29 maio 2012

VIII Raid BTT "Por Terras de Mato 4º Troféu João Bento-Ferrobico


Na anterior edição já tinha estado presente neste grande evento de BTT, e quando digo grande este ano não poderia falta a mais do que uma prova, é uma festa em Cabeça Gorda. A manha começou por volta das 6h:20m, horas em que eu o Luís B., o Carlos B. combinamos nos encontrar com o A. Beja Neves e onde os quatro seguimos viagem em direcção a Cabeça Gorda.

A chegada fora perto das 8h:20m onde rapidamente nos apresa-mos a ir levantar os dorsais, que fora feito de forma rápida, já que estavam confirmados cerca de 600 participantes. No saco vinha uma estatueta de gesso, um porta-chaves em fita, uma barra energética, um bidão e muitos papéis. Rapidamente nos equipamos, onde optei pela estreia de umas meias de compressão que anteriormente tinha comprado e que tinha por curiosidade experimentar, já que ou está na moda ou ajuda no desempenho físico.

Á ida para a meta encontrei um buraco ao lado do companheiro Francisco Lagarto e perto dos lugares da frente, o que deu bastante jeito e ali permaneci com mais o Picão ate a partida. Após percorre-mos a principal rua de Cabeça Gorda comecei logo a tentar ganhar lugares onde em grande velocidade entramos no campo. Com cuidado e em grande ritmo o plutão ficara formado onde com o passar dos quilómetros foi ganhando lugares, ficando no grupo com cerca de 20 betetistas na frente que se foi alargando com o sobe e desce curto e constante. 
Segui a roda do Marcelino quando ao quilómetro 14 numa curva e contra curva a grande velocidade na minha roda traseira ouvi um barulho e me apercebi que tinha sido uma queda. Parei de imediato, bem como o Marcelino e mais dois companheiros de equipa do acidentado, onde ele de imediato pedi-o uma ambulância devido a um corte fundo na perna. Como não tinha tlm o Marcelino tentou ligar para a organização, mas sem enfeito pois não havia rede, os companheiros do acidentado seguiram sem quererem saber do colega. Apareceu outro betetista se prontificou e voltou a traz a chamar alguém da organização já que estavam um pouco acima. 

Com dever comprido e já pouca vontade eu e o Marcelino lá seguimos o percurso pois já era muito o pessoal que tinha passado por nos, fizemos uma parelha e começamos em grande ritmo á carga voltando a ultrapassar pessoal a traz de pessoal com a continuação de um percurso muito rápido e com alguma dificuldade entre o quilometro 17 e 22.

Pormenor da meia..lol

A subir puxava o Marcelino a rolar puxava eu e íamos influenciando com o ultrapassar de muitos atletas. Como não á uma sem duas ao quilómetro 32 ao ultrapassar mais três atletas em grande ritmo o desviador traseiro deu o pedo mestre, acabando ali a minha prova com uma média a rondar os 26km/h e que prometia inicialmente um bom resultado.

Desviador XT já era..

Aproveitando as descida foi percorrendo cerca de mais um quilómetro ate encontrar dois homens que estava assistir á passagem do pessoal e que se prontificaram a me deixar á aldeia. Ali fiquei também a ver o pessoal, quando apareceu outra carrinha com mais duas pessoal que me acabou por dar boleia, concluindo a prova na mesma mas com 13 km á boleia..lol. Ali aguardei a chegada dos meus companheiros que acabaram por não demorar muito a chegar.
Fomos ao banho e depois á grande festa do BTT onde o almoço fora servido ao lado do campo de futebol debaixo de um grande chaparro animado com música ao vivo.


22 maio 2012

4º Maratona BTT Veiros

Após três semanas de pausas das provas, ou meias provas como lhe queiram chamar, aparece mais um fim-de-semana carregado de provas, onde a minha indecisão foi muita, pois existia a 3 provas. Em Forros de Vale Figueira onde tenho marcado sempre a minha presença e terra de bons amigos, e mesmo aqui ao lado era a IV maratona de Veiros, igualmente terra de bons amigos, grupo que deia algumas dicas para sua formação, terra natal do meu pai e causa de solidariedade para a filha do nosso colega. Com tantas causas acabei por ficar mesmo por Veiros. 

A manha começou por volta da 8 h, fui buscar a minha namorada e dei boleia o Carlos. 
Antes cairá uma grande "porrada" de agua, o que deixava pouco agrado de partir, mas o sol lá espetou e apareceu.
Á chegada levantei o dorsal onde o saco trazia produtos regionais tais como uma pequena caneca de barro e um frasco de mel.

A pressa lá me fui equipando sem grande tempo para conversas, pois a 9 horas estavam perto. Após o controle 0 lá entrei para a manga, ficando do meio para traz entre cerca de 200 atletas. 

Após um briefing onde houve ficou acordado uma alteração de ultima hora para a distância de 70km devido a um proprietário de um terreno ter bloqueado a passagem e ficou acordado que os atletas dos 70km iriam dar duas voltas aos percursos dos 40km e que seria a única solução. Após este acordo que não me agradou muito, embora eu tivesse para os 40km lá parti-mos com uma volta pela vila onde rapidamente ganhei muitos lugares, ficando junto dos primeiros, mas ao passar pelo local da partida tivemos que parar para ouvir que afinal o problema já tinha sido resolvido e que o percurso dos 70km mantinham-se.

Bonita foto esta do nosso alentejo
Então lá foi dada novamente a partida e logo a subir pelo alcatrão onde continuei a ganhar lugares. À entrada do campo já segui-a no grupo dos 15 primeiros, onde após alguma confusão numa queda de um atleta sem consequências numa zona de muita lama, consegui escolher o trilho melhor e sem demoras ganhei mais alguns lugares.

Solidariamente e sempre a prego pedalei cerca de 20 quilómetros com o grupo dos primeiros sempre debaixo de vista e outro grupo logo atrás sem dar margem para baixar o ritmo. 
Cerca do quilómetro 25 surgi-o a parte mais dura do percurso com um sobe e desce constante entre eucaliptos, onde o esforço de andar sozinho era cada vez maior e distância do grupo que vinha na minha roda era cada vez mais curta. 


Nesse local fui ultrapassado pelo amigo Nelson que está em grande forma física e que acabara por ser uma mais-valia para eu ir mantendo a distância, pois aproveitei a roda dele ate á divisão cerca do quilómetro 33km. Ainda faltavam cerca de 7km e as forças eram cada vez menos, mas lá foi pedalando com o pressentimento que ia"morrer na praia" quando entrei num estradão dentro de uma seara com um pouco de inclinação e para ajudar á festa o vento era de frente.

Acabei esse estradão sempre a ver o pessoal de traz cada vez mais perto da minha roda, quando entrei numa zona novamente mais fechada, voltei assim a respirar de alívio pois logo a seguir ao quilometro 41km estava a estrada de alcatrão onde ao longe avistei uma "miragem" a praça de onde partimos e local onde seria a meta/chegada. Conclui a prova na 2ª posição com uma média de 25km/h e um acumulado perto dos 600m entre 110 participantes (ver classificação).

Mais um bonito troféu para o meu palmarés

Esperei um pouco e foi tomar um duche. 
Após a chegada dos primeiros atletas dos 70km recebi mais um bonito trofeu em barra pintado, juntamente com mais o da maior equipa presente, no total 17 elementos.

Almoçamos conviva mente alguns elementos SDT uma bela canja e bifinhos com cogumelos e á vinda para Estremoz ainda fomos para espreitar a barragem, mas estava um barraca com uma festa no meio da estrada.

Em suma só me resta dar os parabéns a todo o pessoal da organização pela simpatia com que fomos recebidos, bem como uma palavra para o ano voltarem a realizar a 5º maratona, pois não tenho estava tudo impecável.

06 maio 2012

V BTT da Liberdade


A serie quinzenal de participação em provas continua, desta vez e pela primeira vez nas duas horas de resistência na vila de Assumar na V BTT Liberdade. Desta vez o meu companheiro de equipa foi o Pedro Guerra que tem por hábito dar-me sempre sorte nos bons resultados.

A manha começou por volta das 7:20h, onde á porta de casa o apanhei e carregamos a bike. Apos a cafezada lá seguimos em direcção á vila do Assumar, com uma manha carregada de muitas nuvens que ameaçava chuva. Á chegada com vagar e calma fomos levantar os dorsais onde o pobre saco trazia apenas um bidon.

Fomos equipando onde a dúvida seria o uso ou não de impermeável, enquanto íamos recebendo os parabéns e trocando palavras de alguns participantes da passada prova do Estremozbike que nos organizamos.  

Á partida estava cerca de 80 participantes divididos pelas duas e quatro horas, eu e o meu companheiro ficaríamos pelas duas. A partida foi dada dentro da pontualidade onde no primeiro quilometro partindo a todo o gás fiquei nos cinco primeiros, desconhecendo qual a prova que os primeiros iriam participar. 

A primeira parte do percurso constituído por cerca de 3 quilometro percorridos em single track feitos pelo pessoal da organização e composto por pequenos e inclinados drops, curvas apertadas e passagens estreitas, sendo uma mais valia para mim, pois dá-me muita pica pedalar em singles com características muito técnicas os restantes quilómetros foram por um estradão, duas subidas mais longas.. Na segunda volta ainda ia avistando os três primeiros tento o quarto participante mesmo á minha frente, principalmente na zonas dos singles onde nos juntávamos, mas acabado por se distanciar nos estradões, assim sucessivamente ate final.
A manha acabou por sorrir com o sol, sendo uma mais-valia á enxuga na zona dos singles que ficou logo deste a primeira volta muito pisada e com muita valas feitas pelas rodas. Ate final das duas horas com um ritmo sempre muito elevado o meu lugar foi fictício bem como a distância para o companheiro da frente, nos singles ficávamos juntos e depois voltávamos a separar. Nas 02h:11m que pedalei terminei na 3º posição a menos de um minuto do segundo participante, atleta esse que quinze dias antes tinha sido o primeiro a cortar a meta em Nisa, oito minutos antes de mim, acabado por me encher de grande esperança e moral para a próxima prova, com este resultado e principalmente a minha prestação e evolução, independentemente de mais um pódio que fiz. 

Pode ser o começar finalmente a limpeza ao pulmão, pois só lá vão apenas quatro meses depois do último cigarro. Como resultado do esforço fica a minha média final de 171 pulsações, nunca ate hoje feitas por mim. (ver classificação)

O meu companheiro e "amuleto de sorte" também fez um excelente resultado com o 6º lugar, mas menos uma volta que eu, entre cerca de 40 atletas a concluírem as duas horas.

Após um lavagem de bike foi a um banho de água fria e depois fazer tempo pelo almoço onde fomos convivendo e bebendo umas minis com os amigos e companheiros de Barbacena.


O almoço só fora servido por volta das 14h, onde trocemos mais uma bonito e original trofeu..