25 setembro 2012

MARATONA Montargil BTT - TRAIL RUNNING


Inicialmente estava em duvidas de participação entre esta prova ou a do fim-de-semana seguinte na vila do Torrão,
mas como a organização era a cargo do BTT Sôr e com ela vinha-me á memoria duas excelentes provas em participações antigas na vila de Ponte de Sor. 
A juntar o útil ao agradável estava mais pessoal SDT também inscrito, que me fez optar por esta, mas só na última semana é que me apercebi que afinal a prova era em Montargil e não em Ponte de Sôr.

A manha começou antes das 7 horas, onde com minha saída á porta de casa me deparei com uma enorme trovoada. Fui buscar a bike e aguardei a chegada do Luís B., onde na colocação do suporte e da bike foi debaixo de chuva. Juntamos a comitiva e apos o café debaixo de muita agua seguimos em direcção a Montargil, onde no caminho as duvidas seria a participação no btt, ou só no almoço.

O chegado já tinha a chuva parado, mas as possas de água e lama estavam instaladas. Levantamos os frontais de forma um pouco lenta no local muito enlameado e com pouca animação, onde vinha um saco tipo de PC com um picante e uma pequena lembrança feita artesanalmente em madeira. Fomos equipando onde o dia continuava cinzento, mas sem chuva. Fiquei perto da linha da frente da partida, onde parecia ter havido muita desistência inicial, pois estavam esperados cerca de 350 participantes divididos na vertente BTT para os 40km e 70km e mais uns na vertente runing de 40km, onde muitas vezes salientei a vontade de participação nesta modalidade, mas não havendo uma distância mais curta acabei pelo BTT.

A partida começamos no meu pior cenário, a subir, subir.., tentei mantei o meu lugar confortavelmente mas com inicio muito forçado, pouca vontade anímica e algum canção de ter voltado a corrida durante a semana. A divisão fora logo ao inicio, cerca do quilometro 4, onde seguia em 6º lugar.., mas estava em dia não parecia as pernas não querem dar mais para me aproximar do grupo da frente, acabando por ser ultrapassado por mais 3 atletas. Segui a roda deles sempre com eles debaixo de olho, onde ao quilometro 14 (parece ser sina) acabamos por enganar no percurso.., acabando eu por beneficiar, pois era o mais atrasado do grupo, ficando assim colado ao grupo com cerca de 5 atletas.

Mais uma vez o pé no chão..,  e a seguir a pé.
Fomos pedalando com um percurso diversificado com sobe e desces, algumas zonas de areia por vezes por zonas que eram piores que os "caminhos de cabras". Com pouco espirito de sacrifício fui seguido na cauda do grupo ate começar-mos a subir por um trilho estreito e enlameado, onde antes já nos tinha-mos voltado a enganar... Nesse trilho (carreiro de animais) os pneus começaram a encher de lama e a corrente a fazer "chupão", no cimo era a picagem onde tive tempo e paciência de esperar que o pica fosse trocar o agrafador por uma esferográfica á carrinha onde já tinha cerca do km 22 pedalados. Desci em direcção á barragem onde começou a chover e onde aquela zona estava mais saturada de agua, onde reparei que com os chupões a protecção de escora jã estava rasgada junta á pedaleira.., ficado com cada vez menos vontade de continuar. Fizemos algumas centenas de metros na zona junto a barragem entre muita areis, pedras redondas onde de vez em quando lá ia o pé ao chão, cheguei a zona do parque de campismos percorre-mos uma zona muito estreita junto á rede do parque onde as placas de direcção e perigo não exigiam. 

Ao chegar ao pe da estrada de alcatrão, sem motivação, vontade e já estava tão farto daquele cenário, onde o estado da bike também não ajudava(estalar por todo o lado), passei por dentro de uma grande poça (de molhado não passava), para tirar a areia/lama da corrente e não pensei duas vezes com cerca de 27 percorrido meti-me pelo alcatrão em direcção a Montargil onde ao fim de 5km estava na zona da meta. Dei baixa do dorsal e esperei apanhar mais uma molha esperei pelas mulheres dos meus companheiros que tinham a chave da carrinha.
Depois de um belo banho, assisti a chegada dos participantes


Com o aparecimento delas foi tomar um belo banho bem quentinho, onde poucos tinham acabado e outros desistido. Foi apara cima novamente para o local da chegada aguardar a chegada dos meus companheiros.

Com a chegada com pessoal veio a melhor parte, o almoço e convívio, servido na cantina da escola com uma bela sopa de peixe e grelhados, onde fomos convivendo.

17 setembro 2012

III Maratona no Trilho do Lobo


Quinze dias passados desde a minha última presença em provas e para não perder o ritmo á que continuar a pedalar... Desta vez foi novamente ao Rossio ao Sul do Tejo (Abrantes) para a 3ª maratona BTT Trilho do Lobo, organizada pelo pessoal amigo e conhecido do grupo de BTT do Fojo, onde novamente estiveram com o objectivo solidário a angariação de tampas plásticas para a prótese da Inês, uma criança de 6 anos que nasceu sem a mãozinha.

O SDT teve a representação de mais oito elementos no "trilho do lobo" onde também entregamos mais algumas tampinhas. 
A manha começou perto da 6:30hras onde no meu Skoda apanhei o Calimero e o João Pedro e em conjunto com a viatura do Guerra seguimos viagem em direcção Abrantes.

Os manos Birlos adentaram-se e levantaram os frontais onde dentro do saco vinha um sumo, pastilhas, chocolates e umas bebidas energéticas.
Rapidamente nos equipamos e dez minutos antes da partida entrei no controle 0 onde foi aguardando junto ao grupo da frente onde eram esperados cerca de 250 participantes na totalidade.

Esta prova teve duas distâncias, meia-maratona de 30km e a maratona de 60km. Esta ultima distancia onde eu estava inscrito, apesar de ter boas hipóteses de fazer um bom resultado na distância mais pequena preferir ir sofre e desafiar os meus limites na maior e para mais para quem fez cem quilómetros de carro para depois fazer apenas 30km de bike sabia a pouco.

O meu objectivo estava traçado, era ficar nos três primeiros do meu escalão (veterano A), já que havia trofeus por escalões, mas quando se tem atletas na mesma distância e escalão como o Nuno Inácio a possibilidade ficou ainda mais reduzida.

A partida foi dada as 9:00 em ponto, percorremos cerca de 2km em asfalto que sérvio para ganhar posições e ficar colado ao grupo da frente com cerca de 15 atletas. Á entrada no campo o percurso começou logo a subir.., numa subida longa, onde ainda "a frio" me limitei em manter o lugar em que seguia, ultrapassado mais dois ou três atletas.. 

À mudança de direcção o pessoal já estava muito "partido", ficando eu na terceira posição se tivesse seguido para a distância dos 30km e entre os 10 primeiros para os 60km para onde rumei... A partir do km 14 começou o (meu calvário), sugiro o primeiro single onde eu me sinto muito bem, ganhando de imediato alguma distancia ao Sr. F. Mestre e a outro participante que segui a traz. De repente e já sozinho no meio de um eucaliptal deparo-me á minha frente com mais uma subida com muita pedra solta (comum em todo o percurso) quando a meio da subida olhei para traz e lá vinha o Sr. Mestre em grande forma também a começar a subir, mas ao mesmo tempo deparo-me que não existe qual quer fita, mas como não havia mais nenhum lugar para onde seguir continuei a pedalar até reparar que uns metros mais á frente estava pessoal a passar.., logo deduzi que estava enganado, voltei para traz, onde o Sr. Mestre também já tinha voltado para traz. Com aquilo tudo quando cheguei ao ponto onde me enganei já estava um elemento da organização a corrigir a má marcação, e resultado perdi mais de três minutos e algum desagaste físico e principalmente psicológico... 
Segui onde voltei novamente apanhar e ultrapassar o Mestre pai ganhado novamente distancia e umas centenas de metros mais á frente apanho o Mestre filho (Marco) com outro participante que também se tinham enganado.  Seguimos os três durante algum tempo onde apanhamos um grupo de pessoal dos 30km em sentido contrario a nos também enganados. Mais umas subidas e fiquei novamente sozinho e para traz, pois não tenho qualquer hipótese de acompanhar o grande Marco, pelo menos nas subidas. 
(Foi da maneira que andei ao lado do grande Marco)
Mais uns quilómetros pedalados com a entrada e passagem num perigoso e inclinado single track, que não era para todos!!  voltei a encontrar o Marco onde seguimos juntos ate ao abastecimento cerca do km 23. 
Voltei a ficar para traz e novamente sozinho onde percorri mais uns quilómetros e mais uma vez voltei apanhar o Marco desta vez com mais dois atletas, um deles do meu escalão. 

Fique com esse dito atleta mais a traz pedalando em conjunto onde íamos avistando o Marco. Á passagem de uma estrada de alicatão ao quilometro 40 voltei-me a enganar-me, segui algumas centenas de metros pela estrada de asfalto eludido, pois o ano passado já por ali tinha passado, ate que encontrei uma senhora onde perguntei tinha visto por ali passar alguém, resposta - Não-.. 
Voltei para traz já com mais alguns minutos perdidos, talvez mais 2º ate ao ponto onde já estava um miúdo a indicar a entrada escondida junto á estrada e escondia nas canas para uma horta. 
Com tudo isto o homem da marreta estava "instalado” e o meu objectivo cada vez mais longe. Surgi-o o abastecimento mesmo a calhar, pois já estava sem água algum tempo. Segui solitariamente mas a começar-me “arrastar” ate a outro ponto de agua onde lá me disseram ainda faltar cerca de 12km para o final. Olhando para traz e não avistando ninguem confortavelmente foi seguido onde surgiram mais uns single e o homem da marreta aliviou ate á chegada apos 58km com o tempo de 03:02 terminei na 8º posição a 1 mim do meu objectivo, ficando pelo 4 º lugar do meu escalão.. (ver classificação geral) 
O percurso teve um acumulado de subidas cerca de 1000m em sobe e desce constante...
Chegada do pessoal do SDT, quem ficou a chuchar fui eu..lol
O J. Pedro que foi á distancia mais pequena aguardava a chegada do nosso pessoal, ficando eu também aguardar a chegada do pessoal SDT que em conjunto e após 5 hras concluíram a prova, durante cerca de duas horas fui conversado e bebendo umas frescas no bar ao lado na companhia do Amigo Carlos e Valério elementos da organização. 

Desde já fica um grande abraço para todo o pessoal da organização que nos receberam sempre com muita simpatia e que tudo fez para que nada falha-se,  apesar da marcação que para o ano com certeza que irão usar mais placas e pó no chão.

03 setembro 2012

4º Maratona Barbaris BTT


Passados quinze dias do meu desaire físico da prova da Vidigueira, encostei os ténis por um tempo e abrandei as voltas de bike, também muito por culpa da diminuição das horas de dia (sol posto)

Pela segunda vez este ano voltei a estar presente em Barbacena, desta vez a 4ª maratona BTT.
A manha começou perto das sete da manha onde o ponto de encontro foi no local habitual, onde segui viagem desta vez solitariamente devido á proximidade do local da prova e assim também poderia vir ás horas que eu quisesse, sem terem que espera por ninguém. A participar o SDT teve a representação de mais 8 elementos estremocenses (Os manos Bilros, A. Neves, J. Marques, J. Rato, J. Silva, P. Guerra e J. Borralho).

À chegada já passava das oito, fomos fazer o habitual levantamento do frontal, mas o amigo Marcelino adentou-se e fez nos o favor de os levantar a todos, onde o saco trazia no seu interior uma t-shirt, um boné, papeis e uma bolsa transparente indicada para colocarmos o telemóvel, mp3 ou mesmo os documentos.
Rapidamente fomos equipando como normal a boa disposição, enquanto já havia muitos participantes para cima e para baixo de bike a fazer o aquecimento, muitos deles já meus conhecidos.

Quando inicialmente fiz a inscrição o meu objectivo era os 5 primeiros lugares da meia-maratona, mas com o passar do tempo e com as confirmações do pessoal, comecei achar difícil manter o top 5, para mais estavam confirmados perto de 400 atletas estando cerca de 300 para a mesma distancia que eu ia pedalar.
Vindo eu com o mural muito em baixo o espectativas ainda muito menos eram as melhores.

Cerca de quinze minutos antes da hora passei o controlo 0 onde mais de meia centena já guardava a partida á minha frente e que seria mais um obstáculo a ultrapassar.
Pouco passava da hora foi dada a partida com a habitual e mas curta passagem por dentro da localidade, não dando para a ganhar muitas posições.

Entra-mos rapidamente e em grande velocidade no percurso com um piso de muita areia, valas e pedra solta, onde arrisquei tudo, ora dento do trilho, ora ao lado, raziar a arvores e ramos, fazendo ultrapassagem a traz de ultrapassagem a uma velocidade de loucos e quando olhei para o conta-quilómetros já tinha mais de 7km percorridos e ultrapassado mais de quarenta participantes, sendo um sinal que me estava a sentir-me bem fisicamente embora ainda com alguma dor nos quadríceps mas nada que se comparasse á quinze dias atrás.

Com a mudança de percurso ao quilómetro 8 avistei o grupo cabeça de pelotão que seguia junto deste a partida e com a separação fiquei a ocupar o nono lugar mas com todos os outros participantes pouco mais á minha frente, ganhei uma nova alma consegui ate ao quilómetro vinte a conquistar o 6º lugar e a menos de 30 segundos dos primeiros, estando o meu objectivo mesmo á beira que era os cinco primeiros. Entre o quilometro 20 e 35km estava concentrada a maior dificuldade com uma serie de subidas e descidas inclinadas onde ainda tive tempo para me enganar e assim voltar a perder os quatro primeiros de vista, bem  como ficando com mais 3 participantes na roda...
Chateado comigo mesmo continuei em grupo o sobe/desce onde lentamente foi ganhando terreno para os dois homens da frente e acabando por voltar a distanciar dos que seguiam a minha roda. Apos a serie de subidas ao quilómetro +/- 37 consegui colar e passar para a frente dos dois participantes numa zona de subida pouco acentuada, onde assumi a frente deles e com um enorme "esticão" mesmo no momento certo, em espaço de um quilómetro ganhei uma grande distância, voltando a ficar novamente moralizado pois já ocupava o 4 lugar embora ainda falta-se mais de dez km para o final muita coisa podia acontecer…

Já sem água e com a câmbrias a "morderem" os últimos quilómetros pareciam intermináveis, sem avistar viva alma eu já não pedalava, "arrastava-me" onde a minha preocupação era não ser ultrapassado, onde as fitas de marcação de cor prateada eram um factor psicológico, pois reflectiam luz do sol ao longe e dava a ideia de serem capacetes. Ao quilómetro 49 com um acumulado de subidas que ultrapassou os 800m lá estava Barbacena e o "oásis" da meta, onde conclui a prova no 4º lugar com o tempo de 02h:10m e uma média de pulsação de loucos, pois nunca por mim feito 175 bpm(ver classificação). Mas consegui o meu objectivo e psicologicamente voltei a ganhar um novo ânimo :-).

As lerias com o pessoal foi assistindo á chegada de outros participantes, bem como bebendo umas minis que gentilmente o pessoal da organização disponibilizou á chegada.

Apos o banho fomos para a parte melhor, o almoço com uma sopa e hamburgers com esparguete e muita imperial fresca. Onde mais uma vez foi chamado á quele palco com mais um 4 lugar em Barbacena para receber o meu merecido trofeu e mais um saco com alguns produtos regionais, e ainda não foi desta que trouxe a sericá..lol
(mais bonito trofeu um para o currículo )

Por lá fique ate perto das 19 horas a beber uns Fast Recovery e conversando com pessoal da organização... Parabéns a todos eles que sempre me deram grande apoio e força anímica durante toda a prova.