17 abril 2012

2º BTT AlenTTera (Nisa)


Já no passado ano tinha estado presente em Nisa na 1º edição, este ano resolvi voltar novamente, pois gosto muitos dos trilhos daquela zona. 

A manha começou cerca das 7:20h junto ao café Telheiro, onde antes apanhei a minha namorada que nos fora fazer companhia. Tínhamos combinado nos encontrar e colocar os suportes na viatura do A. Beja Neves, onde segui mais um elemento do SDT.

Com hora marcada para a partida as 10h, por volta da 9h chegamos a esta vila, onde calmamente levantamos os dorsais onde no saco trazia uma peça de barro e uma carteira.

Antes da hora marcada já estávamos colocados na manga de partida, conjuntamente com cerca de mais 200 participantes á espera da partida para a distância de 50km e 80km.

Com a partida á hora certa percorremos algumas ruas da vila, onde tentei colocar-me o mais perto das rodas do da frente, mas rapidamente acabei por ficar no segundo grupo perseguidor, muito por culpa dos cerca de 8 quilómetros muito rápidos percorridos em estradão. 

Assim foi indo em ritmo muito elevado onde reparei que na minha roda já não  tinham á vista ninguém,  quando de um momento para o outro aparece-me um grupo com cerca de 10 participantes a um ritmo avassalador. Fiquei estupidamente parvo comigo mesmo, pois não levava ninguém atrás como é que em menos de um quilómetro me deixo ser ultrapassar por um grupo tão grande!. 
Ao fim de alguns minutos em conjunto com alguns do que ficaram mais atrás é que reparei na cor dos dorsais e á conversa com um participante fiquei a saber que aquele grupo era o da frente e que se tinham enganado.., ficando mais descansado.
Visto isto passamos por uma bonita aldeia raiana cheia de muito publico e já minha conhecida, pois já terá passado na prova dos trilhos da Açafara em 2009. Após a passagem veio o a parte mais espectacular  e muito técnica do percurso, percorrido inicialmente entre muros e pedras e depois mesmo á beira do Rio Tejo em single Track em ravina, mesmo á beira do rio (antigos caminhos do contrabando). 
Ganhei mais uns lugares e cerca do quilómetro 30km sugio a mudança de percursos numa serra com muitos eucaliptos, onde virei para os 50km e na longa subida ganhei mais uns lugares, ficando colado a mais três participantes, seguimos os quatro em conjunto por mais uns quilómetros e eles á minha boleia, até chegarmos a uma zona com duas duras subidas e muito inclinada, deixando para traz dois atletas. 

Após superarmos aquelas duras subidas ficamos os dois seguimos muito perto um do outro, ora passava eu ora ele, aos últimos 3km ficamos novamente juntos onde tentei puxar, só que o desgaste já era enorme e as "piranhas" começaram a colar-se ás pernas. Com muito sacrifício lá continuei o ultimo quilómetro antes da meta onde cortei no 5º lugar em 49km com o tempo de 02h:07m e um acumulado acima dos 900m de subidas entre 108 participantes (ver classificação).

(Que gesto seria este!!!)

Á chegada após sair da bike fiquei "colado" ao chão, pois as pernas bloquearam com a cambrias e tive de esperar algum tempo até "desprenderem".

Aguardei pela chegada dos meus companheiros, tomamos duche e fomos almoçar massa com carne, bem bom aquela hora.


Para segunda edição deste evento a organização ainda tem muitos aspectos a melhorar..

06 abril 2012

BTT Cabeço de Vide


Passados oito dias da resistência, surge mesmo aqui ao lado o primeiro BTT Cabeço de Vide onde inicialmente fiz a minha inscrição na distancia master.., só que por motivo físicos e falta de ritmo acabei por mandar um mail para a organização alterar a distancia para a meia maratona de 40km.

No sábado, dia anterior á prova o aquecimento deste as 19 horas a beber minis e comer um petisco atá as 22:30 hora no salão de festa Manuel do Catinho em Estremoz.

A manha começou por volta das 7 horas onde combinei ir com o Luis B. e posteriormente juntarmos á comitiva SDT por volta das 7:30.

Esta prova teve como novidade e originalidade do nome de equipa, Estremozbike, que resultou na junção de vinte e um atletas estremocenses presente das duas associações da terra, SDT e Rota d'Ossa unidos com apresentação igualmente com da jersey oficial da prova Estremozbike.

Á chegada com a cabeça um pouco azuada lá fomos levantar dorsal onde o bonito saco trazia uma t-shirt e papeis como vem sendo moda...  
Foi-me equipando e posteriormente as leria com o amigo Manuel Romão de Veiros. 
O grande team EstremozBike (coligação SDT/Rota d'Ossa)

Durante uma curta volta de aquecimento já que a manha estava fresca e cinquenta com ameaça de chuva ainda tivemos tempo de juntar o Team para a foto de família e então depois lá foi para o demorado controle 0 já que o agrafador que me calhou estava encravado e acabei por me atrasar para um bom lugar de a partida, mas gentilmente o pessoal do team abriu alas e deixou-me ficar uma pouco mais á frente para a partida.

A partida essa foi dada onde após uma volta guiada pelas ruas de Cabeço de Vide consegui ganhar mais uns lugares, á saída da Vila com o surgimento de um longo estradão a velocidades alucinantes na casa dos 30km/h ficou o grupo partido em três, onde eu seguia no pequeno grupo de com cerca de uma dúzia de atletas na perseguição ao primeiro. 

Com o cair de umas pingas ajudou a baixar o pó e também a mural, pois uma molha poderia ser sinónimo de broncopneumonia, por aviso do meu médico a atenção redobrada durante o primeiro ano após o tabaco. Mas lá deixou de chover e com cerca de vinte e dois quilómetros lá estava a divisão, onde a essa mesma segui no quarto lugar pelas contas de um elemento da organização e a ver o pessoal mesmo á manha frente. 
Ao saber o lugar e ver o pessoal á minha frente ganhei uma nova alma apesar de me sentir muito mal fisicamente, lá continuei o percurso sempre avistar os meus três primeiros pelo meio de terras e lavrados onde por vezes dava a sensação que estava mais perto e outras vezes mais longe devido ás pequena subidas que iam surgindo. Comei avistar Cabeço de Vide onde o meu objectivo mudou e era já manter o lugar e não ser passado. 

Mesmo á entrada da vila sugiro uma enorme subida inicialmente em terra e depois em paralelo ate perto do castelo, onde lá no cima estava um colega destas andanças o Daniel a ver o pessoal chegar e ainda me deu umas palavras de incentivo.., pensando eu que era já a chegada, voltamos a descer por um técnico trilho e espectacular novamente até ao ponto mesmo ao lado de onde iniciamos a subida anterior. Sugiro novamente mais uma subida tipo "parede"  onde constatei que o pessoal que segui a minha frente estava em dificuldades na sua ascensão  estando desmontado a fazer a sua escalada. 
Os dois primeiros já estavam lado a lado quase no cume e o terceiro mais atrás a meio da mesma subida. Então foi tempo de fazer naquela subida, o que ainda não tinha feito durante a prova toda.., "apertei" os dentes e fui por ali a cima a fazer escalda e  com muita sorte e "calo" lá fui indo sempre sem a piar, já que havia muita pedra espalhada. Mesmo antes de chegar ao cimo consegui alcançar o terceiro participante, ultrapassando onde ele segui ao lado da bicicleta em grande esforço e nível acabei por ganhar a melhor, após a subida foi mais cerca de 300m a gerir o lugar e cortar a meta no terceiro lugar com 45km e o tempo de 1h:51m a 45 segundos do primeiro entre 108 participantes a terminar, tive a estrelinha de campeão do meu lado.
(ver classificação) 

Um bonito prato, como o Guerra dizia para o meu enxoval


Após o descanso foi a entrega imediata dos prémios onde desta vez tive direito a um bonito prato com o brasão da camara de Fronteira. Foi aguardado a chegada do grande team Estremozbike, conversando com uns e com outros, já que a manha começou cinzenta em todos os aspectos, mas acabou por sorrir... 

Por volta da 13 horas e após a chegada da comitiva toda lá fomos ver do merecido banho, onde ate massagens havia e depois o belo almoço servido em camilhas tipo casamento.