25 janeiro 2013

Vantagens e desvantagens da roda 26er vs 29er




Esta é a minha opinião pessoal sobre as diferenças, vantagens e desvantagens entre as bicicleta com rodas 26er e 29er...





Eu fui daqueles que resolvi entrar na moda dos tractores. De á um ano para cá é notável o crescimento de bikes com roda 29er.., se calhar não é só uma questão de moda, pois quando se muda algo pensa-se que seja para melhor!!!.., agora é óbvio se não houver preparação física nem uma roda 40er faz milagres..

Sou amante do BTT e além de andar de bicicleta com o meu grupo de amigos no domingo de manha pela Serra d' Ossa, também participo regularmente em eventos com carácter mais competitivo.
Na ultima prova que fiz em Outubro (sendo uma prova em geral com percurso rolante), fiquei parvo com tremenda dominação da 29er.., apenas me limitei a ir na roda..  Fiquei logo ali naquela prova com a "pulga atrás da orelha" e impressionado com o seu rendimento.
 De Outubro ate actual data, mais pessoal amigo e conhecido adquiriu novas bike de roda big. Eu acabei por ir na calha, não por uma questão de dor de "cotovelo", pois estamos em crise não devemos andar a esbanjar dinheiro assim sem mais nem menos em coisa de lazer.. . Fiz contas á carteira e vi que tinha possibilidades de engrenar no mundo das 29ers, alem da carteira fui pensado e pesquisando durante uns dias nas vantagens/desvantagem e objectivos que se resumiram a estes três.

Motivos fundamentais que me fizeram optarem pelas bigs:

1º- Uma das principais razões foi a “concorrência”. O pessoal que anda na frente das provas em que eu participo regularmente, em geral todos estão a apostar nas rodas 29". Pelo que tenho vindo apurar em pesquisas e em conversa com o pessoal das "bigs", dizem já não querer outra coisa e referem-se que no aspecto mais competitivo, que na minha zona geográfica (em geral rolante), eu á partida numa prova com a minha bike de roda 26 estaria logo em desvantagem para o pessoal da frente..., bem como para aqueles que normalmente costumam terminar com o mesmo tempo que o meu. No final teriam uma maior vantagem com roda 29ers.

2º- Um dos outros aspectos que também me fez mudar, além do que já referi, foi a minha participação em provas de curtas distancias (meias-maratonas) e tendo em conta as características gerais dos trilhos por onde costumo pedalar na provas (excepção da Serra D'Ossa..) grande parte dos percursos são muito rolantes, com pouco acumulado  e no final penso que será mais uma grande vantagem para as 29", já que um dos meus pontos forte é o rolar...

3º- Já que pelo vistos a moda pegou, penso que as 26” começam a perder adeptos e a minha máquina (Orbea Alma) embora com um quadro de 2012 já conta com uma suspensão/rodas do ano de 2008, sendo a desvalorização iminente e verdadeira de alguns componentes. Penso que será uma grande oportunidade de negócio, ou não!!..


Na passada semana chegou a minha boneca, uma Cannondale F29 1 com quadro em alumínio e um peso actual a rondar os 10.700kg, menos 100 gramas que a minha 26” Orbea em carbono.

Resumo da experiência da 29er:

Nos primeiros dez quilómetros tem-se uma sensação muito estranha, principalmente no que visa a posição em cima da bike. Nos primeiros quilómetros ainda pensei para mim mesmo! "mal empregado dinheiro que gastei nesta porcaria"…, pois parecia que ia a pilotar uma Harley Davidson, com os braços muito abertos e as costas mais direitas que o habitual, sentido a falta de posição mais “race” e habitual na 26…

Ao fim de uma dezena de quilómetros a sensação da falta da posição "Race" já estava a começar a desaparecer e já me encontrava mais entrosado (envolvido) com a bike sem me dar conta...  Então a partir daí comecei realmente a esquecer a minha ”Alma” e a começar a tirar o proveito da 29"...(é uma questão de tempo).

A Rolar e em subidas de pouca inclinação é um "avião", (como alguém já me o disse, parece que estamos a voar juntinho ao chão..), após embalar é só manter uma boa cadencia e é notório o aumento da velocidade...
 Em subidas muito inclinadas, no meu ponto de vista dá ideia que se torna então mais lenta, talvez por ao iniciar a mesma subida mais inclinada, abrande mais rapidamente a velocidade que uma 26" e ficamos com a sensação que de repente paramos a meio da subida e que voltamos arrancar. Também terá influência essa persuasão da diferenças de velocidade sentida anteriormente para a de repente..., mas com uma boa cadencia lá vamos pedalando por ai a cima..
Nas mesmas subidas muito inclinadas, com alguma pedra solta, valas e mudança declive a 29er acaba por ganhar á 26" claramente, pois as suas enormes rodas e estabilidade passa por qualquer obstáculo sem grandes problemas e sem termos que usar tanta técnica e equilíbrio que por vez temos que usar naquelas subidas íngremes que nos temos de sentar á pontinha do selim a fazer força no guiador par abaixo.

 Em conforto, do melhor que pedalei, apesar de um quadro em alumínio a Lefty realmente faz milagres..., isto no caso da marca Cannondale, noutras marcas já não posso dar a minha opinião.

Tecnicamente percorri alguns singles técnicos, apertados, de curva contra curva, com drops por entre eucaliptos e não achei que rapidez e agilidades por ser maior "perdesse" para as 26". Senti confiança, conforto e rapidez em superar qualquer obstáculo, mesmo no disparo também não achei que fosse mais lenta...

Tabela com algumas vantagens e desvantagens
Nota: Esta tabela é baseada na minha opinião pessoal..
Pessoalmente acho que fiz uma boa escolha, baseando-me e analisando os meus pontos fortes e fracos, para que tire o meu melhor rendimento e desempenho físico, onde para mim o meu ponto mais forte é a rolar.
Mas penso que a escolha entre a 26” e a 29” dependerá do rider. Do tipo de terreno por onde pedala, dos seus objectivos, do tipo de eventos de BTT em que participa, do seu ponto forte, do seu ponto fraco, da sua técnica.

Boas pedaladas em 26”, 27.5”, 29” ou até mesmo em triciclos… :-))

20 janeiro 2013

RESCALDO DO ANO APÓS DEIXAR DE FUMAR…


E já lá vai um ano sem “levar” um cigarro á boca... Fez no dia 20 de Janeiro a seguir ao almoço um ano que fumei o meu último cigarro.

Oficialmente comecei no dia 1 de Janeiro a minha luta contra o tabagismo mas como tinha ficado com um maço quase cheio e o vício era muito fui fumando um cigarro todos os dias após o almoço até acabar com o maço.

Os primeiros quinze dias foi a parte mais dura desta luta, o sentido de humor mudou um pouco com a falta da nicotina, mas nada do outro mundo, pois o que conta é a força de vontade.
Comecei a minha luta na tarde do dia de ano novo onde coloquei o primeiro penso e fui para o bar beber umas bejecas.., mas como foi só pouco  tempo passou-se bem…
No segundo dia após 24 horas troquei o penso de nicotina e comecei a ir às piscinas antes de jantar, para me manter ocupado...
À noite quando sai fui-me "sacrificar" para o bar a beber umas jolas, comecei a sofrer uma "ressaca" ao sentir uma sensação algo incontrolável uma grande vontade de fumar. Era o meu organismo a pedir a maldita da nicotina...
 Então comecei a escrever no telemóvel um texto sobre a minha vida enquanto fumador...

Os dias foram passando onde durante o horário de trabalho foi fácil de controlar a vontade de fumar mas após o horário de trabalho tentava ir ao ginásio,  piscinas ou ocupar o tempo a fazer algo como restaurar uma pasteleira que tinha em casa para manter a cabeça ocupada.

No início da segunda semana já só colocava um penso dia sim, dia não. Os restantes cigarros que sobraram do último maço acabaram e depois desses nunca mais fumei nenhum...
Em relação aos benefícios iniciais foram aqueles que toda a gente já conhece… O mais rápido foi sentido ao levantar da cama de manhã, a tosse e as “gosmas” de cor acastanhada abalaram, um melhor respirar, melhor olfacto e paladar.
Só que sem me dar conta, mesmo a praticar muito exercício físico engordei cerda de 3quilos, peso esse que só agora os consegui perder com muito esforço, vontade e espírito de sacrifício.
A nível físico nos primeiros 3 meses notei pior desempenho físico em relação ao que esperava obter, talvez por ter criado uma ilusão na minha cabeça que assim que deixa-se de fumar notaria de imediato melhor rendimento no Btt, mas foi mesmo o contrário (pior forma).
Com o passar dos meses posso garantir que até á data não senti “aquela” grande evolução neste primeiro ano, ou pelo menos a que eu esperava obter. Talvez não tenha sentido essas grandes melhorias físicas em relação a qualquer ex: fumador porque já praticava muito exercício de cárdio e deixei sempre a "pele" em campo... Além dos benefícios físicos que já mencionei a outra parte de mim que se deu bem foi a carteira, com cerca de 800€ a mais no fim do ano...

Resumo:
DEIXAR DE FUMAR não é assim tão difícil, como se diz desde ter força de vontade, opinião e muito espírito de sacrifício, no meu caso cerca de 3 SEMANAS, a partir dai foi a limpar maços de tabaco :-p 

04 janeiro 2013

Há que acompanhar a evolução e a"concorrência"..

Para entrar neste novo ano de 2013 em grande(espero eu!), resolvi também aderir á roda da moda, as big 29er".

Houve três motivos fundamentais que me fizeram optar por esta escolha (no fim corrigem-me se estiver enganado)

1º- Uma das principais razões foi a “concorrência”, o pessoal que anda na frente das provas em que eu participo regularmente. Já que em o pessoal em geral  está tudo apostar nas big rodas 29".  Para prova disso na ultima meia maratona em que participei em Outubro fiquei parvo com a sua performance, onde me limitei a ir nas “rodas” 29”, embora a altimetria com pouco acumulado também fosse propicia para isso. 
Pelo que tenho vindo apurar em pesquisas e em conversa com o pessoal das 29”, dizem já não querer outra coisa e referem-se que no aspecto mais competitivo na minha (zona) na partida de uma prova com uma 26" que estaria logo em desvantagem para o pessoal da frente e aqueles que normalmente costumam pedalar o mesmo que eu, levariam a melhor no final.

2º- Um dos aspectos que também me fez mudar, além do já referido foi a minha participação em provas de curtas distancias (meias-maratonas), tendo em conta as características dos trilhos em geral onde costumo pedalar na provas(excepção da Serra d' Ossa) grande parte dos percursos são muito rolantes, com pouco acumulado no final e penso que será mais uma grande vantagem para as 29" já que um dos meus pontos forte é o rolar...

3º- Já que pelo vistos a moda pegou, penso que as 26” começam a perder adeptos e a minha maquina (Orbea Alma) embora com um quadro de 2012 já conta com uma suspensão/rodas de 2008, sendo a desvalorização iminente.., penso que será uma grande oportunidade de negócio, ou não!!..


Sendo assim a minha Orbea está com os dias contados.. e um dos principais motivos que me vai dar "pena" (e espero não me arrepender) será a grande confiança, segurança, á vontade e rapidez em trilhos mais técnicos que me dava gozo fazer. Penso que este é o forte das Almas é a facilidades com que o quadro se “dobra e molda” nas curvas/drops mais técnicos

Só que no meu caso ainda tenho um senão.., por teimosia ainda não testei nenhuma bike com roda 29" e já fiz a minha escolha (encomenda) uma Cannondale F29 1 pela questão de preço/qualidade/estética. 

Penso que esta máquina está muito bem equipada para o seu preço bem com o seu peso sem pedais ronda os 10.700kg.

Característica:


Nome do produto:Cannondale LIGA F29 1
Fabricante:Cannondale
Código do item:CAN139765
Ano:2013
Quadro:F-SERIES 29'er, liga SMARTFORMED, Speed ​​Save, BB30, 1,5 metro da cabeça Si
Fone de ouvido:Tange HS rolamentos 2x
Fork:NOVO LEFTY PBR 90 29, TECNOLOGIA HÍBRIDA ROLAMENTO AGULHA
Da haste:CANNONDALE OPI ajustável, 31,8, -15 graus (ML), -5 graus (X)
Bar:Cannondale C2, 680x10, alumínio 2014 double-butted
Sela:Cannondale Stage 3
Espigão:CANNONDALE C2, 27.2MMX400MM,
Pedivela:SRAM S1400 BB30, 38/24
Suporte inferior:SRAM BB30
Desviador frente:SRAM X7
Desviador traseiro:SRAM X9, 10-VELOCIDADE
Shifter:SRAM X9
Sprocket:SRAM PG 1030, 11-36, 10-SPEED
Cadeia:KMC X10
Freios:AVID ELIXIR 7, 180/160MM
Jantes:WTB FREQUÊNCIA RACE I19, soldados, ilhós, 32 furos
Raios:DT SWISS COMPETIÇÃO
Hubs:FÓRMULA LEFTY SL FRENTE, SRAM X9, REAR
Pneus:SCHAWLBE RAPID ROB, 29x2.25 "
Pedais:não incluídos
Objetivo:XC, Maratona, Tour


Já tenho em mente algumas modificações que lhe irão retirar mais peso, peso esse que será reposto com os pedais XT. Uma das trocas será o selim pelo Selle Italia SLR, é só o que uso.., o espigão de selim também será alvo de troca já que possuo um KCNC Pro Lite vermelho em casa que guardei da minha antiga MSC compatível com a mesma medida, só que é um espigão recto, não sei se intervirá com algum desempenho/conforto em 29". O tubeless também será uma alteração a efectuar..