a frio o fui acompanhando com mais dois ou três atletas que não me largaram a roda.. A passagem por uma ribeira com grande caudal a maioria dos atletas fazia a pé, montando do outro lado e logo com um subida pequena frente, subida essa que sérvio para partir o grupo, eu fiquei isolado com o José a poucos metros á minha frente mas lentamente ganhei alguns segundo para os meus perseguidores mais directos.
Percorremos mais alguns quilómetros onde foi ganhando uma vantagem mais confortante mas com alguma dificuldade física, pois dava cinco ou seis pedaladas fortes.., tinha que dar uma mais fraca para aliviar a carga, pois sentia nos quadricípites junto aos joelhos uma dor… talvez devido a excesso de corrida com pouco descanso.

A descer para a vitoria desde os primeiros quilómetros
Cerca do quilometro 18 consegui colar ao Almeida numa zona de muito barro que duplicou o diâmetro dos pneus e o peso da bike. Juntos e nos apoiando um ao outro fomos até á separação de percursos, onde ele seguido para os 70km e eu para os 45km. Ainda faltavam cerca de 15km para o final e naquele ponto a dificuldade era redobrada com estrada a subir ligeiramente por meio do olivar completamente cheia de lama, onde continuava as pedaladas aos bocejos mas solidariamente onde atenção era redobrada á procura das marcações ..

Mais uns quilómetros em sobe e desce desta com piso mais seco e apareceu o ultimo abastecimento, onde parei para comer uma banana e molhar a corrente que estava cheia de lama..
Já com Moura á vista, embora ainda longe baixei o ritmo pois se não tivesse nenhum problema mecânico ou de me enganar, com a vantagem que tinha do participante a traz a vitoria estava assegurada.. Antes de terminar ainda apanhei um valente "susto" quanto a cerca de cinco quilómetros do fim o percurso se cruzava e retomava com o inicial, pois tinha uma seta num sentido esquerdo e nas costas de frente!!!.., sem a mota como referencia lembrei-me que tinha visto o track no google que o final era coincidente com o inicial, só que não sabia bem de qual a direcção, já que estava num entroncamento e havia rodados de bikes nos dois sentidos. Só havia uma solução, confiar na placa... Mais com receio de estar enganado fui seguindo as fitas até entrada de uma estrada de alcatrão, ponto esse onde era o inicio da prova e onde o carro da policia nos deixara no inicio..
A partir daí já não havia fitas ate encontrar um escuteiro que estava ao serviço da organização me indicou (e descansou) do local da chegada onde ao fim de 45km com o tempo de 01:48h cortei a meta isolado com lugar mais que merecido.
Tratamento de beleza á minha Cannondale F29
Se não tive mais concorrência directa á disputa do primeiro lugar tivesse havido, pois eu e mais cerca de uma centena de participantes estávamos lá nos 45km também e também com muita lama e onde a prova de Santarém não é desculpa para não participarem no outro dia em Moura, falo por mim já fiz dois pódios com intervalo de 14horas descanso.

Esperei pela chegada dos restantes participantes, principalmente pelo meu team..
Fomos lavar a bike onde apenas existia uma mangueira e uma fila.de pessoal á espera de retirar a maior parte do barro. Depois do banho da bike e do meu banho fomos para o parque de feiras onde fora servido o almoço servido em self-service atenciosamente por pessoal do staff..

Mais um original e bonito troféu em era da Troika..
Após o almoço houve a entrega de prémios, algo confusa e com troca de classificações entre o 2º lugar e o 4º lugar da minha distancia, mas nada que eu tivesse respeito.
Para finalizar ainda dei uma entrevista para o canal Benfica TV..

Em resumo e tendo em conta ser a primeira edição, gostei bastante, todo o pessoal da organização mostrou vontade me melhorar alguns erros, claramente por falta de experiencia e que para o ano com certeza serão corrigidos.

08 outubro 2013

V Maratona BTT Cocheiros

Este é daqueles eventos que todos os anos faz parte da minha agenda, onde conta já com cinco edições realizadas e onde apenas falhei uma, o ano passado.

Um dos motivos da minha participação em S. Aleixo da Restauração, simpática aldeia perto de Barrancos é amizade e conhecimento que estimo por alguns elementos da organização, bem como o excelente evento/ organização e os magníficos trilhos onde a palavra de ordem é dureza, mantida a tradição este ano e esperados cerca de 1200m de subidas nos 45km..

A manha/madrugada começou com o ponto de encontro ao meu portão as 6:00, onde o desta vez o P. Guerra me deu boleia. A comitiva neste carro só ficou completa com a minha namorada e a amiga do Pedro que nos acompanharam. Entretanto juntamo-nos a mais dois elementos SDT que também foram participar, o L. Bilro e o Beja Neves.

Apos a cafezada com cheirinho, já que pisei uma bosta de cão saímos em direcção a S. Aleixo. Como uma viagem bem perfumada chegamos a esta simpática aldeia ainda não eram oito horas.., onde fomos dos primeiros a levantar o dorsal.
Com tempo fomos deixar as viaturas no campo de futebol, local onde eram os banhos banhos e que fui novamente brindado com outra bosta de cão, desta vez no outro pé.

Representação Estremocense em S. Aleixo da Restauração
Vinte minutos antes da partida já nos encontrava-mos no coração da aldeia, praça principal onde fica localizada a partida/chegada. Lentamente com o passar dos minutos a praça foi ganhando mais cor com a chegada dos participantes, no total eram esperados cerca de duas centenas.

As 9:00 fora dada a partida onde descemos pela rua principal da aldeia, apanhando dois atletas mais lentos a minha frente, fez-me perder preciosos segundos para a frente da corrida, pois umas boas rodas eram uma preciosa ajuda para os duros quilómetros que tinha pela frente..
Lentamente recuperei lugares, onde a partir do quilómetro 4 estavam esperados 10km sempre a subir, e nesse mesmo início e começo da longa subida ainda consegui avistar a frente da corrida, mas não passou de uma miragem... Aqueles dez quilómetros pareciam infinitos onde solitariamente fui pedalando e avistando dois participantes que seguiam alguns metros mais atrás e outros dois uns metros mais á frente..
Sorrindo as dificuldades..
Ao fim dessa grande subida começou o meu calvário, uma seri de sobe e desces sucessivos numa zona muito bonita de pinheiros ate ao controlo, cerca do quilómetro 20, onde o amigo Marcelino me informara que era o 4 classificado da minha distância. Voltei a ganhar algum alento, mas rapidamente o perdi com mais uma sucessão de sobe e desces, tipo este de percurso que não faz nada o meu género até porque é um alimento forte para as cambrias.. Mais uns quilómetros solitariamente sem avistar viva alma naqueles cumes. Veio uma descida onde deu para recuperar um pouco, e depois mais duas duras subidas, onde a minha esperança era de encontrar alguém furado ou com uma avaria mecânica, pois assim eu subiria para o provisório terceiro lugar.. Mas ate ao final isso não aconteceu o que aconteceu foi o que já esperava, nos últimos 5km a tentar "enganar" as cambrias..

Desta vez não tive direito a pódio, mas tive direito apoio..;-)
Ao fim de 47km lá esta S. Aleixo á vista mas metros antes da meta surgio mais uma subida inclinada, desta vez em alcatrão, onde lentamente a fui subindo e cumprimentando os habitantes da aldeia, pois o 4 lugar estava assegurado onde terminei com o tempo por mim previsto 02:03...

Apos a chegada recuperei os líquidos com umas minis enquanto aguardei a chegada dos meus companheiros..

 O almoço fora servido ao ar livre com uma arrozada, bifinhos com cogumelos, salada e uma caldosa verde.. Apos o almoço convívio viemos puxando em passeio pelo Alqueva, com paragem obrigatória e na Marina da Amieira, onde apreciamos e comtemplamos a paisagem da barragem e matamos a sede, não com agua, mas sim com cerveja..


Em suma fica um domingo marcado pelo convívio, passeio e penatório na parte do pedal, onde deixo os parabéns a todo o pessoal responsável pelo V Maratona Cocheiros